Harriet Martineau (1802-1876)

A analista social que inaugurou a Sociologia

  • Fernanda Henrique Cupertino Alcântara Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus de Governador Valadares (UFJF-GV), Governador Valadares, MG, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-8396-147X
Palavras-chave: Harriet Martineau, História da sociologia, Sociologia clássica, Observação sistemática, Tipologia empático relativista

Resumo

O artigo aborda o papel e o lugar de Harriet Martineau na história da Sociologia, sua vida, obras e contribuições para o nascimento desta Ciência da Sociedade que, em sua época, estava se descolando do plano da Filosofia. Além disso, discute seu legado e inicia um diálogo entre a obra martineauniana e o cânone sociológico. Por fim, discorre sobre temas centrais para a autora e conclui ser necessária uma retomada persistente de uma agenda de pesquisa sobre Harriet Martineau e seus estudos sociais, face à institucionalização e história da Sociologia. O artigo reitera que o apagamento das clássicas da Sociologia é uma forma de violência de gênero e violência epistemológica que precisa ser combatida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Henrique Cupertino Alcântara, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus de Governador Valadares (UFJF-GV), Governador Valadares, MG, Brasil.

Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Professora da Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus de Governador Valadares (UFJF-GV), em Governador Valadares, MG, Brasil.

Referências

ARANGO, Luz Gabriela. Tiene sexo la sociologia? Revista Sociedad e Economia, Cali, n. 8, p. 159-186, abr. 2005.

ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. Lisboa: Dom Quixote, 2000.

ARBUCKLE, Elisabeth Sanders. A Nineteenth-Century Woman’s Engaging with her Times: Harriet Martineau (1802-1876). In: The Martineau Society. Norwich, 2019. Disponível em: http://martineausociety.co.uk/publications/harriet-martineau-a-new-biography. Acesso em: 20 nov. 2020.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2020.

COMTE, Auguste. Curso de filosofia positiva. Discurso sobre o espírito positivo. Catecismo positivista. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

COMTE, Auguste. Reorganizar a sociedade. São Paulo: Editora Escala, s/d.

DAFLON, Verônica Toste; CAMPOS, Luna Ribeiro. Gênero e conhecimento: um diálogo entre o pensamento de Flora Tristan e Harriet Martineau. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 33, n. 70, p. 424-443, 2020.

DALLARI, Dalmo de Abreu. Os direitos da mulher e da cidadã por Olímpia de Gouges. São Paulo: Editora Saraiva, 2016.

DEBIA, Eliana. Notas sobre violência de género y enseñanza de la sociologia clásica en universidades nacionales públicas argentinas. De prácticas e discursos, Corrientes, ano 8, n. 12, p. 287-307, 2019.

DUARTE, Cristina; FEIJÃO, João. Harriet Martineau (1802-1876). As faces de Eva, Lisboa, n. 28, p. 1-18, 2012.

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. São Paulo: Edipro, 2012.

FRITSCH, Jon Eric. Did Harriet Martineau’s sociological methods influence Emile Durkheim’s sociological methods? Virgínia: Virgínia State Polytechinic Institute and University, 1995.

HILL; DEEGAN. Dogs and Society: anglo American sociological perspectives (1865-1934). Lincoln: University of Nebraska, 2016.

HILL, Michael R. A Methodological Comparison of Harriet Martineau’s Society in America (1837) and Alexis de Tocqueville’s Democracy in America (1835-1840). In: Michael R. HILL; Susan HOECKER-DRYSDALE (ed.).

Harriet Martineau: Theoretical and Methodological Perspectives. New York: Routledge, 2001.

MARTINEAU, Harriet. Como observer: morais e costumes. Governador Valadares: Editora Fernanda H. C. Alcântara, 2021.

MARTINEAU, Harriet. [Sem título]. Daily News, 1 mar. 1862.

MARTINEAU, Harriet. Harriet Martineau’s autobiography. Organizado por Maria Weston Chapman. Boston: James R. Osgood and Company, 1877.

MARTINEAU, Harriet. Harriet Martineau’s autobiography. Organizado por F. Fenwick Miller. Londres: W. H. Allen & CO., 13 Waterloo Place, S. W., 1884.

MARTINEAU, Harriet. How to observe morals and manners. [S. I.]: Okitoks Press, 1838.

MARTINEAU, Harriet. The positive philosophy of Auguste Comte. Kitchener: Batoche Books, 2000.

MARTINEAU, Harriet. Society in America. New York: Unders and Tley, 1837.

MARTINEAU, Harriet. The Martyr Age of the United States. London and Westminster Review, 1838.

McDONALD, Lynn (ed.), Women theorists on society and polities. Ontário: Wilfrid Laurier University Press, 1998.

MIGUEL, Lorena Marina dos Santos. Harriet Martineau: a contribuição esquecida da primeira socióloga. Cadernos de Estudos Sociais e Políticos, Rio de Janeiro, v. 16, n. 11, p. 17-28, 2017. Dossiê Clássicas.

MILLER, Florence Fenwick. Harriet Martineau. Boston: Roberts Brothers, 1885. (Coleção Famous Women).

SILVEIRINHA, Maria João; FERREIRA, Virgínia. Harriet Martineau. In: GARCIA, José Luís; MARTINS, Hermínio (org.). Lições de Sociologia Clássica. Lisboa: Edições 70, 2019. p. 65-109.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A democracia na América. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2019. (v. 1. Leis e costumes).

TOCQUEVILLE, Alexis de. A democracia na América. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2014. v. 2. (Sentimentos e opiniões).

TOCQUEVILLE, Alexis de. Viagem aos Estados Unidos. São Paulo: Hedra, 2010.

TRISTAN, Flora. União dos operários. Florianópolis: Insular, 2017.

VETTER. Harriet Martineau on the Theory and Practice of Democracy in America. Political Theory, [S. I.], v. 36, n. 3, p. 1-26, 2008. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/20452640?read-now=1&seq=10#page_scan_tab_contents. Acesso em: 20 ago. 2021.

WOLLSTONECRAFT, Mary. Reivindicação dos direitos da mulher. São Paulo: Boitempo, 2016.

Publicado
2021-11-04
Como Citar
Alcântara, F. H. C. (2021). Harriet Martineau (1802-1876): A analista social que inaugurou a Sociologia. Estudos Ibero-Americanos, 47(3), e39916. https://doi.org/10.15448/1980864x.2021.3.39916
Seção
Dossiê: Mulheres intelectuais: práticas culturais de mediação