Paisagens e fronteiras do Cerrado: ciência, biodiversidade e expansão agrícola nos chapadões centrais do Brasil

Palavras-chave: História ambiental. Savana brasileira. Brasil Central. Fronteira agrícola.

Resumo

Este artigo tem por finalidade apresentar a história ambiental do Cerrado como um sistema biogeográfico e as consequências ambientais da expansão da fronteira agrícola na região central do Brasil. A pesquisa está embasada em um conjunto diverso de fontes documentais e bibliográficas que ressaltam as paisagens do Cerrado, sua biodiversidade, com ênfase nos processos históricos da expansão da fronteira agrícola. O estudo está fundamentado nos pressupostos teórico-metodológicos da história ambiental para a compreensão da relação entre sociedade e o ecossistema do Cerrado. Os resultados apontam que a compreensão do Cerrado como sistema biogeográfico é complexa e os diferentes processos históricos de percepção, descrição e ocupação desse ecossistema acontece de forma variada, considerando a diversidade das paisagens e dos elementos naturais que o compõe. Ademais, os esforços governamentais no desenvolvimento científico para tornar o Cerrado como fronteira agrícola, bem como a expansão agropecuária dos últimos 50 anos têm alterado significativamente as suas paisagens, gerando impactos e danos ambientais irreversíveis nesse ecossistema único nos chapadões centrais da América do Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Dutra e Silva, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Goiânia, GO

Doutor em História, Universidade de Brasília (UnB, Brasília, DF, Brasil). Professor na Universidade Estadual de Goiás, Goiânia, GO, Brasil e no Centro Universitário de Anápolis (UNIEVANGELICA), Anápolis, GO, Brasil.

Altair Sales Barbosa, Centro Universitário de Anápolis (Unievangelica), Anápolis, GO

Doutor em Arqueologia Pré-Histórica, Smithsonian Institution, National Museum of Natural History, Washington DC. Professor no Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGELICA); Anápolis, GO, Brasil.

Referências

AB’SABER, Aziz Nacib. The natural organization of Brazilian inter-and subtropical landscapes. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, 21 (1/2), 57-70, 2000.

ADAM, Thomas (ed.). Germany and the Americas. Culture, politics, and history: a multidisciplinar encyclopedia. V. I. Santa Barbara: California, 2005.

ASSAD, E. D. (Coord.). Chuva nos Cerrados: análise e espacialização. Planaltina, DF: Embrapa-CPAC / Brasília: Embrapa-SPI, 1994.

BACHELET, C. Pré-história no Cerrado: Análises antropológicas dos abrigos de Santa Elina e da Cidade de Pedra (Mato Grosso). Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science, Anápolis-

-Goiás, v.3, n.2, p.96-110, jul.-dez. 2014.

BARBOSA, Altair Sales. Andarilhos da claridade: os primeiros habitantes do Cerrado. Goiânia: UCG, Intituto do Trópico Subúmido, 2002.

BARBOSA, Altair Sales. Cerrado: “Dor Fantasma” da biodiversidade brasileira. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, Edição 382, p. 11-15, nov. 2011.

BARBOSA, Altair Sales. O livro da terra. Goiânia: Kelps, 2019.

BONATO, E.R.; BONATO, A.L.V. A soja no Brasil: história e estatística. Londrina: EMBRAPA-CNPSo, 1987. (EMBRAPA-CNPSo. Documentos, 21)

BORGHETTI, N. R. Aqüífero Guarani: a verdadeira integração dos países do MERCOSUL. Curitiba, PR, 2004.

BROOKS, M.L.; D’ANTONIO, C.M.; RICHARDSON, D.M.; GRACE, J.B.; KEELEY, J.E.; DITOMASO, J.M.; HOBBS, R.J.; PELLANT, M.; PYKE, D. Effects of invasive alien plants on fire regimes. Bioscience, 54(7), p. 677-688, 2004.

