Desenvolvimento moral na educação infantil

Um estudo cultural construtivista

Palavras-chave: desenvolvimento moral, socialização, educação infantil, psicologia cultural

Resumo

O presente estudo fundamentou-se, teórica e metodologicamente, na perspectiva da psicologia cultural construtivista. Teve como objetivo identificar e analisar a qualidade afetiva, mensagens culturais e os processos e estratégias presentes nas interações professora-crianças, possivelmente significativos para o desenvolvimento moral dos alunos. Participaram da pesquisa uma professora e 16 alunos do terceiro período de uma instituição pública de educação infantil situada em Brasíli, Distrito Federal. A análise microgenética das interações sociais professora-crianças e a análise interpretativa do discurso da professora fizeram parte da metodologia qualitativa utilizada. O estudo aponta para a importância da aprendizagem e da reflexão do educador sobre questões morais, bem como da sua atenção às interações que estabelecem com as crianças. Também, salienta a necessidade de criar espaços que possibilitem a avaliação construtiva do fazer pedagógico e de formação do educador, em relação ao desenvolvimento e educação moral de seus alunos, sendo necessários novos trabalhos de pesquisa sobre o tema, no sentido de contribuir ainda mais nessa direção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alia Barrios, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Professora adjunta da área de Psicologia da Educação, no Departamento de Teoria e Fundamentos da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB).

Angela Uchoa Branco, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Professora associada do Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento no Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB).

Referências

Ardilla-Rey, A.; Killen, M. (2001). Middle class Colombian children’s evaluations of personal, moral, and socialconventional interactions in the classroom. International Journal of Behavioral Development, 25(3), 246-255. https://doi.org/10.1080/01650250042000221

Barreto, A. M. R. F. (2004). Educação Infantil: crenças sobre as relações entre práticas pedagógicas específicas e desenvolvimento da criança (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília.

Barrios, A. (2013). Diálogo ou heteronomia no Ensino Fundamental? Desenvolvimento moral, cultura e práticas educativas (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília.

Barrios, A.; Barbato S.; Branco, A. U. (2012). El análisis microgenético en el estudio del desarrollo moral. Revista de Psicología, 30(2), 249-279. https://doi.org/10.18800/psico.201202.002

Barrios. A.; Branco, A. U. (2007). Desenvolvimento moral: novas perspectivas de análise. Revista Psicologia Argumento, 25(51), 413-424. Recuperado de: https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/20099

Borges-de-Miranda, T. R. (2017). Cultura, violência e dinâmica relacional: um estudo com alunos e professores de escola pública em contexto de baixa renda (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília.

Branco, A. U. (2012). Values and sociocultural practices: pathways to moral development. In: Valsiner, J. (Org.). The Oxford handbook of culture and psychology (p. 749-766). New York: Oxford University Press.

Branco, A. U. (2018). Values, education and human development: the major role of social interactions’ quality within classroom cultural context. In: Branco, A. U.; Lopes-De-Oliveira, M. C. (Orgs.). Alterity, values and socialization: human development within educational contexts (p. 31-50). Cham, Suíça: Springer.

Branco, A. U.; Lopes-De-Oliveira, M. C. (2018). Alterity, values and socialization: human development within educational contexts. Cham, Suíça: Springer. https://doi.org/10.1007/978-3-319-70506-4

Branco, A. U.; Barreto, A.; Barrios, A. (2018). Educational practices and young children’s socio-moral development: a cultural psychological approach. In: Fleer, M.; Oers, B. V. (Orgs.). International handbook of early childhood education (p.795-81). Dordrecht, The Netherlands: Springer.

Brasil, Ministério da Educação e do Desporto. (1998). Referencial curricular nacional para a educação infantil. Vol. 1. Secretaria de Educação Fundamental.

Chiaparini, C.; Silva, I. M. M.; Leme M. I. S. (2018). Conflitos interpessoais na educação infantil: o olhar de futuros professores e egressos. Psicologia Escolar e Educacional, 22(3), 603-612. https://doi.org/10.1590/2175-35392018037119

Cortella, M. S.; La Taille, Y. (2007). Nos labirintos da moral. São Paulo: Papirus.

Devries, R.; Zan, B. (1998). A ética na educação infantil: o ambiente sócio-moral na escola. Porto Alegre: Artes Médicas.

Devries, R.; Zan, B. (2003). When children make rules. Educational Leadership: Building Classroom Relationship, 61(1), 64-67. Recuperado de: https://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.517.4264&rep=rep1&type=pdf

Freitag, B. (2007). Escola, estado e sociedade. São Paulo: Centauro Editora.

Galvão, I. (1995). Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis: Vozes.

