“Mais bela do que o sol, mais bela do que o céu”

Representação feminina no discurso carnavalesco da Porto Alegre do início do século XX (1906-1914)

Palavras-chave: História das mulheres, Gênero, Representação feminina, Dominação masculina, História do carnaval

Resumo

Neste artigo abordamos a história do carnaval de Porto Alegre, do início do século XX - representado pelas sociedades carnavalescas Esmeralda e Venezianos - através da ótica dos estudos de gênero. As mulheres, de Evas pecadoras, passaram a figurar como Marias, recatadas e redentoras, e são alçadas ao símbolo de regeneração moral do carnaval. As rainhas das agremiações são alegorias dessa transformação. Nosso objetivo é discutir as representações de mulher elaboradas pelo discurso carnavalesco, centrados na figura da rainha da sociedade carnavalesca, ao analisar os versos proferidos pelas referidas agremiações, publicados na imprensa da época. A Análise de Discurso foi utilizada como ferramenta para a busca de sentido das mensagens sociais contidas nos versos. Com esse estudo pretendemos mostrar que abordar a História por meio das relações de gênero nos permite fortalecer as resistências à supremacia dos discursos de poder dos sistemas de representação androcêntricos, ao evidenciar as representações sobre as mulheres que legitimaram a hierarquização dos gêneros ao longo do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Pereira Leal, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professora da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, (PMPA), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Festas para que te quero: por uma historiografia do festejar. Patrimônio e Memória. Assis, v. 7, n. 1, p. 134-150, jun. 2011.

FAMÍLIA ALENCASTRO. In: ANCENTRY. [Lehi, UT: AncestryCorporate, 2021] Disponível em: http://freepages.genealogy.rootsweb.ancestry.com/~alencastro/pafg06.htm#116. Acesso em: 7 fev. 2020.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BUTLER, Judith. Críticamente subversiva. In: JIMÉNEZ, Rafael M. Mérida. Sexualidades transgresoras. Una antología de estudios queer. Barcelona: Icária editorial, 2002.

CALEIRO, Regina Célia Lima.O Positivismo e o Papel das Mulheres na Ordem Republicana. Unimontes Científica, Montes Claros, v. 4, n. 2, p. 41-48, jul./dez. 2002.

CAMARGO, Aspásia et al. O golpe silencioso: as origens da república corporativa. Rio de Janeiro: Rio Fundo, 1989.

CONNELL, Robert; MESSERSCHMIDT, James. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 241-242, 2013.

FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre: Guia Histórico. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 1992.

FERREIRA, Márcia; CORONEL, Marcia Cristina Klum. Sobre a legitimação do campo do gênero na ANPEd. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 815-831, jul./set., 2017.

GIL, R. Análise de Discurso. In: Bauer MW, Gaskell G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

HEINZ, Flavio M. Positivistas e republicanos: os professores da Escola de Engenharia de Porto Alegre entre a atividade política e a administração pública (1896-1930). Rev. Bras. Hist. São Paulo, v. 29 n. 58, p. 263-289, 2009.

ISAÍA, Artur Cesar. Catolicismo e autoritarismo no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1998.

ISMÉRIO, Clarice. As representações do feminino na educação rio-grandense segundo o discurso positivista (1889-1930). Revista Eletrônica História em Reflexão, Dourados, v. 1, n. 1, jan./jun. 2007. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/historiaemreflexao/article/view/484. Acesso em: 7 abr. 2021

LAZZARI, Alexandre. Certas coisas não são para que o povo as faça: Carnaval em Porto Alegre (1879-1915). 1998. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

LEAL, Caroline P. Festas Carnavalescas da Elite de Porto Alegre: Evas e Marias nas redes do poder (1906-1914). 2013. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2013.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MARTINS, Ari. Escritores do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Ed. UFRGS/IEL, 1978.

NICHOLSON, Linda. Interpretando O Gênero. Estudos Feministas, v. 8, n. 2, p. 9-41, 2000.

OGANDO, Ana Carolina. Entre o Público e o Privado: as relações de gênero no pensamento positivista e católico (1870-1889). In: FAZENDO GÊNERO – DIÁLOGOS, DIVERSIDADES, DESLOCAMENTOS, 9., 2010, Florianópolis. Anais eletrônicos [recurso eletrônico]/ Seminário Internacional Fazendo Gênero 9 : Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. [...]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2010.

OLIVEIRA, Pedro Paulo de. Discursos sobre a masculinidade. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 91-112, 1998.

ORLANDI, Eni. A Análise de discurso em suas diferentes tradições intelectuais: o Brasil. In: Seminário de Estudos em Análise de Discurso, 10., 2003, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: UFRGS; 2003. 1 CD-ROM.

ORLANDI, Eni. Discurso, Imaginário Social e Conhecimento. Em Aberto, Brasília, ano 14, n. 61, jan./mar. 1994.

PÊCHEUX, Michel. O Discurso: estrutura ou acontecimento. 3. ed. Campinas: Pontes; 2002.

PINSKY, Carla Bassanezi. Estudos de Gênero e História Social. Rev. Estud. Fem, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 59-189, abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2009000100009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 fev. 2020.

PORTO ALEGRE, Aquiles. Homens Ilustres do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Livraria Selbach, 1917.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 16, n. 2, jul./dez. 1990.

TEDESCHI, Losandro Antonio. As mulheres e a história: uma introdução teórico metodológica. Dourados: Ed. UFGD, 2012.

TRINDADE, Hélgio; NOLL, Maria Izabel. Subsídios para a história do Parlamento Gaúcho (1890-1937). Porto Alegre: CORAG, 2005

Publicado
2021-04-26
Como Citar
Leal, C. P. (2021). “Mais bela do que o sol, mais bela do que o céu”: Representação feminina no discurso carnavalesco da Porto Alegre do início do século XX (1906-1914). Estudos Ibero-Americanos, 47(1), e37769. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2021.1.37769
Seção
Dossiê: História das Mulheres, das relações de gênero e das sexualidades dissidentes - Vol. 47, n. 1