CAMARGO, A. J. A. de; CAMARGO, W. R. F. de; CORRÊA, D. do C. V.; VILELA, M. de F.; AMORIM, F. W. Mariposas polinizadoras do cerrado: identificação, distribuição, importância e conservação. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2018.

CARRÃO-PANIZZI, M. C.; MANDARINO, J. M. G. Soja: Potencial de Uso na Dieta Brasileira. Londrina: EMBRAPA-CNPSo, 1998. 16p. (EMBRAPA-CNPSo. Documentos, 113)

COUTINHO, Leopoldo Magno. Aspectos ecológicos do fogo no Cerrado. II – As queimadas e a dispersão de sementes em algumas espécies anemocóricas do estrato herbáceo-subarbustivo. Bol. Botânica, Univ. São Paulo 5, p. 57-64, 1977.

COUTINHO, Leopoldo Magno. O cerrado não é um bioma. Biota Neotrop. 11 (1), p. 21-24, 2011.

COUTINHO, Leopoldo Magno. O conceito de bioma. Acta bot. bras. 20(1), p. 13-23. 2006.

CRONON, W. Nature’s Metropolis: Chicago and the Great West. New York: W. W. Norton & Co., 1991.

CROSBY, Alfred W. Ecological Imperialism. The Biological Expansion of Europe, 900-1900. New York: Cambridge University Press, 2009.

CROSBY, Alfred W. The Columbian Exchange. Biological and Cultural Consequences of 1492. Westpost, Conn: Greenwood Press, 1972.

DALL’AGNOL, Amélio. A Embrapa Soja no contexto do desenvolvimento da soja no Brasil: histórico e contribuições. Brasília, DF: Embrapa, 2016.

DALL’AGNOL; CARNEIRO FILHO, Arnaldo; COSTA, Karine. A expansão da soja no Cerrado: caminhos para a ocupação territorial, uso do solo e produção sustentável. São Paulo: Agroicone, INPUT, 2016.

DEAN, W. With broadax and firebrand: the destruction of the Brazilian Atlantic Forest. Berkeley, Los Angeles, London: University of California Press, 1995.

DOMINGUES, Mariana Soares; BERMANN, Célio. O arco de desflorestamento na Amazônia: da pecuária à soja. Ambiente e Sociedade, v. XV, n. 2, p. 1-22, maio-ago., 2012.

DRUMMOND, J. A. A história ambiental: temas, fontes e linhas de pesquisa. Estudos Históricos, v.4, n.8, p.177-97, 1991.

DUTRA E SILVA, S. No Oeste, a terra e o céu: a expansão da fronteira agrícola no Brasil Central. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010.

DUTRA E SILVA, S.; MATEUS, R.; BRAZ, V.; PEIXOTO, J. A Fronteira do Gado e a Melinis Minutiflora P. Beauv. (POACEAE). Sustentabilidade em Debate, 6(2), 17-32, 2015. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v6n2.2015.15469

DUTRA E SILVA, S.; BOAVENTURA, K.J.; PORFÍRIO JÚNIOR, E.D.; SILVA NETO, C. M. A última fronteira agrícola do Brasil: o Matopiba e os desafios de proteção ambiental no Cerrado. Estudios Rurales, Buenos Aires, v. 8, n. Especial (Octubre), CEAR-UNQ, p. 145-178, 2018.

EMBRAPA. Base de Dados da Pesquisa Agropecuária. Sistema EMBRAPA de Bibliotecas – SEB, Brasília, DF. EMBRAPA. Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados. Relatório técnico anual do 1975-1976. Planaltina, DF, 1977.

EVENSON, R.E., GOLLIN, D. Assessing the Impact of the Green Revolution, 1960 to 2000. Science 300.5620, p. 758-62, 2003. 10.1126/science.1078710

FAISSOL, S. Vegetação e solos no sudeste do Planalto Central. Rio, CNG, p. 15, 1953.

