“A gente quer inteiro e não pela metade”

Paradigmas estéticos para a educação pública brasileira

Palavras-chave: experiência estética, la salle, inclusão, exclusão, universalização da educação

Resumo

Este estudo, de caráter bibliográfico e documental, tem por objetivo fazer uma relação entre a pedagogia de João Batista La Salle (1651-1719), desenvolvida entre os séculos XVII e XVIII, e a educação brasileira do século XXI na perspectiva da ética de inclusão. Discute-se a contribuição do modelo pedagógico da Escola Cristã, nome dado por La Salle às suas escolas, para a educação brasileira contemporânea. O principal texto de referência para esta pesquisa é o Guia das Escolas Cristãs, obra pedagógica de La Salle. A partir dele, são analisados relatórios que mostram a realidade educacional do Brasil na última década. Realizando uma crítica às políticas educacionais brasileiras, busca-se uma saída para garantir o real e integral direito à educação de qualidade, preconizado pela legislação brasileira. Conclui-se que esta saída passa pela compreensão, já existente de maneira intuitiva na pedagogia de La Salle, de que universalizar o acesso à educação é mais do que apenas oferecer vagas para todos nas escolas, mas garantir uma escola na qual todos os elementos que a compõem estejam em íntima relação com o ser humano que nela está. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clóvis Trezzi, Universidade La Salle (UNILASALLE), Canoas, RS, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade La Salle (UNILASALLE), em Canoas, RS, Brasil; mestre em Educação pela Universidade Cidade de São Paulo (UNICID), em São Paulo, SP, Brasil. Professor na Universidade La Salle (UNILASALLE), em Canoas, RS, Brasil. 

Evaldo Luis Pauly, Universidade La Salle (UNILASALLE), Canoas, RS, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; mestre em Teologia pelas Faculdades EST, em São Leopoldo, RS, Brasil. Professor emérito e pesquisador na Universidade La Salle, em Canoas, RS, Brasil. 

João Virgílio Tagliavini, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos, SP, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), em São Carlos, São Paulo, Brasil; mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, SP, Brasil. Professor Associado na Universidade Federal de São Carlos, em São Carlos, SP, Brasil. 

Referências

Alonso-Sanz, A., & Zariquiey, B. (2018). Los colores, formas y manchas de la escuela desde la experiencia estética cotidiana. Contextos educativos: Revista de educación, (22), 229-246. http://doi.org/10.18172/con.3136

Antunes Filho, A. A., Affonso, S. de B. A, & Fromer, M. (1987). Comida. In Titãs. Jesus não tem dentes no país dos banguelas [Compact Disc]. WEA.

Azevedo, F., Peixoto, A., Doria, A. de S., Teixeira, A. S., Lourenço Filho, M. B., Pinto, R., Pessôa, J. G. Frota, Mesquita Filho, J. de, Briquet, R., Casasanta, M., Carvalho, C. D. de, Almeida Jr., A. F. de, Fontenelle, J. P., Barros, R. L. de, Silveira, N. M. da, Lima, H., Vivacqua, A., Venancio Filho, F., Maranhão, P.,... Gomes, R. (2010). Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959). Fundação Joaquim Nabuco; Editora Massangana. http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraDownload.do?select_action=&co_obra=205210&co_midia=2

Baumgarten, A. G. (1993). Estética: A lógica da arte e do poema. Vozes.

Bédel, H. (1998). Orígenes 1651-1726: Iniciación a la historia del Instituto de los Hermanos de Las Escuelas Cristianas. Hermanos de las Escuelas Cristianas.

Brasil. (2014). Plano Nacional de Educação 2014-2024. Câmara dos Deputados. Edições Câmara.

