Disputa do fundo público em tempos de pandemia no Brasil

Palavras-chave: Fundo público, Austeridade fiscal, Pandemia

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a execução orçamentária dos recursos do fundo público destinados especificamente para ações de combate à COVID--19, no âmbito do estado de calamidade pública que o Brasil vivencia, problematizando com a política de austeridade fiscal, em particular, os efeitos da Emenda Constitucional 95 nos gastos públicos. Para tanto, realizou-se um levantamento da execução orçamentária no sistema SIGA Brasil do Senado Federal e nos dados orçamentários disponibilizados no Painel Covid pelo Instituto Fiscal Independente (IFI). Os resultados da análise demonstram que as políticas de austeridade vêm ocasionando um efeito devastador nos gastos públicos brasileiro, implodindo a estrutura de recursos vinculados às políticas sociais definida na Constituição Federal de 1988. A execução das ações orçamentárias referentes ao novo coronavírus estão aquém do necessário, sobretudo, na política de saúde pública. O fundo público que o prioriza o pagamento de juros da dívida pública tem se mostrado insuficiente para fazer frente aos desafios e efeitos do agravamento das desigualdades sociais, do desemprego e fome que assola o país em tempos de pandemia no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evilasio da Silva Salvador, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil

Doutor e Mestre em Política Social pela Universidade de Brasília (UnB), em Brasília, DF, Brasil. Economista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); professor no Programa de Pós-Graduação em Política Social e no Departamento de Serviço Social da UnB, em Brasília. Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq.

Referências

BEHRING, Elaine. Escassez é um mito vendido caro: sobre o orçamento público em tempos de pandemia. In: Esquerda online, [s. l.], 19 mar. 2020. Disponível em: https://esquerdaonline.com.br/2020/03/19/escassez-e-um-mito-vendido-caro-sobre-o-orcamento-publico-em-tempos-de-pandemia/. Acesso em: 20 set. 2020.

BEHRING, Elaine; BOSCHETTI, Ivanete. “Transferência de renda”, teto de gastos e oportunismo: para uma crítica de esquerda. In: Esquerda online, [s. l.], 18 ago. 2020. Disponível em: https://esquerdaonline.com.br/2020/08/18/transferencia-de-renda-teto-de-gastos-e-oportunismo-para-uma-critica-de-esquerda/. Acesso em: 24 set. 2020.

BLYTH, Mark. Austeridade: a história de uma ideia perigosa. São Paulo: Autonomia Literária, 2008. CARDOSO JR, José. C.; RAIMUNDO, Lício DA C. Ilusões fiscais: equívocos do monetarismo e colapso histórico do liberalismo econômico. Revista Brasileira de Planejamento e Orçamento, v. 10, n. 1, p. 50–65, 2020.

CASTRO, Jorge; RIBEIRO, José; CHAVES, José; DUARTE, Bruno. Gasto Social Federal: prioridade macroeconômica no período 1995-2010. Brasília: IPEA, setembro 2012. Nota técnica, no 11.

CISLAGHI, Juliana Fiuza. Do neoliberalismo de cooptação ao ultraneoliberalismo: respostas do capital à crise (partes 1, 2 e 3). In: Esquerda online, [s. l.], 08 jun. 2020. Disponível em: https://esquerdaonline.com.br/2020/06/08/do-neoliberalismo-de-cooptacao-ao-ultraneoliberalismo-respostas-do-capital-a-crise/. Acesso em: 24 jul. 2020.

DARDOT, Pierre. LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DWECK, Esther; GAIGER, Fernando; ROSSI, Pedro. Austeridade e desigualdade social no Brasil. In: ROSSI, Pedro; DWECK, Esther; OLIVEIRA, Ana. (org.). Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018. p. 32-56.

FAGNANI, Eduardo. Austeridade e seguridade: a destruição do marco civilizatório. In: ROSSI, Pedro; DWECK, Esther; OLIVEIRA, Ana. (org.). Economia para poucos impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018. p. 57-82.

