Leitura como um subsistema adaptativo complexo

Palavras-chave: Leitura. Sistemas complexos. Compreensão leitora.

Resumo

Neste artigo a leitura é considerada como uma atividade cognitiva complexa com características de um subsistema que faz parte de um sistema dinâmico maior denominado linguagem. Nessa perspectiva, a leitura é vista como emergência complexa resultante da atuação de diversos fatores situados, tais como, intra e intersubjetivos, psicológicos, corpóreos, ecológicos, históricos, socioculturais, dentre outros, que interagem no fluxo do processo de compreensão leitora e construção de sentido. Apresentamos, assim, uma visão da leitura focalizando os conceitos e características da Teoria dos Sistemas Adaptativos Complexos (SAC), qual seja, os conceitos de sistema, subsistema, atratores, gatilhos e espaços-fase, procurando correlacioná-los ao processo de compreensão leitora. Detemo-nos, principalmente, em demonstrar os aspectos da leitura que o torna um subsistema adaptativo complexo e o fluxo dos atratores que direcionam as pistas textuais para determinado estado de preferência do sistema – estados-fase.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antenor Teixeira de Almeida Júnior, Centro Universitário da Grande Fortaleza, Fortaleza, CE

Doutor pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil. Professor titular do Centro Universitário da Grande Fortaleza (UNIGRANDE), Fortaleza, CE, Brasil.

Ana Cristina Pelosi, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil. Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz, RS

Doutora pela Universidade de Leeds, Inglaterra, Reino Unido. Pós-Doutora pela Universidade de Santa Cruz, Califórnia, E.U.A. Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil. Professora visitante da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Santa Cruz do Sul, RS, Brasil.

Robson Moura Bessa, Centro Universitário da Grande Fortaleza, Fortaleza, CE

Graduado em Letras pelo Centro Universitário da Grande Fortaleza (UNIGRANDE), Fortaleza, CE, Brasil. Pesquisador do Grupo Analisis e GELP-COLIN, Área Leitura, do Centro Universitário da Grande Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil.

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, Antenor Teixeira. Categorização como sistema adaptativo complexo. Fortaleza: Máquina de Ler, 2016.

ALMEIDA JÚNIOR, Antenor Teixeira; PELOSI, Ana Cristina. A categorização como Sistema Adaptativo Complexo no processamento da leitura: fluxo dos atratores no mundo bíblico. Antares Letras e Humanidades, Caxias do Sul, v. 10, n. 20, p. 5-17, maio/ago. 2018. https://doi.org/10.18226/19844921.v10.n20.01

BECKNER, Clay; ELLIS, Nick; BYBEE, Joan; CHRISTIANSEN, Morten; LARSEN-FREEMAN, Diane et al. Language is a complex Adaptative System: position papper. Language Learning, n. 59, Suppl. 1, p. 1-26, Dec. 2009. https://doi.org/10.1111/j.1467-9922.2009.00533.x

BERTALANFFY, Ludwig. Teoria geral dos sistemas. 5. ed. São Paulo: Vozes, 2006.

CAPRA, Frank.; LUIGI LUISI, Pier. A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. São Paulo: Cultrix, 2014.

DUQUE, Paulo Henrique. A emergência do comportamento linguístico. Revel, Nova Hamburgo, v. 14, n. 27, p. 151-172, 2016.

FLÔRES, Onici Claro. Leitura e consciência lingüística. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 53, n. 1, p. 149-157, jan./mar. 2018. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2018.1.28535

FRANCO, Claudio de Paiva. Por uma abordagem complexa de leitura. In: TAVARES, Kátia Cristina do Amaral; BECHER, Silvia Beatriz Alexandra; FRANCO, Claudio de Paiva (org). Ensino de leitura: fundamentos, práticas e reflexões para professores da era digital. Rio de Janeiro: Faculdade de

Letras da UFRJ, 2011. p. 26-48.

HOLLAND, John Henry. El orden oculto de cómo la adaptación crea la complejidad. México: FCE, 2004.

JOHNSON, Neil. Simply complexity: a clear guide to Complexity Theory. Oxford: OneWorld, 2007.

KOCH, Ingedore Grünfeld Villaça; CUNHA-LIMA, Maria Luiza. Do cognitivismo ao sociocognitivismo. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (org). Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 251-300.

KOCH, Ingedore Grünfeld Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

LARSEN-FREEMAN, Diane. Chaos/complexity science and second language acquisition. Applied Linguistics, Oxford, v. 18, n. 2, p. 141-165, 1997. https://doi.org/10.1093/applin/18.2.141

LARSEN-FREEMAN, Diane; CAMERON, Leanne. Complex Systems and Applied Linguistics. 4. ed. New York: Oxford, 2012.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 5. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2008.

NASCIMENTO, Milton do. Lingua(gem) como um sistema complexo: interfases e interfaces. In: PAIVA, Vera Lucia Menezes de Oliveira; NASCIMENTO, Milton do (org). Sistemas adaptativos complexos: lingua(gem) e aprendizagem. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2009. p. 61-72.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira. Facebook: um estado atrator na internet. In: ARAUJO, Júlio; LEFFA, Vilson (org). Redes Sociais e ensino de língua o que temos de aprender. São Paulo: Parábola, 2016. p. 65-80.

RZEVSKI, George. Self-organization versus control in complex social systems. [Keynote Paper]. In: CONFERENCE ON COMPLEX SYSTEMS: CONTROL AND MODELLING PROBLEMS, INTERNATIONAL CONFERENCE IN

SAMARA: RUSSIAN ACADEMY OF SCIENCES, 15., June 2011, Samara. Proceedings […]. [S. l.: s. n.], 2011. p. 3-9.

VALENÇA, Antonio Carlos (org). Aprendizagem organizacional 123 aplicações práticas de arquétipos sistêmicos. São Paulo: Senac, 2011.

VARELA, Francisco; THOMPSON, Evan; ROSCH, Eleanor. A Mente incorporada: ciências cognitivas e experiência humana. São Paulo: Artmed, 2003.

Publicado
2019-11-06
Como Citar
Júnior, A. T. de A., Pelosi, A. C., & Bessa, R. M. (2019). Leitura como um subsistema adaptativo complexo. Letras De Hoje, 54(2), 162-171. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2019.2.32533
Seção
Processamento da decodificação e da compreensão da leitura: