Insegurança alimentar, consumo alimentar e estado nutricional de mulheres beneficiadas pelo Programa Bolsa Família

Palavras-chave: políticas públicas, segurança alimentar e nutricional, desigualdades em saúde, mulheres.

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de insegurança alimentar em mulheres beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, relacionando com o consumo alimentar, estado nutricional e a classe socioeconômica.
Materiais e Métodos: Estudo transversal com 201 mulheres em Palmeira das Missões-RS. A insegurança alimentar foi avaliada pela Escala Brasileira de Insegurança Alimentar. O consumo alimentar pelos marcadores de consumo alimentar, a classe socioeconômica pelo Critério de Classificação Econômica Brasil e o estado nutricional pelo índice de massa corporal.
Resultados: A média de idade foi de 37,92 (desvio padrão 10,39 anos). A amostra apresentou 91,5% de insegurança alimentar, 61,1% de excesso de peso e 75,1% eram de baixa classe socioeconômica. Foi observado alto consumo de bebidas adoçadas (67,2%), de legumes/verduras (74,6%) e de feijão (77,4%). A maior prevalência de insegurança alimentar está nas classes D-E e os níveis de insegurança alimentar diminuem conforme aumenta a classe socioeconômica (p=0,009). A segurança alimentar apresentou relação com o consumo de frutas e o hábito de realizar café da manhã. O sobrepeso apresentou maior prevalência na insegurança alimentar moderada (47,4%).
Conclusão: As mulheres do Programa Bolsa Família apresentaram alta insegurança alimentar relacionada ao excesso de peso.

Biografia do Autor

Jaquieli Gruhm Franco, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS

Nutricionista graduada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS, Brasil.

Marilene Cassel Bueno, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS

Nutricionista. Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Vanessa Ramos Kirsten, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS

Nutricionista. Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Professora do Departamento de Alimentos e Nutrição da UFSM, Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS, Brasil.

Greisse Viero da Silva Leal, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS

Nutricionista. Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo. Professora do Departamento de Alimentos e Nutrição da UFSM, Campus Palmeira das Missões, Palmeira das Missões, RS, Brasil.

Referências

Silva JG, Grossi MED, França CG (org.). Fome zero: a experiência brasileira. Brasília: MDA; 2010.

Brasil. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o sistema nacional de segurança alimentar e nutricional - SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências [Internet]. Brasília: Presidência da República; 2010 [capturado em 12 nov. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11346.htm

FAO. The state of food insecurity in the world: meeting the 2015 international hunger targets: taking stock of uneven progress. Rome: FAO; 2015. https://doi.org/10.3945/an.115.009936

Brasil. Decreto nº 5.209, de 17 de setembro de 2004. Regulamenta a Lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004, que cria o programa Bolsa Família, e dá outras providências [Internet]. Brasília: Presidência da República; 2004 [capturado em 13 nov. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5209.htm

Brasil. Lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004. Cria o programa Bolsa Família e dá outras providências [Internet]. Brasília: Presidência da República; 2004 [capturado em 13 nov. 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.836.htm

Cabral CS, Lopes AG, Lopes JM, Vianna RPT. Food security, income, and the Bolsa Família program: a cohort study of municipalities in Paraíba State, Brazil, 2005-2011. Cad Saúde Pública. 2014;30(2):393-402. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00140112

Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas. Repercussões do programa Bolsa Família na segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiadas. Rio de Janeiro: IBASE; 2008. https://doi.org/10.20435/inter.v19i3.1636

Cabral MJ, Vieira KA, Samaya AL, Florêncio TMMT. Perfil socioeconômico, nutricional e de ingestão alimentar de beneficiários do Programa Bolsa Família. Estud Av. 2013;27(78):71-87. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142013000200006

Lima FEL, Fisberg RM, Uchimura KY, Picheth T. Programa Bolsa- Família: qualidade da dieta de população adulta do município de Curitiba, PR. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(1):58-67. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2013000100006

Monteiro F, Schmidt ST, Costa IB, Ameida CCB, Matuda NS. Bolsa Família: insegurança alimentar e nutricional de crianças menores de cinco anos. Ciênc Saúde Coletiva. 2014;19(5):1347-57. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014195.21462013

Souza NN, Dias MM, Sperandio N, Franceschini SCC, Priore SE. Perfil socioeconômico e insegurança alimentar e nutricional de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família no município de Viçosa, Estado de Minas Gerais, Brasil, em 2011: um estudo epidemiológico transversal. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(4):655-62. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400015

Sperandio N, Priore SE. Prevalência de insegurança alimentar domiciliar e fatores associados em famílias com pré-escolares, beneficiárias do Programa Bolsa Família em Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(4)739-48. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000400016

Deepask. Soja: Veja produção agrícola e área plantada por cidade do Brasil [Internet]. Palmeira das Missões: Deepask; 2011 [capturado em 10 jan. 2017]. Disponível em: http://www.deepask.com/goes?page=Soja:-Veja-a-producao-agricola-e-a-areaplantada-no-seu-municipio

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados estatísticos provenientes do censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE; 2010.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Relatórios de informações sociais. Brasília: MDS; 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional por amostras de domicílios: segurança alimentar 2013. Brasília: IBGE; 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa suplementar de segurança alimentar PNAD 2013: a percepção das famílias em relação ao acesso aos alimentos. Rio de Janeiro: IBGE; 2014. https://doi.org/10.17143/ciaed/xxiilciaed.2017.00322

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientações para avaliação de marcadores de consumo alimentar na atenção básica. Brasília: MS; 2015. https://doi.org/10.11606/d.7.2012.tde-20022013-153000

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de classificação econômica Brasil. São Paulo: ABEP; 2015.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básico. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN. Brasília: MS; 2011. https://doi.org/10.5123/s1679-49742019000100016

Brasil. Ministério da Saúde. Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher: PNDS 2006: dimensões do processo e produtivo e da saúde da criança. Brasília: MS; 2009. https://doi.org/10.21115/jbes.v11.n2.p112-8

Uchimura KY, Bosi MLM, Lima FEL, Dobrykopf VF. Qualidade da alimentação: percepções de participantes do programa bolsa família. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(3):687-94. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000300015

Morais DC, Dutra LV, Franceschini SCC, Priore SE. Insegurança alimentar e indicadores antropométricos, dietéticos e sociais em estudos brasileiros: uma revisão sistemática. Ciênc Saúde Coletiva. 2014;19(5):1475-88. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014195.13012013

Champagne CM, Casey PH, Connell CL, Stuff JE, Gossett JM, Harsha DW, McCabe-Sellers B, Robbins JM, Simpson PM, Weber JL, Bogle ML; Lower Mississippi Delta Nutrition Intervention Research Initiative. Poverty and food intake in rural America: diet quality is lower in food insecure adults in the Mississipi Delta. J Am Diet Assoc. 2007;107(11):1886-94. http://dx.doi.org/10.1016/j.jada.2007.08.003

Ruschel LF, Henn RL, Backes V, Melo P, Marques LAS, Olinto MTA. Insegurança alimentar e consumo alimentar inadequado em escolares da rede municipal de São Leopoldo, RS, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2016;21(7):2275-85. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015217.00742015

PanigassiI G, Segall-CorrêaI NA, Marin-LeónI L, Pérez-EscamillaII R, MaranhaI LK, SampaioI MFA. Intra-family food insecurity and profile of food consumption. Rev Nutr. 2008;21(suppl): 135s-44s. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732008000700012

Nascimento EC, Cruz BEV, Calvi MF, Carvalho JPL, Reis CC, Gomes DL. A influência do Programa Bolsa Família nas práticas alimentares das famílias do Território do Marajó, Pará, Brasil. Scientia Plena. 2016;12(6):1-11. http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2016.069931

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção à Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. https://doi.org/10.11606/t.7.2009.tde-11012010-145632

Lima FEL, Rabito EI, Dias MRMG. Estado nutricional de população adulta beneficiária do Programa Bolsa Família no município de Curitiba, PR. Rev Bras Epidemiol. 2011;14(2): 198-206. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2011000200002

Monteiro CA, Conde WL, Popkin BM. Independent effects of income and education on the risk of obesity in the Brazilian adult population. J Nutr. 2001;131(3):881S-6S. https://doi.org/10.1093/jn/131.3.881s

Drenowsky A. Obesity, diets and social inequality. Nutr Rer. 2009;67 Auppl 1:36-9. http://dx.doi.org/10.1111/j.1753-4887.2009.00157.x

Hruschka DJ. Do economic constraints on food choice make people fat? A critical review of two hypotheses for the povertyobesity paradox. Am J Hum Biol. 2012;24(3):277-85. https://doi.org/10.1002/ajhb.22231

Dhurandhar EJ. The food-insecurity obesity paradox: a resource scarcity hypothesis. Physiol Behav. 2016;162:88-92. https://doi.org/10.1016/j.physbeh.2016.04.025

Brauner MCC, Graff L. Segurança alimentar e produção agrícola: reflexões sob a ótica da justiça ambiental. Veredas do Direito. 2015;12(24):375-400. http://dx.doi.org/10.18623/rvd.v12i24.280

Alcantara Filho JL, Fontes RMO. A formação da propriedade e a concentração de terras no Brasil. História Econômica & Economia Regional Aplicada. 2009;4(7)63-85.

Publicado
2019-12-06
Seção
Artigos Originais