O jovem Catopê e seus processos educativos no terno de Nossa Senhora do Rosário, em Montes Claros

Palavras-chave: Educação, Juventude, Tradição religiosa.

Resumo

Este estudo consiste em analisar a dinâmica do jovem, observando os seus processos educativos e constituição no segundo terno dos Catopês de Nossa Senhora em Montes Claros –MG. Os catopês, em sua maioria são homens negros adultos, jovens e crianças, os quais formam um grupo denominado de terno que fazem parte do congado norte mineiro. Ele se destaca por ser o que possui o maior número de jovens que expressam em suas ações uma mistura de ritos africanos e católicos. Este trabalho fundamenta-se na relação entre educação e cultura, partindo do pressuposto de que as construções dos processos educativos dos jovens catopês contribuem para a continuidade da formação subjetiva dos mesmos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratória com abordagem etnográfica, por meio da observação participante e entrevistas, conduzidas por um grupo focal. Os resultados contribuem, para uma reflexão sobre o sentido atual de uma tradição duradoura que perpassa a dinâmica da cultura e da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane Bernadeth Gandra Brandão, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Docente no
Departamento de Política e Ciências Sociais da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

Vânia de Fátima Noronha Alves, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Docente no Programa de Pós-Graduação em
Educação na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

Referências

Alves, V. F. N. (2008). Os festejos do Reinado de Nossa Senhora do Rosário em Belo Horizonte/MG: práticas simbólicas e educativas (tese de doutorado). Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brandão, C. R. (2002). A educação como cultura (2ª ed.). São Paulo: Brasiliense.

Brasil. (2013). Lei nº 12.852 de 05 de agosto de 2013. Estatuto da Juventude. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12852.htm

Bastide, R. (1971) As religiões africanas no Brasil: Contribuições a uma Sociologia das Interpretações das civilizações. São Paulo: Livraria Pioneira Editora/EDUSP.

Carrano, P. C. R. (2001) Jovens na cidade. Rio de Janeiro: Relumbe Dumará.

Cascudo, L. C. (2002) Dicionário do folclore brasileiro (6ª ed.). Itatiaia: Editora da Universidade de São Paulo.

Colares, M. L. C. (2006). A Tradição Mundo Contemporâneo: análise dos caboclinhos montesclarense — terno do congado das Festas de Agosto (dissertação de mestrado). Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros.

Costa, J. B. A. (2006). Cultura, natureza e populações tradicionais: o Norte de Minas como síntese da nação brasileira. Revista Verde Grande, 4(1), 81-108. https://doi.org/10.46551/rc24482692

Cortês, G. P. (2000). Dança, Brasil! Festas e danças populares. Belo Horizonte: Leitura.

Dayrell, J; Carrano, P. C. (2003). Jovens no Brasil: Difíceis travessias de fim de século e promessas de outro mundo. Rio de Janeiro: Editora UFF

Foucault, M. (2004) Ditos e escritos V. Ética, sexualidade, política (E. Monteiro & L. D. Barbosa, Trad.). Rio de Janeiro: Forense Universitário.

Hobsbawn, E.; Ranger, T. (2002). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

IBGE. (2017). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Estudos & Pesquisa, Rio de Janeiro. Recuperado de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101459.pdf

Lucas, G. (2002). Os sons do Rosário: O congado Mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Malveira, R. R. (2011). Os Catopês de São Benedito em Montes Claros: rastros de uma ancestralidade mineira negra e festiva (dissertação de mestrado). Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Martins, S. (1988) Congado: Família de sete irmãos. Belo Horizonte: SESC.

Mello e Souza, M. (2020). Reis negros no Brasil escravista: história da Festa de Coroação de Rei Congo. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Moreira, A. S. (2008). O deslocamento do religioso na sociedade contemporânea. Estudos de religião, 22(34), 70-83. https://doi.org/10.15603/2176-1078/er.v22n34p70-83

Nogueira, S. (2020). Intolerância religiosa (coleção Feminismos Plurais. Coordenação de Djamila Ribeiro). São Paulo: Pólen.

Novaes, R. (2004). Os jovens “sem religião”: ventos secularizantes, “espíritos de época” e novos sincretismos.

Notas preliminares. Estudos Avançados, 18(52), 321-330. https://doi.org/10.1590/S0103-40142004000300020

Paula, H. A. (2007). Montes Claros sua História sua gente seus costumes – parte III. Montes Claros: Editora Unimontes.

Paula Carvalho, J. C. (1990). Antropologia das organizações e educação: um ensaio holonômico. Rio de Janeiro: Imago.

Quintão, A. A. (2002). Irmandades Negra: outro espaço de luta e resistência (São Paulo: 1870-1890). São Paulo: Annablume/FAPESP.

Ribeiro, R. P.; Belin, L. L. (2016). Guerreiras da quebrada: o empoderamento da mulher da periferia no programa esquenta. Cultura e Mídia, 11(2), 36-52. Recuperado de: https://www2.faac.unesp.br/comunicacaomidiatica/index.php/CM/article/view/89

Santos, E. P. (1997). Religiosidade, identidade negra e educação: o processo de construção de subjetividades de adolescentes dos Arturos (dissertação de mestrado). FAE/Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Silva, J. B. (2002). O congado na comunidade dos Arturos: catolicismo ou culto africano? (Monografia de graduação). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Simões, C. A. (2010). Políticas públicas do ensino médio: realidade e desafios. In: Ferreira, C. A. (Org.). Juventude e iniciação científica: políticas públicas para o ensino médio (p. 135-142). Rio de Janeiro: EPSJV/UFRJ.

Sodré, M. (2005). A verdade seduzida: por um conceito de cultura no Brasil. São Paulo: DP&A.

Teixeira, F. (2005). Faces do catolicismo brasileiro contemporâneo. Revista USP, 67, 14-23. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i67p14-23

Publicado
2021-09-16
Como Citar
Brandão, V. B. G., & Alves, V. de F. N. (2021). O jovem Catopê e seus processos educativos no terno de Nossa Senhora do Rosário, em Montes Claros. Educação, 44(2), 333808. https://doi.org/10.15448/1987-2582.2021.2.33808
Seção
Outros Temas