A educação em português em contextos multiculturais

Um estudo a partir de relatórios de estágio

Palavras-chave: Educação em Português, Imigração, Diversidade Linguística e Cultural, relatórios de estágio

Resumo

A sociedade portuguesa, como as outras sociedades europeias, foi-se tornando multicultural, fenómeno que se estendeu à Escola. Neste âmbito, e partindo de contextos escolares plurais, pretendemos analisar como sete estudantes de um Mestrado em Ensino, da Universidade A, desenvolveram o seu estudo empírico em escolas do Ensino Básico (EB), onde realizaram o Estágio Pedagógico: temáticas, opções metodológicas e contributos para a Educação em Português, configurando-se o produto final deste trabalho como o Relatório de Estágio/de Mestrado. Os resultados apontam para temáticas mais próximas da diversidade linguística e cultural e menos para a reflexão sobre o Português; as opções metodológicas são de natureza qualitativa, por se tratar de investigações educativas em línguas; por fim, os estudos destacam a importância atribuída ao fator ‘língua’ pelos alunos do EB, ou seja, as suas perceções sobre as línguas (língua conhecida/desconhecida, próxima/distante) que os aproximaçam ou  afastam dos alunos estrangeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Ançã, Universidade de Aveiro (UA),Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (UA), Portugal.

Doutora em Ciência da Educação/Didática do Português e com Agregação em Educação, pela Universidade de Aveiro. Investigadora do Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores, Universidade de Aveiro, Portugal.

Referências

Alarcão, I. (2001). Professor-investigador: Que sentido? Que formação?. In B. P. Campos (Org.), Formação Profissional de Professores no Ensino Superior (pp. 21-30). Cadernos de Formação de Professores, 1. Porto Editora.

Alarcão, I. (2006). Do olhar supervisivo ao olhar sobre a supervisão. In I. Sá- Chaves, Idália. M. H. Araújo, & Sá e A. Moreira (Coords.), Isabel Alarcão, percursos e pensamento (pp. 319-373). Universidade de Aveiro.

Ançã, M. H. (2015). Revisitando a consciência linguística: apropriação do conceito por parte de futuros professores de Português/Revisiting linguistic awareness: Appropriation of the concept by future teachers of Portuguese. Calidoscópio, 13, 83-91. Bardin, L. (1991). Análise de conteúdo (trad. de L. A. Reto, & A. Pinheiro). Edições 70.

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação. Uma Introdução às Teorias e aos Métodos (trad. de M. J. Alvarez, S. Bahia dos Santos, & T. Mourinho Baptista). Porto Editora.

Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1999). Os Negros em Portugal – sécs XV a XIX. Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses.

Conseil de l’Europe (2018). Cadre Européen Commun de Référence pour les Langues: Apprendre, Enseigner, Évaluer. Volume Complémentaire avec de Nouveaux Descripteurs. Conseil de l’Europe.

Conselho da Europa (2001a). Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas: Aprender, Ensinar, Avaliar (trad. de M. J. Pimentel do Rosário, & N. Verdial Soares; Org. do Ministério da Educação/GAERI). ASA.

Conselho da Europa (2001b). Portefólio Europeu de Línguas. Educação Básica (10-15 anos).

Ministério da Educação. Coutinho, C. P. (2011). Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas. Teoria e Prática. Edições Almedina.

Costa, B. F., & Teles, G. (2017). O papel das cidades no acolhimento de refugiados – estudo comparativo entre Berlim e Paris. Revista Diacrítica, 31(3), 153-181.

Gagné, G., Lazure, R., Sprenger-Charolles, L., & Ropé, F. (1989). Recherches en didactique et acquisition du français langue maternelle. Tome 1: Cadre conceptuel, thesaurus et lexique des mots-clés. De Boeck Éditions universitaires.

Elliot, J. (2010). La investigación-acción en la educación (trad. de P. Manzano). Morata.

Galisson, R. (2000). La pragmatique interculturelle pour accéder autrement, à une autre culture, par un autre lexique. Mélanges CRAPEL, 25, 47-73. Nancy: Université de Lorraine.

Instituto Nacional de Estatística (2018). Estatísticas demográficas 2017. Instituto Nacional de Estatísticas, IP. INE. https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=348174760&PUBLICACOESmodo=2.

Latorre, A. (2008). La investigación-acción: conocer y cambiar la práctica educativa. Graó.

Lourenço, M., Andrade, A. I., & Martins, F. (2017). Formar para a diversidade linguística e cultural na educação infantil: possibilidades de construção de conhecimento profissional. Revista Internacional de Formação de Professores (RIEF), 2(2), 76-99.

Madeira, A. Teixeira, J., Botelho, F., Costa; J., Deus, S., Fiéis, A., & Sousa Martins, A. (2014). Avaliação de impacto e medidas prospetivas para a oferta do Português Língua Não Materna (PLNM) no Sistema Educativo Português. Ministério da Educação, Direção Geral da Educação.

Matos, D. C. V. S., & Permisán, C. G. (2016). Educação intercultural e formação de professores em contexto espanhol para alunos imigrantes. Educação e Pesquisa, 42 (4), 1093-1108.

Máximo Esteves, L. (2008). Visão panorâmica da investigação-acção. Porto Editora.

Nogueira Pérez, M. , Ceinos Sanz, C., Taveira, M. C, Marques, C., & Silva, A. D (2017). Los servicios de orientación y asesoramento a refugiados: el caso de Portugal y España. Revista Lusófona de Educação, 37(37), 131-147.

Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento do Instituto de Educação da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia.

Rocha-Trindade, M. B. (1995). Sociologia das Migrações.

Universidade Aberta. Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (2017). Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo 2016. Sefstat. https://sefstat.sef.pt/Docs/Rifa2016.pdf.

Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (2018). Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo 2017. Sefsat. https://sefstat.sef.pt/Docs/Rifa2017.pdf.

Tinhorão, J. R. (1998). Os Negros em Portugal. Uma presença silenciosa (2. ed.). Caminho.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: Planejamento e Métodos (trad. de D. Grassi). Bookman.

Publicado
2021-06-21
Como Citar
Ançã, M. H. (2021). A educação em português em contextos multiculturais: Um estudo a partir de relatórios de estágio. Educação, 44(1), e32812. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2021.1.32812
Seção
Outros Temas