Brasil. (2018). Desafios da Nação Vol. 1. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com _content&view=article&id=32753&Itemid=433

Brasil. (2010). Parecer CNE/CEB nº 08/2010. Ministério da Educação. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=5368-pceb008-10&category_slug=maio-2010-pdf&Itemid=30192

Brasil. (2019). Parecer CNE/CEB nº 03/2019. Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=110291-pceb003-19-1&category_slug=abril-2019-pdf&Itemid=30192

Cerqueira, D. R. D. C., Raniere, M., Guedes, E. P., Costa, J. S. D. M., Batista, F., & Nicolato, P. (2016). Indicadores multidimensionais de educação e homicídios nos territórios focalizados pelo Pacto Nacional pela Redução de Homicídios. In Indicadores multidimensionais de educação e homicídios nos territórios focalizados pelo Pacto Nacional pela Redução de Homicídios (pp. 52-52). Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=27714&Itemid=6

Charlot, B. (2020). Educação ou barbárie? Uma escolha para a sociedade contemporânea. Cortez.

Comenius, J. A. (2016). Didática Magna (4. ed.). WMF Martins Fontes.

Cross, D., Thomson, S., & Sinclair, A. (2018). Research in Brazil: A report for CAPES by Clarivate Analytics. Clarivate Analytics. http://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/17012018-CAPES-InCitesReport-Final.pdf

Cunha, L. A. (2000). O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. UNESP; Flacso.

Fiévet, M. (2001). Les enfants pauvres à l’école: La révolution scolaire de Jean-Baptiste de La Salle. Imago.

Foucault, M. (2006). Vigiar e punir: nascimento da prisão (42. Ed). Vozes.

Freire, P. (2003). Pedagogia do oprimido (36. Ed.). Paz e Terra.

Gauthier, C. (2014). O século XVII e o nascimento da Pedagogia. In Gauthier, C., & Tardif, M. (Orgs.) (2014), A Pedagogia: teorias e práticas da Antiguidade aos nossosdias (pp. 101-127). Vozes.

Gomes, P. C. D. C. (2005). Versalhes Não Tem Banheiros. As Vocações da Geografia Cultural. Espaço e Cultura, 19-20. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/espacoecultura/article/view/6146/4418

La Salle, J. B. de. (2012). Guia das Escolas Cristãs. Unilasalle.

Libâneo, J. C. (2012). O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e pesquisa, 38, 13-28. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011005000001

Manacorda, M. A (2010). História da educação: da antiguidade aos nossos dias (13. ed.). Cortez.

Martins, C. E. B. R. (2008). Habeas Educationem: em busca da proteção judicial ao ensino fundamental de qualidade. JusPodivm.

OCDE. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. (2018). Relatórios Econômicos OCDE Brasil. https://www.oecd.org/eco/surveys/Brazil-2018-OECD-economic-surveyoverview-Portuguese.pdf

Oxfam Brasil. (2017). A distância que nos une: Um retrato das desigualdades brasileiras. Oxfam Brasil. https://www-cdn.oxfam.org/s3fs-public/file_attachments/relatorio_a_distancia_que_nos_une_170925.pdf

Patto, M. H. S. (2007). “Escolas cheias, cadeias vazias” nota sobre as raízes ideológicas do pensamento educacional brasileiro. Estudos avançados, 21(61), 243-266. https://doi.org/10.1590/S0103-40142007000300016

Pauly, E. L., Casagrande, C. A., & Corbellini, M. A. (2018). Entre omissão, desconhecimento e reconhecimento: João Batista de La Salle na pesquisa em educação no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 23, 1-25. https://doi.org/10.1590/S1413-24782018230079

Saviani, D. (2010). Sistema nacional de educação articulado ao plano nacional de educação. Revista Brasileira de Educação, 15(44), 380-392. https://doi.org/10.1590/S1413-24782010000200013

Tagliavini, J. V., & Piantkoski, M. A. (2013). João Batista de La Salle (1651-1719): um silêncio eloquente em torno do educador católico que modelou a escola moderna. Revista HISTEDBR on-line, 13(53), 16-40. https://doi.org/10.20396/rho.v13i53.8640191

Tagliavini, J. V & Tagliavini, M. C. B (2016). Estrutura e Funcionamento da Educação Básica: Constituição, leis e diretrizes. Edição do Autor.

Publicado
2022-08-11
Como Citar
Trezzi, C., Pauly, E. L., & Tagliavini, J. V. (2022). “A gente quer inteiro e não pela metade”: Paradigmas estéticos para a educação pública brasileira. Educação, 45(1), e34535. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2022.1.34535