Contra a “avalanche dêsse género de literatura importada e de grande penetração popular”

Histórias em quadrinhos no Brasil, entre americanização e nacionalização (1960-1964)

Palavras-chave: Brasil (1960-1964), Nacional-popular, Americanização, Quadrinhos (Brasil), CETPA

Resumo

A publicação de histórias em quadrinhos no Brasil consolidou-se durante os anos 1940 e 1950 a partir de editoras voltadas à produção e distribuição de revistas em quadrinhos. Uma das consequências desse cenário foi a manifestação de vozes críticas à presença dessa forma de expressão no Brasil. Mídia associada, então, aos Estados Unidos, os quadrinhos eram acusados de serem uma expressão alheia à cultura brasileira. Na esteira destas restrições críticas, seguiram-se reivindicações de artistas brasileiros que passaram a defender espaço no mercado de quadrinhos para criadores locais, exigindo que fossem valorizados temas e personagens associados à cultura popular e à história do Brasil. Tais movimentos se articularam em torno de associações de desenhistas, que avançaram na crítica ao imperialismo dos Estados Unidos e fizeram ecoar suas demandas junto a setores da imprensa e da classe política. O artigo descreve essa história, analisando a formação de associações de desenhistas nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, suas repercussões no jornal Última Hora e o que consideramos como ápice deste movimento: a constituição de uma cooperativa de artistas de quadrinhos em Porto Alegre, entre 1961 e 1964 – a Cooperativa Editora e de Trabalho de Porto Alegre (CETPA). Analisamos essa história como um momento importante para a constituição – não sem percalços e tensões – de uma identidade cultural brasileira sobre os quadrinhos, inspirada, em grande medida, no estabelecimento de um contraponto crítico em relação aos comics dos Estados Unidos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Lima Gomes, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Doutor em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense, (PPGH-UFG), em Niterói, RJ, Brasil. Professor da Faculdade de História da Universidade Federal de Goiás (FH-UFG), em Goiânia, GO, Brasil.

Referências

ABA-LARGA. Porto Alegre: CETPA, 1962.

BACZKO, Bronislaw. Imaginação social. In: ROMANO, Ruggiero. Enciclopédia Einaudi. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, Editora Portuguesa, 1985. v. 5 p. 296-332.

BARBOSA, Alexandre Valença Alves. Histórias em quadrinhos sobre a História do Brasil em 1950: a experiência da EBAL e outras editoras. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo, Escola de Comunicação e Artes, São Paulo, 2006.

BARRETO, José Geraldo. Apressado para nada. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

CULTURAL imperialism strikes again: a South American symposium. International Journal of Comic Art, Filadélfia, v. 22, n. 1, p. 2-114, 2020.

CORREIO DO POVO. Porto Alegre: Caldas Junior Ltda., 1962.

ELMIR, Claudio Pereira. A história devorada. No rastro dos crimes da Rua do Arvoredo. Porto Alegre: Escritos, 2004.

ELMIR, Claudio Pereira. Uma aventura com o Última Hora: O jornal e a pesquisa histórica. Anos 90, Porto Alegre, v. 19, n. 36, p. 67-90, dez. 2012.

FELIZARDO, Joaquim. A legalidade: o último levante gaúcho. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1988.

FERREIRA, Jorge. Crises da República: 1954, 1955 e 1961. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucila de Almeida Neves (org.). O Brasil republicano: o tempo da experiência democrática. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. v. 3. p. 303-342.

GOCIOL, Judith; ROSEMBERG, Diego. La historieta argentina. Una historia. 2. ed. Buenos Aires: Ediciones de la Flor, 2003.

GOMES, Ivan Lima. Os novos homens do amanhã: projetos e disputas em torno dos quadrinhos na América Latina (Brasil e Chile, anos 1960-1970). Curitiba: Prismas, 2018.

GOMES, Ivan Lima; NASCIMENTO, Leonardo Pires. Circulações artísticas no Cone Sul: notas preliminares sobre João Mottini e o mercado argentino de quadrinhos durante a Guerra Fria (décadas de 1940 a 1960). Caravelle, Toulouse, n. 116, p. 13-26, 2021.

GROVE, Laurence. Comics in French: the European bande dessinée in context. New York: Berghahn Books, 2010.

GUAZELLI FILHO, Eloar. Canini e o anti-herói brasileiro: do Zé Candango ao Zé – realmente – Carioca. 2009. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

KÜHN, Fábio. Breve história do Rio Grande do Sul. 4. ed. Porto Alegre: Leitura XXI, 2011.

LIMA, Patrícia Ferreira de Souza. Caderno B do Jornal do Brasil: trajetória do segundo caderno na imprensa brasileira (1960-85). 2006. Tese (Doutorado em História Social) – Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

MATTELART, Armand. La dependencia de los medios de comunicación de masas en Chile. Estudios internacionales, Santiago do Chile, v. 4, n. 13, p. 124-154, abr./jun. 1970.

MOTTA, Marly. Rio, cidade-capital. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

MULLANEY, Dean (org.). King of the comics: 100 years of King Features Syndicate. San Diego: IDW Comics, 2015.

ORTIZ, Renato. Moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1988.

ORY, Pascal. Mickey go home! La désaméricanisation de la bande dessinée (1945-1950). Vingtième Siècle, Bruxelas, n. 4, p. 77-88, out. 1984.

PANTOJA, Sílvia; LOURENÇO NETO, Sydenham, LIMA SOBRINHO, Barbosa. Dicionário Histórico-Biográfico do CPDOC. Rio de Janeiro, 2001. Disponível em: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/alexandre-jose-barbosa-lima-sobrinho. Acesso em: 10 abr. 2021.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Um moderno folhetim (ou uma história em quadrinhos trágico-cômica). In: LUSTOSA, Isabel (org.). Imprensa, humor e caricatura: a questão dos estereótipos culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011. p. 151-186.

QUELER, Jefferson. Entre o mito e a propaganda política: Jânio Quadros e sua imagem pública (1959-1961). 2008. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

ROSA, Rodrigo. João Mottini: um resgate de sua obra nas histórias em quadrinhos. Porto Alegre, 2002. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Comunicação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

SILVA JÚNIOR, Gonçalo. A guerra dos gibis: a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-64. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

ÚLTIMA HORA. Guanabara, 1961.

ÚLTIMA HORA. Niterói, 1961.

ÚLTIMA HORA. Porto Alegre, 1961.

ÚLTIMA HORA. Porto Alegre, 1961.

VÁZQUEZ, Laura. El oficio de las historietas. Buenos Aires: Paidós, 2010

VERGUEIRO, Waldomiro. Desenvolvimento e tendências do mercado de quadrinhos no Brasil. In: VERGUEIRO, Waldomiro; SANTOS; ELÍSIO, Roberto (org.). A história em quadrinhos no Brasil. São Paulo: Editora Laços, 2011. p. 45-47.

Publicado
2022-08-19
Como Citar
Gomes, I. L. (2022). Contra a “avalanche dêsse género de literatura importada e de grande penetração popular”: Histórias em quadrinhos no Brasil, entre americanização e nacionalização (1960-1964). Estudos Ibero-Americanos, 48(1), e41528. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2022.1.41528
Seção
Dossiê: Políticas culturais: projetos, atores e circuitos