GPMB. Global Preparedness monitoring board. Um mundo em peligro. Geneva: World Health Organization e World Bank Group, set. 2019. Informe anual sobre a preparación mundial para las emergencias sanitaris. IPEA. Carta de conjuntura. Brasília: IPEA, 3º. trimestre de 2020.

OLIVEIRA, Fabrício. Economia política das finanças públicas no Brasil: um guia de leitura. São Paulo: Editora Hucitec, 2009. https://doi.org/10.1590/S010131572010000300011

PALOS, Aurélio et al. Nota Técnica Expositiva da EC 106/2020. Brasília: Câmara dos Deputados, 2020. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/orcamento-da-uniao/estudos/2020/NotaTecnicaConjuntaNo022020EC1062020.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

PISCITELLI, Roberto. B.; TIMBÓ, Maria. Z. F.; ROSA, Maria. B. Contabilidade pública: uma abordagem da administração financeira pública. 9a. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2006.

PUELLO-SOCARRÁS, José. Neoliberalismo, antineoliberalismo, nuevo neoliberalismo: episodios y trayectorias económico-políticas suramericanas (1973-2015). In: VILLAGRA, L. R. (coord.). Neoliberalismo en America Latina: crisis, tendencias y alternativas. Buenos Aires: Clacso, 2015. p. 19-42.

RODRIGUES, Júlia. Subsídios acerca da adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória no 970, de 25 de maio de 2020. Brasília: Câmara dos Deputados, 2020.

ROSSI, Pedro; DWECK, Esther; OLIVEIRA, Ana. Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

SALVADOR, Evilasio da Silva. O desmonte do financiamento da seguridade social em contexto de ajuste fiscal. Serviço social & Sociedade, São Paulo, v. 3, p. 426-446, 2017. https://doi.org/10.1590/0101-6628.117

SALVADOR, Evilasio. Fundo público e políticas sociais na crise do capitalismo. Serviço social & Sociedade, São Paulo, v. 104, n. 104, p. 605-631, dez. 2010. https://doi.org/10.1590/S0101-66282010000400002

SALVADOR, Evilasio. Fundo público e financiamento da política de saúde em tempos de austeridade fiscal. In: ANDRADE, Roberta; PINHEIRO, Hamida; VALLINA, Kátia (org.). Campo Minado: as investidas do capital contra a Seguridade Social Brasileira. São Paulo: Alexa Cultural, 2020a. p. 31-53.

SALVADOR, Evilasio. Fundo público e conflito distributivo em tempos de ajuste fiscal no Brasil. In: CASTRO, Jorge Abrahão de; POCHMANN, Marcio (org.). Brasil: Estado Social contra a Barbárie. São Pulo: Fundação Perseu Abramo, 2020b. p. 367-388.

SANTOS, Reginaldo. A teoria das finanças públicas no contexto do capitalismo. São Paulo: Mandacaru, 2001.

STREECK, Wolfgang. Tempo comprado: a crise adiada do capitalismo democrático. São Paulo: Boitempo, 2018.

TEIXEIRA, Sandra. BOSCHETTI, Ivanete. O draconiano ajuste fiscal no Brasil e a expropriação de direitos da seguridade social. In: SALVADOR, Evilasio; BEHRING, Elaine; LIMA, Rita (org.). Crise do capital e fundo público: implicações para o trabalho, os direitos e a política social. São Paulo: Cortez Editora, 2019. p. 67-98.

VIEIRA, Fabíola; BENEVIDES, Rodrigo. Os impactos do novo regime fiscal para o financiamento do Sistema Único de Saúde e para a efetivação do direito à saúde no Brasil. Brasília: IPEA, set. 2016. Nota técnica no. 28.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
da Silva Salvador, E. . (2020). Disputa do fundo público em tempos de pandemia no Brasil. Textos & Contextos (Porto Alegre), 19(2), e39326. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2020.2.39326
Seção
Artigos e Ensaios