Galvão, I. (2008). Cenas do cotidiano escolar: conflitos sim, violência não. Petrópolis: Vozes.

Guzzo, R. S. L. (2007) Escola amordaçada: compromisso do psicólogo com este contexto. In: Mitjáns, A. M. (Org.). Psicologia escolar e compromisso social: novos discursos, novas práticas (p. 17-29). Campinas: Editora Alínea.

Hakkaraine, P.; Bredikyte, M. (2018). The program of developmental (narrative) play pedagogy. In: Fleer, M.; Oers, B. V. (Orgs.). International handbook of early childhood education. Vol. II (p. 1041-1058). Dordrecht, The Netherlands: Springer.

Kelman, C. A.; Branco, A. U. (2004). Análise microgenética em pesquisa com alunos surdos. Revista Brasileira de Educação Especial, 10(1), 93-106. Recuperado de: http://www.paulorosa.docente.ufms.br/metodologia/Textos/Analise_microgenetica_pesquisa_alunos_surdos.pdf

Lima, M. S. M. (2000). Silêncio e/ou participação? A questão da disciplina na concepção e na prática de professoras da 1ª Série do Ensino Fundamental (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília.

Lima, S. (2017). Indisciplina em sala de aula: concepções, interação social e ação docente – uma análise qualitativa. Atas do 6to. Congresso Ibero-americano de Investigação Qualitativa em Educação (CIAIQ 2017), Salamanca.

Manzini, R. P. (2013). Bullying no contexto escolar: prevenção da violência e promoção da cultura de paz na perspectiva de adultos e crianças (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília.

Marsico, G. (2018). Development and education as crossing socio-cultural bounderies. In: Rosa, A; Valsiner, J. (Orgs.). The Cambridge handbook of sociocultural psychology. 2ª Ed (p. 302-31). Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Martins, L. C.; Branco, A. U. (2001). Desenvolvimento moral: considerações teóricas a partir de uma abordagem sociocultural construtivista. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 17(2). https://doi.org/10.1590/S0102-

Menin, M. S. S. (2002). Valores na escola. Educação e Pesquisa, 28(1), 91-100. https://doi.org/10.1590/S1517-

Palmieri, M. W. A. (2003). Cooperação, competição e individualismo: Uma análise microgenética de contextos de desenvolvimento na pré-escola (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília.

Palmieri, M. W. A.; Branco, A. U. (2007). Educação infantil, cooperação e competição: Análise microgenética sob uma perspectiva sociocultural. Psicologia Escolar e Educacional, 11(2), 365-378. https://doi.org/10.1590/S1413-85572007000200014

Palmieri, M. W. A. R.; Branco, A. U. (2015). Educação Infantil e cooperação. Londrina: Eduel.

Paolichi, P. (2007). The institutions inside: self, morality, and culture. In: Valsiner, J.; Rosa, A. (Orgs.). The Cambridge handbook of sociocultural psychology (p. 560-575). New York: Cambridge University Press.

Piaget, J. (1994). O juízo moral na criança. São Paulo: Summus.

Ratner, C. (2002). Cultural psychology: theory and method. New York: Plenum.

Roncancio-Moreno, M. (2015). Dinâmica das significações de si em crianças na perspectiva dialógico-cultural (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília.

Rogoff, B. (2005). A natureza cultural do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed.

Salomão, S. J. (2001). Motivação social: Comunicação e metacomunicação na co-construção de crenças e valores no contexto de interações professora-alunos (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília.

Silva, C. C. M.; Menin, M. S. S. (2015). Análise das relações entre escola e comunidade em projetos de educação em valores. Anais da 41ts. Association for Moral Education Conference, Santos, Rio de Janeiro.

Turiel, E. (2002). The culture of morality: social development, context and conflict. Cambridge: Cambridge University Press.

Valsiner, J. (2012). Fundamentos da psicologia cultural: mundos da mente, mundos da vida. Porto Alegre: Artmed.

Valsiner, J. (2004). An invitation to cultural psychology. Londres: Sage Publications. http://doi.org/10.4135/9781473905986

Vinha, T. P.; Tognetta, L. R. P. (2014). Os conflitos interpessoais no Brasil e as violências escondidas. International Journal of Developmental and Educational Psychology, 7(1), 323-331. https://doi.org/10.17060/ijodaep.2014.n1.v7.803

Vygotsky, L. S. (1987). Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. La Habana: CientíficoTécnica.

Publicado
2021-09-16
Como Citar
Barrios, A., & Branco, A. U. (2021). Desenvolvimento moral na educação infantil: Um estudo cultural construtivista. Educação, 44(2), e32874. https://doi.org/10.15448/1987-2582.2021.2.32874
Seção
Outros Temas