FERREIRA, M. E; FERREIRA JR, L.G.; LATRUBESSE, E.M; MIZIARA, F. Considerations about the land use and conversion trends in the savanna environments of Central Brazil under a geomorphological perspective. Journal of Land Use Science, 11:1, p. 33-47, 2016. 10.1080/1747423X.2013.845613

FERRI, M.G.; COUTINHO, L.M. Contribuição ao conhecimento da ecologia do cerrado. Estudo comparativo da economia d’agua; da sua vegetação em Emas (Est. São Paulo), Campo Grande (Est. Mato Grosso), e Goiânia (Est. Goias). Bol. Fac. Fil. Cien. Letr. U.S.P., 224, 15, p. 103-150, 1958.

FERRI, M.G. Contribuição ao conhecimento da ecologia do cerrado e da caatinga. Bol. Fac. Fil. Cien. Letr. U.S.P., 195, 12, p. 1-170, 1955.

FERRI, M.G. Observações sobre Lagoa Santa. Ceres, 4, p. 1-16, 1943.

FERRI, M.G. Transpiração de plantas permanentes dos cerrados. Bol. Fac. Fil. cien. Letr. U.S.P. 41, Bot. 4, p. 159-224, 1944.

FLORA BRASILIENSES. 2005, Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA. Sistema hospedado no Internet Data Center da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, RNP. Flora Brasiliensis On-line, 2005.

FREITAS, L.M.M. DE; MCCLUNG, A.C.; LOTT, W.L. Field studies on fertility problems of two Brazilian cerrados. IBEC, Res. Inst. 21, p. 28, 1960.

FRIEDMAN, Mendel; BRANDON, David L. Nutritional and Health Benefits of Soy Proteins. J. Agric. Food Chem., v. 49, n. 3, p 1069–1086, 2001.

GALVÃO, V.M. Clima. In: FUNDAÇÃO IBGE. Geografia do Brasil. Grande região Centro-Oeste. Rio de Janeiro, IBGE, v.4, p. 71-118, 1960.

GALVÃO, V.M. Regiões bioclimáticas. In: FUNDAÇÃO IBGE. Atlas Nacional do Brasil. Rio de Janeiro, IBGE, 1962.

GARDNER, George. Viagem ao interior do Brasil, principalmente nas províncias do Norte e nos distritos do ouro e do diamante durante os anos de 1836-1841. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

GIUSTINA, C.C.D. 2013. Degradação e conservação do cerrado: uma história ambiental do estado de Goiás. Tese (Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

GIUSTINA, C.C.D.; DUTRA E SILVA, S.; MARTINS, E.S. Geographic reconstruction of a Central-West Brazilian landscape devastated during the first half of the 20th century: Mato Grosso de Goiás. Sustentabilidade em debate, v. 9, n.3, p. 44-63, 2018. 10.18472/SustDeb.v9n3.2018.18588

GLACKEN, C.J. Traces on the Rhodian Shore: Nature and Culture in Western Thought from Ancient Times to the End of the Eighteenth Century. Berkeley: University of California Press, 1967.

GODLAND, Robert. Ecological study of Cerrado vegetation of South-Central Brazil. Thesis, Ph.D., Botany Department. Faculty of Gradute Studies and Research of McGill University. McGill University, Montreal, Canada, 1969.

GOMES, L., MARACAHIPES, L., MARIMON, B.S., REIS, S.M., ELIAS, F., MARACAHIPES-SANTOS, L., MARIMON- JUNIOR, B.H., LENZA, E., Post-fire recovery of savanna vegetation from rocky outcrops. Flora Morphol. Distrib. Funct. Ecol. Plants, v. 209, n. 3–4, p. 201-208, 2014.

GOMES, L., MIRANDA, H., BUSTAMANTE, M. How can we advance the knowledge on the behavior and effects of fire in the Cerrado biome? For. Ecol. Manage. 417, p. 281-290, 2018.

GOMES, Maria do Carmo Andrade. A canção das palmeiras: Eugenius Warming, um jovem botânico no Brasil. Estudo crítico de Birgitte Holten e Michael Sterll. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 2006.

