Ensino de literatura

Uma proposta histórico-cultural de ressignificação das práticas docentes

Palavras-chave: literatura, ensino, semiótica, teoria sócio-histórico-cultural, formação docente

Resumo

Explicitar o conceito de arte literária e contribuir com os profissionais da educação na construção de seus saberes científicos sobre o ensino de literatura são os objetivos deste artigo, em razão da continuidade de uma prática de leitura do texto literário, ainda destituída do enfoque histórico-cultural bakhtiniano, que valoriza o ato de ler como um ato dialógico e ambivalente, de natureza estética (filosófica) e ideológica (social) da linguagem. Este texto propõe reflexões sobre a importância da teoria bakhtiniana para ressignificação das práticas docentes, no ensino da literatura. Trata-se de uma pesquisa qualitativa – um estudo de caso, que envolveu entrevistas semiestruturadas com doze professoras de uma escola pública paulista e observação de duas aulas (filmadas) de literatura. Da análise semiótica (bakhtiniana) dos dados resultaram discussões com as participantes sobre a relevância de uma epistemologia da prática docente, alicerçada na Filosofia Materialista da Linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zizi Trevizan, Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, SP, Brasil.

Doutora em Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Assis, SP, Brasil. Professora da Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Presidente Prudente, SP, Brasil.

Tatiane Moraes, Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), Presidente Prudente, SP, Brasil.

Mestre em Educação (UNOESTE), em Presidente Prudente, SP, Brasil. Especialista em Gestão do Currículo para Professores-Coordenadores (USP), em São Paulo, SP, Brasil; Gestão Escolar (FAPI), São José dos Pinhais, PR, Brasil e Psicopedagogia Clínica e Institucional (UENP), em Jacarezinho, PR, Brasil; Graduação em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas (FIO), em Ourinhos, SP, Brasil e Pedagogia com habilitação em Educação Especial (FAPI), em São José dos Pinhais, PR, Brasil. Professora de Educação Básica na Rede Estadual de São Paulo e professora do Curso de Pedagogia na Faculdade Estácio de Sá de Ourinhos (FAESO), em Ourinhos, SP, Brasil.

Referências

Bakhtin, M. (2014). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem (16. ed.). Hucitec.

Bandeira, M. (1967). Poesia completa e prosa (2. ed.). Aguilar Editora.

Barbosa, M. C. S. (2009). Práticas cotidianas na educação infantil – bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a educação infantil. Ministério de Educação. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf

Barroco, S. M. S., & Tuleski, S. C. (2007). Vigotski: o homem cultural e seus processos criativos. Psicologia da Educação, (24), 15-33. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psie/n24/v24a03.pdf

Brait, B. (2006). Bakhtin: Outros conceitos-chave. (3. ed.). Contexto.

Cosson, R. A. (2009). Seleção de textos literários em três modos de ler. In Maria Zelia, V. M. et al., Escolhas (literárias) em jogo (pp. 35-48). Autêntica.

Cosson, R. (2014). Círculos de leitura e letramento literário. Contexto.

Colomer, T. (2007). Andar entre livros: a leitura literária na escola (1. ed.). Global.

Eco, U. (1980). Tratado geral de semiótica (3. ed.). Perspectiva.

Eco, U. (1991). Semiótica e filosofia da linguagem. Ática.

Freitas, M. T. A. (1996). Vygotsky e Bakhtin – Psicologia e educação: um intertexto. Ática.

Kristeva, J. (1974). Introdução à semanálise. Perspectiva.

Machado, A. M. (2010). Procura-se Lobo (2. ed.). Ática.

Moraes, T. A., & Trevizan, Z. (2018). A Tematização da Prática como Estratégia de Formação do Professor para o Ensino da Literatura. In D. M. Segabinazi, R. J. Souza, & C. G. S. Girotto, Educação Literária: Infância, mediação e práticas escolares. (1. ed., pp. 155-170). Copiart.

Moraes, T. A. (2017) A tematização da prática pedagógica como estratégia formativa: Possibilidades de construção do saber docente sobre o ensino de leitura literária. [Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade do Oeste Paulista]. http://bdtd.unoeste.br:8080/jspui/handle/jspui/994

Trevizan, Z., & Parisotto, A. L. V. (2012). Formação Docente e Ensino de Leitura na Educação Fundamental. In R. J. Souza, & E. A. Lima (Orgs.), Leitura e cidadania (pp. 153-184). Mercado de Letras.

Parisotto, A. L. V., & trevizan, Z. (2012). Leitura e produção de texto no ensino fundamental: uma experiência colaborativa. In R. J. Souza, & E. A. Lima (Orgs.), Políticas de formação inicial e continuada de professores (pp. 1233-1244). http://www.infoteca.inf.br/endipe/smarty/templates/arquivos_template/upload_arquivos/acervo/docs/1684p.pdf

Souza, R. J., Hernandes, E. D. K., & Balsan, S. F. S. (2015). Espaços de formação do leitor: a leitura na sala de aula e na biblioteca escolar. Textura– Revista de Educação e Letras, 17(35), 37-57. http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/view/1616/1250

Trevizan, Z. (2000). As Malhas do Texto - Escola, Literatura, Cinema. (2. ed.). Clíper editora.

Trevizan, Z. (2001). O Leitor e O Diálogo dos Sígnos. (3. ed.). Clíper editora.

Trevizan, Z. (2007). Leitura do Literário: os efeitos de sentidos do estético no século XXI. In L. A. Rezende, Leitura e visão de mundo: Peças de um quebra-cabeça (pp. 19-29). EDUEL.

Trevizan, Z. (2017). Saberes científicos e epistemologia da prática nos processos institucionais de formação docente e de formação de leitores. Perspectiva, 35(1), 237-261. https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2017v35n1p237

Weisz, T. (2009). O diálogo entre o ensino e a aprendizagem (2. ed.). Ática.

Yaguello, M. (2014). Apresentação de Livro. In M. Bakhtin, Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem (16. ed., pp. 11-19). Hucitec.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Trevizan, Z., & Moraes, T. (2021). Ensino de literatura: Uma proposta histórico-cultural de ressignificação das práticas docentes. Educação, 44(3), e33537. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2021.3.33537
Seção
Outros Temas