História da educação de surdos e do ensino de matemática no contexto brasileiro

Palavras-chave: educação de surdos, educação matemática, surdez, história.

Resumo

Este estudo apresenta um panorama histórico da educação de surdos e do ensino da matemática no Brasil desde os tempos da colonização portuguesa até o contexto atual, passando pelas diversas formas de ver a matemática no campo educacional e pelas diferentes abordagens já utilizadas na educação de surdos. Apresenta ainda um paralelo temporal entre as trajetórias da educação matemática e da educação de surdos para, assim, refletirmos sobre os equívocos e os avanços alcançados. Para alcançar esse objetivo foi realizada uma análise bibliográfica, para então apresentar, em ordem cronológica, diversas alterações sofridas através do tempo que nos trouxeram até este momento da educação de surdos e da educação matemática, momento marcado, principalmente, pelas recentes políticas públicas que surgiram desde o fim do século XX e que referem-se à surdez, à Língua Brasileira de Sinais – Libras – e ao ensino de matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leticia de Medeiros Klôh, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, MG

Mestra em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF, Juiz de Fora, MG, Brasil), instrutora de Libras da Prefeitura de Petrópolis, em Petrópolis, RJ, Brasil.

Reginaldo Fernando Carneiro, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, MG

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar, São Carlos, SP, Brasil), professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em Juiz de Fora, MG, Brasil

Referências

Cruz, M. R. (2016). Experiências instituintes na formação de professores de surdos no INES [Tese de doutorado em Educação]. Universidade Federal Fluminense. https://doi.org/10.29388/978-65-81417-06-2-0-f.153-168.

Cunha Junior, C. F. F. (2012, Janeiro/Junho). Saberes escolares do ensino secundário brasileiro no século XIX: o caso do Imperial Collegio de Pedro Segundo. Cadernos de História da Educação, 11(1), 51-70.

https://doi.org/10.14393/che-v15n2-2016-4.

Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005, Brasil. (2005). Regulamenta a lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. MEC. https://doi.org/10.15628/rbept.2009.2954.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Goldfeld, M. (1997). A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. Plexus.

Gomes, M. L. M. (2012). História do ensino da matemática: uma introdução. Editora UFMG.

Klein, M. & Formozo, D. de P. (2009, Julho/Dezembro). Im/possibilidades na educação de surdos: discussões sobre currículo e diferença. Currículo sem Fronteiras, 9(2), 212-225.

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Brasil. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. MEC.

Machado, L. M. da C. V. (2012). (Per)cursos na formação de professores de surdos capixabas: constituição da educação bilíngue no estado do Espírito Santo [Tese de doutorado em Educação]. Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e7334.

Menezes, E. T. & Santos, T. H. (2001). Reforma Francisco Campos. In Dicionário Interativo da Educação Brasileira. Midiamix. http://www.educabrasil.com.br/reforma-francisco-campos.

Miorim, M. A. (1998). Introdução à história da educação matemática. Atual.

Nascimento, P. R. (2009). Uma proposta de formação do professor de matemática para a educação de surdos [Dissertação de mestrado em Ensino de Ciências e Matemática]. Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. https://doi.org/10.5753/ersirj.2018.4661.

Passos, C. L. B. (2006). Materiais manipuláveis como recursos didáticos na formação de professores de matemática. In S. Lorenzato (Org.), O laboratório de ensino de matemática na formação de professores (pp. 77-92). Autores Associados. https://doi.org/10.11606/t.48.2016.tde-15082016-162237.

Pavanello, R. M. (1993, Março). O abandono da geometria no Brasil: causas e consequências. Zetetiké, 1, 7-17. Pereira, R. de C. (2008). Surdez: aquisição de linguagem e inclusão social. Revinter.

Reily, L. (2004). Escola inclusiva: linguagem e mediação. Papirus.

Secretaria de Educação Especial, Ministério da Educação, Brasil. (2004). Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. MEC. https://doi.org/10.5902/1984686x38402.

Skliar, C. (Org.). (1999). Atualidade da educação bilíngue para surdos. Mediação.

Soares, M. (2011). Português na escola: história de uma disciplina curricular. In E. M. S. T. Lopes & M. R. Pereira (Orgs.), Conhecimento e inclusão social: 40 anos de pesquisa em Educação. Editora UFMG.

Sociedade Brasileira de Educação Matemática (n.d.). GT13 - Diferença, Inclusão e Educação Matemática. http://www.sbembrasil.org.br/sbembrasil/index.php/ grupo-de-trabalho/gt/gt-13.

Strobel, K. L. (2009). História da educação de surdos. Universidade Federal de Santa Catarina.

Unesco. (1994). Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. http://portal.mec.gov.br/seesp/ arquivos/ pdf/salamanca.pdf.

Valente, W. R. (2004). O nascimento da matemática do ginásio. Annablume.

Valente, W. R. (2013). Oito temas sobre História da Educação Matemática. Revista de Matemática, Ensino e Cultura, 8, 22-50.

Veiga, C. G. (2007). História da Educação. Ática.

Villalta, L. C. (2002). A educação na colônia e os jesuítas: discutindo alguns mitos. In M. L. C. Prado & D. G. Vidal (Orgs.), À margem dos 500 anos: reflexões irreverentes (pp. 171-184). Edusp.

Publicado
2020-05-25
Como Citar
Klôh, L. de M., & Carneiro, R. F. (2020). História da educação de surdos e do ensino de matemática no contexto brasileiro. Educação, 43(1), e31296. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.1.31296
Seção
Outros Temas