GOTTSBERGER, G. Beetle pollination and flowering rhythm of Annona spp. (Annonaceae) in Brazil. Plant Syst. Evol., 167, p. 165-187, 1989.

GOTTSBERGER, G., SILBERBAUER-GOTTSBERGER, I. Life in the Cerrado: a South American Tropical Seasonal Vegetation, Vol. II. Pollination and seed dispersal. Reta Verlag, Ulm, 2006.

GOTTSBERGER, Gerhard. Generalist and specialist pollination in basal angiosperms (ANITA grade, basal monocots, magnoliids, Chloranthaceae and Ceratophyllaceae): what we know now. Plant Div. Evol., v. 131/4, p. 263-362, 2016.

GRABHERR, G.; KOJIMA, S. Vegetation Diversity and Classification Systems. In: A.M. Solomon & H.H. Shugart (ed.). Vegetation Dynamics & Global Change. New York, Chapman & Hall, 1993, p 218-232.

HARGREAVES, G.H. Climate and irrigation requirements for Brazil. Utah State University, USA, 1976

HENNESSY, Alistair. The Frontier in Latin American History. Londres: Edward Arnold, 1978.

HENRIQUES, R.P.B. Influência da história, solo e fogo na distribuição e dinâmica das fitofisionomias no bioma do Cerrado. In: SCARIOT, A., SOUSA-SILVA, J.C., FELFILI, J.M. (ed.). Cerrado: Ecologia, Biodiversidade e Conservação. Ministério do Meio Ambiente, Brasília, 2005, p. 73-92.

HERBÁRIO VIRTUAL AUGUSTE DE SAINT-HILAIRE. Instituto de Botânica, Muséum National d´Histoire Naturelle, Institut des Herbiers Universitaires, Centro de Referência em Informação Ambiental, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fundação Vitae. Disponível em: http://hvsh.cria.org.br.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

HUECK, K. Sobre a origem dos campos cerrados no Brasil e algumas novas observações no seu limite meridional. Rev. Bras. Geogr, 14, p. 67-82, 1957.

KARASCH, Mary. Before Brasília: Frontier Life in Central Brazil. University of New York Press, 2016.

KLEIN, Aldo Luiz. Eugen Warming e o cerrado brasileiro: um século depois. São Paulo: Editora UNESP, Imprensa Oficial do Estado, 2002.

KURY, L.B. Viajantes e naturalistas do século XIX. In: PEREIRA, P. R.(org). Brasiliana da Biblioteca Nacional – Guia de fontes sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Nova Fronteira, 2001.

KURY, Lorelai Brilhante. Auguste de Saint-Hilaire, viajante exemplar. Intellèctus, Rio de Janeiro, 2 (1), p. 1-11, 2003.

LAUX, J. H.; PIMENTEL, M. M.; DANTAS, E. L.; ARMSTRONG, R.; JUNGES, S. L.; Two Neoproterozoic crustal accretion events in the Brasília Belt, central Brazil. Journal of South American Earth Sciences, 18, p. 183-198, 2005.

MARTINS, Marcos Lobato. História e Meio Ambiente. São Paulo: Annablume, 2007.

MARTIUS, Carl Friedrich Phillip von. The book of palms. Köln: Taschen, 2015.

McCREERY, D. Frontier Goiás, 1822-1889. Stanford: Stanford University Press, 2006.

McNEIL, J.R; ENGELKE, P. The great acceleration: na environmental history of the antropocene since 1945. Cambrigde, Massachusetts: The Belknap Press of Harvard, 2014.

MINOR, H.C. End of tour report: soybean research program EMBRAPA/USAID/Wisconcin Loan agrément 512-L-077. Brasília, DF: EMBRAPA, 1975.

MIRANDA, H.S.; BUSTAMANTE, M.M.C.; MIRANDA A.C. The fire fator. In: OLIVEIRA, P.S.; MARQUIS, R.J. (org.). The cerrados of brazil: ecology and Natural History of a Neotropical Savanna. Columbia University Press, 2002, p. 51-68.

