Um estudo de caso sobre as tecnologias digitais e o ensino de línguas estrangeiras em uma escola do campo no município de Cáceres-MT

Adaptações, complexidades e autoorganizações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/1984-7726.2022.1.41956

Palavras-chave:

Complexidade, Educação do Campo, Língua Estrangeira, Tecnologias Digitais, Sistemas Dinâmicos Complexos

Resumo

Esta pesquisa buscou analisar em que medida as tecnologias digitais (TD) podem ser articuladas nas práticas de ensino de professores de Língua Estrangeira, em uma Escola do Campo, no município de Cáceres-MT. O estudo foi pautado na Teoria dos Sistemas Dinâmicos Complexos que proporcionou uma visão ampliada do funcionamento dinâmico entre as partes e o todo sistêmico da Escola do Campo analisada. A metodologia eleita foi o Estudo de Caso. A análise dos dados elucidou que o uso de tecnologias digitais nesse contexto é
limitado, e está atrelado à vários fatores. Os dados apontaram que os professores não dispõem de um prognóstico quantitativo quanto a disponibilidade de equipamentos e recursos logísticos voltados para o acesso à internet dos alunos em suas residências (fazendas, comunidades, assentamentos). Este fato dificulta a promoção de práticas mediadas por TD e, consequentemente, o trabalho com os letramentos digitais. Além disso, a análise dos dados apontou ainda que a concepção de Tecnologias Digitais dos professores está estreitamente relacionada ao acesso à internet. Ou seja, para os professores, as possibilidades de apropriação das tecnologias digitais não fazem nenhum sentido se estiverem desconectadas da internet. Esse entendimento revela um desalinhamento com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que orienta as práticas contemporânea de ensino e de aprendizagem no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adson Luan Duarte Vilasboas Seba, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Cáceres, MT, Brasil.

Mestre em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Cáceres, MT, Brasil Pesquisador do CNPq (427522/2016-1), membro do grupo de pesquisa LINTECLA (CNPq).

Valdir Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Cáceres, MT, Brasil.

Doutor em Linguística Aplicada pelo POSLIN (UFMG) e mestre em Linguística Aplicada pelo IEL (UNICAMP). Professor do Curso de Letras do Programa de Pós-graduação em Linguística e do ProfLetras Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Cáceres, MT, Brasil. Pesquisador do CNPq (427522/2016-1), líder do grupo de pesquisa LINTECLA (CNPq).

Referências

BARTON, D; LEE, C. Linguagem Online: textos e práticas digitais. Tradução de Milton Camargo Mota. 1 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio/Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília, DF: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394/96. Brasília, DF, 20 de dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 8 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. ResoluçãoCNE/CEB nº 02, de 28 de abril de 2008. Brasília, DF, 28 abr. 2008.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/resolucao_2.pdf. Acesso em: 8 out. 2020.

DAVIS, B.; SUMARA, D. Complexity and education: inquiries into learning, teaching and research. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2006.

DÖRNEY, Z. Research methods in Applied Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HAGGIS, T. Knowledge must be contextual: some possible implications of complexity and dynamic systems theories for educational research. Educational Philosophy and Theory, London, v. 40, n. 1, p. 158- 176, 2008.

HETHERINGTON, L. Complexity Thinking and Methodology: The Potential of Complex Case Study for Educational Research. Complicity: An International Journal of Complexity and Education, Thessaloniki. v. 10, n. 1, p. 71-85, 2013. Disponível em: https://bit.ly/35vrTsJ. Acesso em: 8 out. 2020.

HOLLAND, J. H. A Ordem Oculta: como a adaptação gera a complexidade. Tradução de José Luiz Malaquias. Lisboa: Gradativa, 1997.

IBGE. PNAD Contínua TIC 2018: Internet chega a 79,1% dos domicílios do país. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3uSJkyo. Acesso em: 8 out. 2020.

LARSEN-FREEMAN, D. Complexity theory: The lessons continue. In:Celebration of Diane Larsen-Freeman. Amsterdam.John Benjamins Publishing Company, 2017. p. 11-50.

