É possível manter nosso bem-estar consumindo a mesma variedade de produtos? A influência da categorização na saciação do consumidor

  • Lucio Sanzi Aquino Universidade Federal de Santa Catarina
  • Vinicius Andrade Brei Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Categorias Mercadológicas. Categorização. Saciação. Comportamento do Consumidor. Consumo.

Resumo

Este artigo estuda a relação entre a categorização de produtos e a saciação do consumidor. Mais especificamente, analisou-se se um conjunto de produtos que englobe duas categorias leva o consumidor a saciar menos do que conjuntos que contenham exclusivamente produtos de cada uma das categorias, em situações de repetição de consumo. Para isso, foi realizada uma pesquisa experimental de laboratório, em que foram construídas duas categorias de produtos para medir o fenômeno da saciação. Os resultados mostraram que o grupo de produtos com representantes de duas categorias chegou ao ponto máximo de saciação na sexta, de oito repetições de consumo. Já os grupos com representantes exclusivos de cada categoria chegaram ao ponto máximo de saciação na quinta repetição. A principal conclusão da pesquisa é que grupos de produtos com representantes de duas categorias saciam menos do que grupos com representantes exclusivos de cada categoria. Dessa forma, este estudo avança a fronteira do conhecimento na relação entre categorização e saciação, mostrando que a saciação do consumidor pode ser amenizada sem a necessidade de aumento da quantidade de produtos oferecidos.

Biografia do Autor

Lucio Sanzi Aquino, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestre em Administração pela UFSC/CPGA
Vinicius Andrade Brei, Universidade Federal de Santa Catarina
P

Referências

BREI, V.; MARQUES, T.; TCHOLAKIAN, N. Bom humor é bom para consumir menos? Uma análise das relações entre humor e saciação de consumo. Análise, v. 23, n. 2, p. 118-128, 2012.

CALDER, B. J.; TYVOUT L. W. A Vision of Theory, Research, and the Future of Business Schools. Journal of the Academy of Marketing Science. v. 28, n. 3, p. 359-366, 1999.

GALAK, J.; REDDEN, J. P.; KRUGER, J. Variety Amnesia: Recalling Past Variety Can Accelerate Recovery from Satiation. Journal of Consumer Research, v. 36, n. 5, p. 575-584 2009.

GALAK, J.; KRUGER, J.; LOEWENSTEIN, G. Slow down! Insensitivity to rate of consumption leads to avoidable satiation. Journal of Consumer Research, v. 39, n. 5, p. 993-1009, 2013.

LOKEN, B.; BARSALOU, L. W.; JOINER, C. Categorization Theory and Research in Consumer Psychology: Category Representation and Category-Based Inference. In: HAUGTVEDT, C. P.; HERR, P. M.; KARDES, F. R. (Eds.). Handbook of consumer psychology. Nova York: Psychology Press, 2008. p. 133-164.

McALISTER, L. A Dynamic Attribute Satiation Model of Variety-Seeking Behavior. Journal of Consumer Research, v. 9, p. 141-150, 1982.

MERVIS, C. B.; ROSCH, E. Categorization of natural objects. Annual Review Psychology, v. 32, p. 89-115. 1981.

MOREAU, C. P.; MORMAN, A. B.; LEHMANN, D. R. “What Is It?Categorization Flexibility and Consumers’ Responses to Really New Products. Journal of Consumer Research, v. 27, n. 4, p. 489-198, 2001.

NAVIS, C.; GLYNN, M. A. How New Market Categories Emerge: Temporal Dynamics of Legitimacy, Identity, and Entrepreneurship in Satellite Radio, 1990-2005. Administrative Science Quarterly, v. 55, p. 439-471, 2010.

NELSON L. D.; MEYVIS T. Interrupted consumption: disrupting adaptation to hedonic experiences. Journal of Marketing Research, v. 45, n. 6, p. 654-664, 2008.

OZANNE, J. L.; BRUCKS, M.; GREWAL, D. A Study of Information Search Behavior during the Categorization of New Products. Journal of Consumer Research, v. 18, n. 4, p. 452-463, 1992.

RATNESHWAR, S.; SHOCKER, A. D. Substitution in Use and the Role of Usage Context in Product Category Structures. Journal of Marketing Research, v. 27, n. 3, p. 281-295, 1991.

REDDEN, J. P. Reducing satiation: the role of categorization level. Journal of Consumer Research, v. 34, p. 624-634, 2008.

REDDEN, J. P.; HAWS, K. L. Healthy Satiation: The Role of Decreasing Desire in Effective Self-Control. Journal of Consumer Research, v. 39, n. 5, p. 1100-1114, 2013.

ROSCH, E.; MERVIS, C. B.; GRAY, D.; JOHNSON, D. M.; BOYES-BRAEM, P. Basic Objects in Natural Categories. Cognitive Psychology, v. 8, p. 382-439, 1976.

SAMPIERE, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B.; M. Metodolgia de la Investigación. México: McGraw-Hill, 1991.

SANTOS-JUNIOR, D. L.; MANTOVANI, D. M. N.; Comunicação nas Redes Sociais: Um Estudo com Usuários das Comunidades do Orkut. Análise, v. 21, p. 30-41, 2010.

VISWANATHAN, M.; CHILDERS, T. L. Understanding How Product Attributes Influence Product Categorization: Development and Validation of Fuzzy Set-Based Measures of Gradedness in Product Categories. Journal of Consumer Research, v. 36, n. 1, p. 75-94, 1999.

Publicado
2015-07-16
Seção
Artigos