MIYASAKA, S.; MEDINA, J.C. (ed.) A soja no Brasil. Campinas, ITAL, 1981.

NATURAL HISTORY MUSEUM OF DENMARK LIBRARY, BOTANICAL & GEOLOGICAL SECTION. University of Copenhagen, Dinamarca.

NEVES, B. B.N., CORDANI, U.G. Tectonic evolution of South America during the late Proterozoic. Precambrian Research, 53, p. 23-40, 1991.

OLIVEIRA, A.M.F. A diversidade paisagística das savanas brasileiras nas iconografias de Florence e de Martius: alguns aspectos do Cerrado da primeira metade do século XIX. História Revista, v. 22, n. 2, p. 144-166, 2017.

PÁDUA, José Augusto. As bases teóricas da história ambiental. In: FRANCO, J.L.A; DUTRA E SILVA, S.; DRUMMON, J.A.; TAVARES. G.G. História ambiental: fronteiras, recursos naturais e conservação da natureza, editado por. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p. 17-37.

PEIXOTO, J.C.; NEVES B.J.; VASCONCELOS, F.G.; NAPOLITANO, H.B.; BARBALHO, M.G.S.; DUTRA E SILVA, S.; ROSSETO, L.P. Flavonoids from Brazilian Cerrado: Biosynthesis, Chemical and Biological Profile. Molecules. 24(16), aug. 2019. 10.3390/molecules24162891.

PINGALI, P. L. Green revolution: impacts, limits, and the path ahead. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, vol. 109, 31, p. 12.302-12.308, 2012.

POHL, Johann Emanuel. Viagem ao interior do Brasil. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1976.

PROCOPIO, S. de O., et al. Fitorremediação de solo contaminado com picloram por capim-pé-de-galinha- gigante (Eleusine coracana). Rev. Bras. Ciênc. Solo, Viçosa, v. 32, n. 6, p. 2517-2524, Dec. 2008.

RIBEIRO, Wagner Costa. Aqüífero Guarani: gestão compartilhada e soberania. Estud. av., São Paulo, v. 22, n. 64, p. 227-238, Dec. 2008.

RIEDL-DORN, Christa. Johann Natterer e a Missão Austríaca para o Brasil. Petrópolis, RJ: Index, 1999.

ROUBIK, D.W. Ecology and natural history of tropical bees. New York, Cambridge Univ. Press, 1989.

SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem à Província de Goiás. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

SANO, E.E; ROSA, R.; BRITO, J.L.S.; FERREIRA, L.G. Mapeamento de cobertura vegetal do Bioma Cerrado: estratégias e resultados. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2007.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice. O social e o político na transição pós-moderna. São Paulo: Cortez, 1997.

SANTOS, Ronaldo Medeiros dos; KOIDE, Sergio. Avaliação da Recarga de Águas Subterrâneas em Ambiente de Cerrado com Base em Modelagem

Numérica do Fluxo em Meio Poroso Saturado. RBRH, Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 21, n.2, p. 451-451, abr./jun. 2016.

SILVA, C.M. da. Nelson Rockefeller e a atuação da American International Association for Economic and Social Development: debates sobre missão e imperialismo no Brasil, 1946-1961. Hist. cienc. saúde-Manguinhos [online], v.20, n.4, pp.1695-1711, 2013.

SILVA, Claiton Márcio. Between Fenix and Ceres: The Great Acceleration and the Agricultural Frontier in the Brazilian Cerrado. Varia hist., Belo Horizonte, v. 34, n. 65, p. 409-444, 2018.

SILVA, Claiton Márcio. The barren side of Brazil: science, water resources, and the debate on the (in)fertile soils of the Brazilian cerrado, 1892-1942. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 26, n.2, abr.-jun. 2019.

