Violência contra mulheres idosas em Manaus

Do silêncio ao enfrentamento

Palavras-chave: Idosos, Rota crítica, Violência contra a mulher idosa, Rede de proteção.

Resumo

A violência contra a pessoa idosa é um grave problema mundial, cujas manifestações têm profundos impactos na saúde e na qualidade de vida dessas pessoas. Como problema sócio-histórico, a violência faz parte da história da humanidade e tem se manifestado de forma crescente contra mulheres, incluindo as idosas. O objetivo deste artigo é analisar as experiências sociais de mulheres idosas que sofreram violência e buscaram a rede de proteção, e a perspectiva dos profissionais que atuam nos serviços de atendimento à violência contra a pessoa idosa em Manaus. Os resultados apontam para a compreensão de violência associada à violência física predominantemente, seguida da violência verbal e moral, todas vivenciadas no âmbito das relações interpessoais. Apontam também para a necessidade de divulgar os instrumentos de proteção legal e capacitar melhor os profissionais para tratar as especificidades desse grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kennya Márcia dos Santos Mota Brito, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Assistente Social, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS

Patricia Krieger Grossi, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Assistente Social, PhD em Serviço Social, Universidade de Toronto, Canada. Docente do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS.

Márcio Lima Grossi, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Cirurgião dentista, PhD, University of Toronto, Canadá. Docente da Escola de Ciências da Saúde e da Vida, PUCRS.

Referências

AMAZONAS. Secretaria de Estado de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. Relatório de Atividades do Centro Integrado de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa - CIPDI. Manaus/AM: [s.n.], 2018.

BARUFALDI, L. A. et al. Violência de gênero: comparação da mortalidade por agressão em mulheres com e sem notificação prévia de violência. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 9, p. 2929-2938, 2017. https://doi.org/10.1590/1413-81232017229.12712017

BRASIL. Lei n. 10.741, de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União, 03 out. 2003.

BRASIL. Lei no. 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 08 ago. 2006.

BRASIL. Presidência da República. Direitos humanos: percepções da opinião pública: análises de pesquisa nacional. Organização Gustavo Venturi. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos, 2010.

CACHINA, A. de M. P.; PAIVA, I. L. de; TORRES, T. de L. Intrafamily violence against the elderly: Systematic review. Liberabit: Revista Peruana de Psicología, v. 22, n. 2, p. 185-196, 2016. https://doi.org/10.24265/liberabit.2016.v22n2.06

CAMARGOS, M. C. S.; MACHADO, C. J.; RODRIGUES, R. do N. A relação entre renda e morar sozinho para idosos paulistanos – 2000. R Bras Est Pop, v. 24, n. 1, p. 37-51, 2007. https://doi.org/10.1590/S0102-30982007000100004

CAMARGOS, M. C. S.; RODRIGUES, R. N. Idosos que vivem sozinhos: como eles enfrentam dificuldades de saúde. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 16., 2008, Caxambú. Anais...Caxambú: 2008.

DE SOUZA, E. R. et al. Rede de proteção aos idosos do Rio de Janeiro: Um direito a ser conquistado. Ciencia e Saude Coletiva, v. 13, n. 4, p. 1153-1163, 2008.https://doi.org/10.1590/S1413-81232008000400011

DONG, X.; CHEN, R.; SIMON, M. A. Elder mistreatment in U.S community-dwelling chinese older women. Sage, v. 22, n. 9, p. 1097-1122, 2016. https://doi.org/10.1177/1077801215618804

DUQUE, A. M. et al. Violência contra idosos no ambiente doméstico: Prevalência e fatores associados (Recife/PE). Ciencia e Saude Coletiva, v. 17, n. 8, p. 2199-2208, 2012. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000800030

FALEIROS, V. de P. Violência contra a pessoa idosa: ocorrências, vítimas e agressores. Brasília: Universa, 2007.

FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO. Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativa na 3. idade. 2007. Parceria com SESC Nacional e SESC/SP. Disponível em: <https://fpabramo.org.br/publicacoes/wp-content/uploads/sites/5/2017/05/Idosos_no_Brasil_Graficos.pdf>. Acesso em: 27 fev. 2020. https://fpabramo.org.br/publicacoes/wp-content/uploads/sites/5/2017/05/Idosos_no_Brasil_Graficos.pdf

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Projeções da População. Maio 2019. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109-projecao-da-populacao.html?edicao=21830&t=resultados>. Acesso em: 27 fev. 2020.

KISS, L. B.; SCHRAIBER, L. B. Possibilidades de uma rede intersetorial de atendimento a mulheres em situação de violência. Interface comunicação saúde educação, v. 11, n. 23, p. 485-501, 2007.

