Dissonância no conto brasileiro contemporâneo de autoria feminina

Escrevivência nos contos de Maria Helena Vargas da Silveira (1940-2009)

Palavras-chave: Escrevivência, Literatura afrofeminia, Helena do Sul

Resumo

Ao traçarmos um perfil das autoras brasileiras contemporâneas que publicaram coletâneas de contos nos últimos trinta anos, percebemos uma gama de nomes. Dessa maneira, recortamos uma lista das vencedoras do prêmio Jabuti de 1990 a 2020 para, então, delineamos um perfil dessas escritoras. Notamos, então, que a única mulher negra a vencer a premiação nesses trinta anos foi Conceição Evaristo (1946- ). Descartando o argumento de que as mulheres negras não têm publicado, confrontamos o perfil canônico com a coletânea Cadernos Negros (FIGUEIREDO, 2009), elencando vários nomes, dentre eles, a própria Conceição. Ainda, percebendo que a estética dessas escritoras negras perpassa outras questões e, na tentativa de “ouvi-las” (KILOMBA, 2019; SPIVAK, 2010), elencamos o conceito de escrevivência (EVARISTO, 2005, 2007; FERREIRA, 2013) e de literatura afrofeminina (SANTIAGO, 2012) para analisarmos quatro contos da autora gaúcha Maria Helena Vargas da Siveira (1940-2009): “Rondas” e “Filosofia da farofa”, publicados em O sol de fevereiro (1991); e “Iniciação” e “Barro duro do Laranjal”, publicados em Odara: Fantasia e realidade (1993).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dênis Moura de Quadros, Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil.

Doutorando em Letras, área de concentração História da Literatura, pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG) em Rio Grande- RS, Brasil; mestre em Letras pela mesma universidade.

Referências

EVARISTO, Conceição. Gênero e etnia: uma escre (vivência) de dupla face. In: MOREIRA, Nadilza Martins de Barros; SCHNEIDER, Liane (org.). Mulheres no mundo: etnia, marginalidade e diáspora. João Pessoa: Ideia, 2005. p. 201-212.

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho de minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. In: ALEXANDRE, Marcos Antonio. Representações performáticas brasileiras: teorias, práticas e suas interfaces. Belo Horizonte: Mazza edições, 2007. p. 16-21.

EVARISTO, Conceição. Maria Helena Vargas. In: DUARTE, Eduardo de Assis. (org.). Literatura e afrodescendência no Brasil: Antologia crítica. Precursores. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011. p. 83-90. v. 1.

EVARISTO, Conceição. Insubmissas lágrimas de mulheres. Rio de Janeiro: Malê, 2016.

FERREIRA, Amanda Crispim. Escrevivências, as lembranças afro-femininas como um lugar da memória afro-brasileira: Carolina Maria de Jesus, Conceição Evaristo e Geni Guimarães. 2013. 114 p. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

FIGUEIREDO, Fernanda Rodrigues de. A mulher negra nos cadernos negros: Autoria e representações. 2009. 117 p. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

KILOMBA. Grada. Memórias da plantação: Episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LORDE, Audre. As ferramentas do senhor nunca derrubarão a casa-grande. In: LORDE, Audre. Irmã Outsider. Tradução de Stephanie Borges. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. p. 137-141.

LORDE, Audre. Minhas palavras estarão lá. In: LORDE, Audre. Sou sua irmã: Escritos reunidos. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Ubu, 2020. p. 77-87.

MACHADO, Sátira et. al. Mulher afro-gaúcha: Negritude à flor da pele. In: PAIVA, Sérgio Rosa de. (org.) Mulheres do Rio Grande do Sul: Diversidade. Porto Alegre: SFERASRP, 2006.

NEVES, Lucas. Negra em Salão do Livro causa furor, diz escritora brasileira. Folha de S. Paulo, São Paulo, 23 mar. 2015. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2015/03/1606652-negra-em-salao-do-livro-causa-furor-diz-autora-brasileira.shtml. Acesso em: 17 jan. 2020.

SANTIAGO, Ana Rita. Vozes literárias de escritoras negras. Cruz das Almas: UFRB, 2012.

SANTOS, Mirian Cristina dos. Prosa negro-brasileira contemporânea. 2018. 180f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2018.

SILVA, Fernanda; MACHADO, Sátira. Vida de Helena do Sul. Disponível em ufgrs.br/helenadosul/vida/. Acesso em: 4 set. 2020.

SILVEIRA, Maria Helena Vargas da. O sol de fevereiro. Porto Alegre: [s. n.], 1991.

SILVEIRA, Maria Helena Vargas da. Odara: fantasia e realidade. Porto Alegre: [s. n.], 1993.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

SPIVAK, Gayatri. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goullart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

Publicado
2021-11-09
Como Citar
Quadros, D. M. de . (2021). Dissonância no conto brasileiro contemporâneo de autoria feminina: Escrevivência nos contos de Maria Helena Vargas da Silveira (1940-2009). Letras De Hoje, 56(2), 191-203. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.2.40107
Seção
O Conto Brasileiro Contemporâneo de Autoria Feminina