LEMKE, J; SABELLI, N. Complex Systems and Educational Change: Towards a New Research Agenda. In: MASON, M. Complexity Theory and Philosophy of Education. 1. ed. Thessaloniki. Wiley-Blackwell, 2008. p. 112-123.

LEMOS, A. Cibercultura: Alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, A.; CUNHA, P. (org.). Olhares sobre a Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 11-23.

KATZ, D.; KAHN, P. L. Psicologia Social das Organizações. São Paulo: Atlas, 1987.

LARSEN-FREEMAN, D.; CAMERON, L. Complex systems and applied linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2008

LORENZ, E. N. Does the flap of a butterfly’s wings in Brazil set off a tornado in texas? In: Meeting of the American Association for the advancement of science. Washington: Unpublished,1972. Disponível em: https://bit.ly/3Jdtgya. Acesso em: 23 dez. 2021.

MAFFEZZOLLI, F. C. E.; BOEHS, E. G. C. Uma reflexão sobre o estudo de caso como método de pesquisa. Rev. FAE, Curitiba, v. 11, n. 1, p. 95-110, 2008.

MEDEIROS, E. A; MENEZES, M. A. G. Educação do campo: estudo sobre a base nacional comum curricular a partir de percepções de professores/as da área de ciências humanas. Revista Cocar, Belém, v. 14, n. 28, p. 17-32, jan./abr. 2020

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. rev. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva, Jeanne Sawaya. Revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2011.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2005.

MORIN, Edgar. La méthode I. La nature de la nature. Paris: Seuil, 1977.

PAIVA, V. L. M. O. Manual de Pesquisa em Estudos Linguísticos. 1. ed. São Paulo: Parabola, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC). Brasília. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 23 out. 2019.

QUEIROZ, J. B. P. A educação do campo no Brasil e a construção das escolas do campo. Revista NERA, Presidente Prudente, ano 14, n. 18, p. 37-46 jan./jun. 2011.

PAGE, S. E. Prefácio. In: FURTADO, B. A.; SAKOWSKI, P. A. M.; TÓVOLLI, M. H. Modelagem de sistemas complexos para políticas públicas. Brasília: IPEA, 2015. p. 11-17.

SANTAELLA, L. Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus, 2007.

SEBA, A. L. D. V. Entre adaptações e complexidades: um estudo sobre o processo de ensino de língua estrangeira mediado por tecnologias digitais em uma escola do campo no município de Cáceres-MT. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Educação e Linguagem. Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso. Cáceres, 2020.

SILVA, V. A dinâmica caleidoscópica do processo de aprendizagem colaborativa: um estudo na perspectiva da complexidade/caos. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) — Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Linha de Pesquisa: Linguagem e Tecnologia. Belo Horizonte, 2008.

RAND, W. Sistemas complexos: conceitos, literatura, possibilidades e limitações. In: FURTADO, B. A.; SAKOWSKI, P. A. M.; TÓVOLLI, M. H. Modelagem de sistemas complexos para políticas públicas. Brasília: IPEA, 2015. p. 43-63.

TRINDADE, R. P. SOUSA NETO, J. M. A gestão escolar como um sistema. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS: O PENSAMENTO SISTÊMICO E A INTERDISCIPLINARIDADE: DEBATES E DISCUSSÕES, 11., 2015, Franca. Anais do Congresso Brasileiro de Sistemas Franca, 29 e 30 out. 2015.

VIEIRA, S, L. Educação básica: política e gestão da escola. Fortaleza: Líber Livro, 2008.

YARIME, M; KHARRAZI, A. O ambiente como sistema socionatural, dinâmico e complexo: oportunidades e desafios de políticas públicas na promoção da sustentabilidade global. In: FURTADO, A. B. et al. Modelagem de sistemas complexos para políticas públicas. Brasília: IPEA, 2015. p. 141-156.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

2022-03-09

Como Citar

Seba, A. L. D. V., & Silva, V. (2022). Um estudo de caso sobre as tecnologias digitais e o ensino de línguas estrangeiras em uma escola do campo no município de Cáceres-MT: Adaptações, complexidades e autoorganizações. Letras De Hoje, 57(1), e41956. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2022.1.41956