Cultura de Paz

Aspectos históricos e conceituais

Palavras-chave: Estudos de paz, Violência, Cultura de paz, Comunicação não violenta

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir a concepção de paz como constructo cultural e de oposição à passividade diante da injustiça social. Realiza um percurso histórico e conceitual sobre a construção da Cultura de Paz, trazendo as principais apreensões sobre paz que influenciaram a organização da vida em sociedade. O estudo é oriundo de revisão bibliográfica, utilizando-se do método crítico-dialético para investigação analítica e exposição dos resultados da pesquisa. As análises evidenciaram que a Cultura de Paz, ao buscar resolver os conflitos, contribui para o enfrentamento da cultura dominante, em que a violência é combatida por meio do confronto e construtos ideológicos que a justifica e naturaliza. Desse modo, é possível asseverar que Cultura e a Educação para a Paz são potencialidades para a construção do conhecimento e afirmação da democracia, pois buscam a edificação genuína das relações humanas, embasadas em valores de justiça social, solidariedade e liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Barros de Oliveira, Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), São Borja, RS, Brasil.

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Professora associada da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), em São Borja, RS, Brasil.

Monique Soares Vieira, Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), São Borja, RS, Brasil.

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS. Professora adjunta da Universidade Federal do Pampa, (UNIPAMPA), em São Borja, RS, Brasil.

Letícia Brum, Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), São Borja, RS, Brasil.

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), em São Borja, RS, Brasil.

Referências

AMARAL, Rodrigo Augusto Duarte. Considerações sobre a violência pela ótica de Johan Galtung: alguns aspectos do terrorismo e o advento da intolerância. Cadernos de Campo: Revista de Ciências Sociais. n. 19, p. 101-116, 2015. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/cadernos/article/view/7661/5530. Acesso em: 20 maio 2017.

BOFF, Frei Clodóvis. Apresentação. In: TOLSTOI, Leon. O Reino de Deus está em Vós. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1994.

BROOKS, Silmalila Remedios. Violência na sala de aula a luz da psicanálise e da educação para a paz. 2015. Dissertação (Mestrado em Psicologia) –Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/41246/R%20-%20D%20-%20SILMALILA%20REMEDIOS%20BROOKS.pdf?sequence=2&isAllowed=y. Acesso em: 20 jan. 2020.

CALLADO, C.V. Educação para a Paz: promovendo valores humanos na escola através da educação física e dos jogos cooperativos. Santos, SP: Editora Projeto Cooperação Ltda, 2004.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris: Assembleia Geral das Nações Unidas, 1948. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/91601-declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 2 abr. 2015.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação para a paz. [S. I.], 2008. Disponível em: http://www.sociologia.org.br/tex/educacaop araapaz.htm. Acesso em: 2 jul. 2017.

DISKIN, Lia. Cultura de paz: redes de convivência. São Paulo: Senac. 2009.

ENABNED. Contemporaneidade dos conceitos de paz. São Paulo: Editora UFS, 2014.

FALEIROS, E. T. S. Repensando os Conceitos de Violência, Abuso e Exploração Sexual de Crianças e de Adolescentes. Brasília: MJ/DCA/UNICEF/VISÃO MUNDIAL/CECRIA, 2000.

FERREIRA, Marcos Panorama da política de segurança dos Estados Unidos após o 11 de setembro: O espectro neoconservador e a reestruturação organizacional do Estado. In: SOUZA, André; NASSER, Reginaldo; MORAES, Rodrigo. Do 11 de setembro de 2001 à Guerra ao Terror: Reflexões sobre o terrorismo no século XXI. Brasília: IPEA, 2014.

GALTUNG, Johan. Hay alternativas! Cuatro caminos hacia la paz y la seguridade. Madrid: Tecnos, 1985.

GALTUNG, Johan. Cultural violence. Journal of Peace Research, Manoa, v. 27, n. 3, p. 291-305, ago. 1990. Disponível em: https://www.galtung-institut.de/wp-content/uploads/2015/12/Cultural-Violence-Galtung.pdf. Acesso em: 14 jun. 2019.

GALTUNG, Johan. Peace by Peaceful Means: Peace and Conflict, Development and Civilization. New York: Sage Publications. 1996.

GUIMARÃES, Marcelo Rezende. Educação para a Paz: Sentidos e Dilemas. São Paulo: Educs, 2011.

HAAVELSRUD, Magnus. Sources of Political Socialization. In: CALLEJA, J.; PERUCCA, A. (ed.). Peace Education: Contexts and Values. Lecce: UNESCO: Pensa Publishers 1999. p. 55-80.

JARES, Xésus. Educação para a Paz: Sua Teoria e sua Prática. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JARES, Xésus. Educação para a Paz. São Paulo: Palas Athena, 2007.

KANT, Immanuel. À paz perpétua. Porto Alegre: L&PM, 1989.

LÓPEZ, Cándida Martinéz. Las mujeres y la Paz en la Historia. Aportaciones desde el mundo antiguo. In: MUÑOZ, Francisco A; MARTÍNEZ, Mario López. Historia de la Paz. Actores, espacios y tempos. Granada: Universidad de Granada, 2000.