MENEGHEL, S. N. et al. Critical trajectories of female victims of gender violence: discourse analysis of women and staff professionals in Porto Alegre, Rio Grande do Sul State, Brazil. Cadernos de saude publica, v. 27, n. 4, p. 743-752, 2011.https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011000400013

MENEGHEL, S. N.; SAGOT, M. Práticas discursivas, gênero e sofrimento emocional. In: MENEGHEL, S. N. (Org.). Rotas críticas II: ferramentas para trabalhar com gênero. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009.

MEYER, S. R.; LASATER, M. E.; GARCIA-MORENO, C. Violence against older women: a protocol for a systematic review of qualitative literature. BMJ Open, v. 9, n. 5, p. 1-6, 2019.

MINAYO, M. C. de S. Violência e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006. v. 13. https://doi.org/10.1136/bmjopen-2018-028809

MONTEIRO, Y. A idosa e a Lei Maria da Penha. In: SILVA, L. J. A. da (Ed.). Temas de Direitos Difusos: diálogos interdisciplinares. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2014.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciênc. educ. (Bauru), v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132003000200004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 05 mar. 2020. https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004

OLIVEIRA, A. P. de S.; AREQUE, I. C. Atenção interinstitucional à violência contra a pessoa idosa em Manaus (AM). In: JORNADA INTERNACIONAL POLÍTICAS PÚBLICAS, 8., 2017, São Luís. Anais... São Luís: Universidade Federal do Maranhão, 2017.

OSTERMANN, A. C. Análise da Conversa (Aplicada) como uma abordagem para o estudo de linguagem e gênero: O caso dos atendimentos a mulheres em situação de violência no Brasil. In: MENEGHEL, S. N. (Org.). Rotas críticas II: ferramentas para trabalhar com gênero. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009. p. 142-171.

PAIVA, M. M. de; TAVARES, D. M. dos S. Violência física e psicológica contra idosos: prevalência e fatores associados. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 68, n. 6, p. 1035-1041, 2015.

PIRI, N. et al. Domestic elder abuse and associated factors in elderly women in Tehran, Iran. Epidemiology and Health, v. 40, p. 1-7, 2018. https://doi.org/10.4178/epih.e2018055

PRESSER, A. D.; MENEGHEL, S. N.; HENNINGTON, É. A. Mulheres enfrentando as violências: a voz dos operadores sociais. Saude e Sociedade São Paulo, v. 17, n. 3, p. 126-137, 2008.

SAFFIOTI, H. I. B. Gênero, patriarcado e violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SAGOT, M.; SHRADER, E. La ruta critica que siguen las mujeres afectadas por la violencia intrafamiliar: protocolo de investigación. Washington, DC: OPS, 1998

SAGOT, M. La ruta crítica de las mujeres afectadas por la violencia intrafamiliar en América Latina. [S.l.]: Organización Panamericana de la Salud, 2000.

SCOTT, J. Gênero: Uma Categoria Útil Para Análise Histórica. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, p. 1-35, 1995.

SILVA, C. F. S.; DIAS, C. M. de S. B. Violência Contra Idosos na Família: Motivações, Sentimentos e Necessidades do Agressor. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 36, n. 3, p. 637-652, 2016. https://doi.org/10.1590/1982-3703001462014

SIMMONS, B.; BAXTER, J. S. Intimate partner violence in older women: what home healthcare clinicians should know. Home Healthcare Nurse: The Journal for the Home Care and Hospice Professional, v. 28, n. 2, p. 82-89, 2010. https://doi.org/10.1097/NHH.0b013e3181cb52a3

SOUTO, R. Q. et al. Older Brazilian women’s experience of psychological domestic violence: A social phenomenological study. International Journal for Equity in Health, v. 14, n. 44, p. 1-9, 2015. https://doi.org/10.1186/s12939-015-0173-z

TILDEN, V. P. et al. Factors that influence clinicians’ assessment and management of family violence. American Journal of Public Health, v. 84, n. 4, p. 628-633, 1994. https://doi.org/10.2105/AJPH.84.4.628

UNITED NATIONS. General Assembly Resolution No. 48/104 of December 1993. Declaration on the elimination of violence against women. Geneva: Office of the United Nations High Commissioner for Human Rights, 1993.

VENTURINI, G.; RECAMÁN, M.; OLIVEIRA, S. de (Orgs.). A mulher brasileira nos espaços público e privado. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Missing voices: view of older persons on elder abuse. Genebra: [s.n.], 2002.

Publicado
2020-10-21
Como Citar
Brito, K. M. dos S. M., Grossi, P. K., & Grossi, M. L. (2020). Violência contra mulheres idosas em Manaus: Do silêncio ao enfrentamento. Textos & Contextos (Porto Alegre), 19(1), e37325. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2020.1.37325
Seção
Artigos e Ensaios