SILVA, F.A.M. da; ASSAD, E.D.; STEINKE, E.T.; MÜLLER, A.G. Clima do Bioma Cerrado. In: ALBUQUERQUE, A.C.S, SILVA, A. G (org.). Agricultura tropical: quatro décadas de inovações tecnológicas, institucionais e

políticas. Volume 1. Embrapa Informação Tecnológica, Brasília, 2008.

SOUZA, F. S. Na imensidão do Cerrado, a [in]domável natureza: sertão, fronteira e viajantes em Goiás na primeira metade do século XIX. In: DUTRA E SILVA, S.; SÁ, D.M.; SÁ, M.R (org.) Vastos Sertões: história e natureza na ciência e na literatura. Rio de Janeiro: Mauad X, 2015.

SPIX, Johann Baptist von; MARTIUS, Carl Friedrich Phillip von. Viagem pelo Brasil. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Ed. Da Universidade de São Paulo, 1981.

STRASSBURG, B. N.; BROOKS, T.; FELTRAN-BARBIERI, R.; IRIBARREM, A.; CROUZEILLES, R.; LOYOLA, R.; LATAWIEC, A.E.; OLIVEIRA FILHO, F.J.B.; SCARAMUZZA, C.A.M.; SCARANO, F.R.; SOARES-FILHO, B.; BALMFORD, A. Moment of truth for the Cerrado hotspot. Nature Ecology & Evolution 1, 0099, p. 1-3, 2017.

TURNER, F.J. The frontier in American history. Mineola, Nova York: Dover Publications, 2010.

UCLA. Library Special Collections, Charles E. Young Research Library, University of California, Los Angeles. VAN AUSDAL, S.; WILCOX R. W. Hoofprints: Ranching and Landscape Transformation. In: LEAL, C., PÁDUA, J. A.; SOLURI, J. New Environmental Histories of Latin America and the Caribbean. Münich: RCC Perspectives, 2013, n. 7, p. 73-79.

VENTURIERI, Giorgio Cristino. Criação de abelhas indígenas sem ferrão. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2008.

VERNETTI, F. de J.; GASTAL, M.F. da C. Descrição botânica da soja. Pelotas, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Unidade de Execução de Pesquisa de Âmbito Estadual de Pelotas, 1979. (EMBRAPA. UEPAE/Pelotas. Circular Técnica, 7)

VIERA FILHO, J. E. R. Expansão da fronteira agrícola no Brasil: desafios e perspectivas. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Brasília: Rio de Janeiro: Ipea, 2016.

WAIBEL, Leo. A Vegetação e o Uso da Terra no Planalto Central. Revista Brasileira de Geografia, Ano X, n. 02, p. 335-380, 1948.

WARMING, Eugenius. Lagoa Santa. Et bidrag til den biologiske plantegeografi. Kopenhagen: Bianco Lunos Kgl. Hof-Bogtrykkeri, 1892.

WEBB, W.P. The great frontier. Reno, Las Vegas: University of Nevada Press, 2003.

WILCOX, Robert W. Cattle in the backlands: Mato Grosso and the Evolution of Ranching in the Brazilian Tropics. AustIn: University of Texas Press, 2017.

WORSTER, Donald (ed.). The ends of the Earth: perspectives on modern environmental history. New York: Cambrigde University Press, 1988.

WORSTER, Donald. Under Western skies: nature and history in the American West. Nova York: Oxford University Press, 1992.

WULF, Andrea. The invention of nature: Alexander Von Humboldt’s new world. New York: Alfred A. Knoft, 2015.

Publicado
2020-04-28
Como Citar
Dutra e Silva, S., & Barbosa, A. S. (2020). Paisagens e fronteiras do Cerrado: ciência, biodiversidade e expansão agrícola nos chapadões centrais do Brasil. Estudos Ibero-Americanos, 46(1), e34028. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2020.1.34028
Seção
Dossiê: Escrevendo a história ambiental da América Latina: processos de ocupação, exploração e apropriação da natureza