LIMA, Francisco Jozivan Guedes de. O projeto Kantiano para a paz perpétua: pressupostos morais, jurídicos e políticos. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Ceará, Ceará, 2012. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6567. Acesso em: 10 nov. 2017.

MAÇANEIRO, Marcial. A Paz Em Perspectiva Judaica, Cristã e Muçulmana: Valores e Estratégias. Revista Caminhos, Goiânia, v. 11, n. 1, p. 67-84, jan./jun. 2013. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/article/view/2471/1530. Acesso em: 15 out. 2017.

MALDONADO, Maria Tereza. Os construtores da paz: caminhos da prevenção da violência. São Paulo: Moderna, 1997.

MULLER, Jean-Marie. O princípio da não-violência: uma trajetória filosófica. Tradução de Inês de Polegato. São Paulo: Palas Athena, 2007.

OLIVEIRA, Simone Barros de. Interfaces da Cultura da Paz com o projeto ético-político do Serviço Social. 2009. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/472/1/425482.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

OLIVEIRA, Simone Barros de; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; OLIVEIRA, M. S. Paz, Liberdade e Justiça Social: Ensaio sobre a Rejeição ao Institucionalismo. CEEINTER, São Borja, v. 2, p. 73-85, 2020.

OLIVEIRA, Simone Barros de; BRUM, Letícia. Souza; ALMEIDA, Cristóvão Domingos. Da Comunicação Não-Violenta à Cultura de Paz: Círculos, Narrativas e Contribuições. Revista Observatório, Palmas, v. 5, p. 1-28, 2019.

OLIVEIRA, Ariana Bazzano de. O Percurso do Conceito de Paz: de Kant à atualidade. In: SIMPÓSIO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS SAN TIAGO DANTAS, 1., 2017, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: UNESP: UNICAMP: PUC-SP, 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/2076423/O_Percurso_do_conceito_de_Paz_de_Kant_%C3%A0_atualidade. Acesso em: 15 nov. 2018.

PUREZA. José Manuel. Estudos sobre a Paz e Cultura da Paz. Intervenção proferida em jul. 2000. Colóquio Prevenção de Conflitos e Cultura da Paz. Lisboa: Instituto da Defesa Nacional, jul. 2000.

RAYO, José Tuvilla. Educação em Direitos Humanos: Rumo a uma perspectiva global. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

ROHDEN, Valério (coord.). Kant e a instituição da Paz. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, Goethe-Institut/ ICBA, 1997.

ROLDÁN, Minerva Alganza. Eiréne y otras palabras griegas sobre la paz. Roldán Instituto de la Paz y los Conflictos. Granada: Universidad de Granada, 1998. Disponível em: http://wpd.ugr.es/~eirene/wp-content/files/publicaciones/ColeccionEirene/eirene10/eirene10cap4.pdf. Acesso em: 23 ago. 2017.

SÁ, Marina. Desobediência civil: um meio de se exercer a cidadania. In: passei direto. Disponível em: https://www.passeidireto.com/arquivo/90154386/desobediencia-civil-um-meio-de-se-exercer-a-cidadania-civil-artigo-juridico-dire/3. Acesso em: 20 ago. 2017.

SÉMELIN, J. Pour sortir de la violence. Paris: Les Éditions Ouvrières, 1983

SERIQUE, Israel. Pax Romana e a Eirene do Cristo. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 21, n. 1/3, p. 119-134, jan./mar. 2011. Disponível em: http://seer.ucg.br/index.php/fragmentos/article/viewFile/1667/1057. Acesso em: 24 jun. 2017.

SILVA, Jorge Vieira da. A verdadeira paz: desafio do Estado democrático. São Paulo Perspectiva, São Paulo, v. 16, n. 2, jun. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&a m p ; p i d = S 0 1 0 2 - 8 8 3 9 2 0 0 2 0 0 0 2 0 0 0 0 5 & a m p ; lng=en&nrm=iso&gt. Acesso em: 1 jul. 2017.

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LENCAR, Eunice Soriano de. Como desenvolver o potencial criador: um guia para a liberação da criatividade em sala de aula. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

BAVARESCO, Agemir; BARBOSA, Evandro; ETCHEVERRY, Katia Martin (org.). Projetos de filosofia. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011. E-book. Disponível em: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/projetosdefilosofia.pdf. Acesso em: 21 ago. 2011.

MARTINS, Everton. O capital social, os atores sociais e as novas Tics. In: BERAS, Cesar (org.). Tecendo a construção do conhecimento. Porto Alegre: Evangraf, 2015. cap. 2, p. 43-58.

RODRIGUES, Ana Lúcia Aquilas. Aspectos éticos. In: RODRIGUES, Ana Lúcia Aquilas. Impacto de um programa de exercícios no local de trabalho sobre o nível de atividade física e o estágio de prontidão para a mudança de comportamento. 2009. Dissertação (Mestrado em Fisiopatologia Experimental) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

Publicado
2021-12-30
Como Citar
Oliveira, S. B. de, Vieira, M. S., & Brum, L. (2021). Cultura de Paz: Aspectos históricos e conceituais. Textos & Contextos (Porto Alegre), 20(1), e38618. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2021.1.38618
Seção
Artigos e Ensaios