Crítica reconstrutiva do neoliberalismo

Considerações sobre um modelo de crítica do presente

Palavras-chave: Teoria Crítica, Método reconstrutivo, Crítica do neoliberalismo

Resumo

Desde a publicação dos últimos grandes estudos de Axel Honneth discute-se, no âmbito da Teoria Crítica da sociedade, em que medida seu método analítico de uma “reconstrução normativa” pode realizar as intenções de crítica social. O presente artigo pretende contribuir para esse debate ao esmiuçar algumas implicações da reconstrução social, ressaltando aquilo que entende ser seus pontos fortes. Posteriormente, o artigo aproxima o método reconstrutivo da crítica do neoliberalismo, mas para isso adota uma comparação crítica com o modelo alternativo de análise deste regime enquanto “ordem normativa”, como proposto por Wendy Brown, principalmente. Como conclusão, defende que a reconstrução se conecta a dimensões mais próximas de uma possível economia política do neoliberalismo e, por isso, é um método mais robusto do que a análise do discurso político neoliberal. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Gustavo da Cunha de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), Florianópolis, SC, Brasil.

Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil; mestre em Sociologia pela mesma instituição. Professor de Sociologia na Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), em Florianópolis, SC, Brasil.

Referências

Biebricher, Thomas. 2018. The political theory of neoliberalism. Stanford: Stanford University press.

Brown, Wendy. 2015. Undoing the Demos. Neoliberalism’s stealth revolution. New York: Zone books.

Brown, Wendy. 2019. In the ruins of neoliberalism. The rise of antidemocratic politics in the West. New York: Columbia University Press.

Dubiel, Helmut. 1978. Wissenschaftsorganization und politische Erfahrung. Studien zur frühen Kritische Theorie. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Habermas, Jürgen. 1986. Drei Thesen zur Wirkungsgeschichte der Frankfurter Schule. In Die Frankfurter Schule und die Folgen: Referate eines Symposiums der Alexander von Humboldt-Stiftung vom 10. - 15. Dezember 1984 in Ludwigsburg, organisiert von Axel Honneth e Albrecht Wellmer, 8-12. Berlin: De Gruyter.

Honneth, Axel. 2011. Das recht der Freiheit. Grundriß einer demokratischen Sittlichkeit. Berlin: Suhrkamp.

Honneth, Axel. 2014. Barbarizações do conflito social. Lutas por reconhecimento ao início do século 21. Civitas 14 (1): 154-176. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2014.1.16941.

Honneth, Axel. 2015. Die Idee des Sozialismus. Versuch einer Reaktualisierung. Berlin: Suhrkamp.

Honneth, Axel. 2021. Gibt es ein emanzipatorisches Erkenntnisinteresse? Versuch der Beantwortung einer Schlüsselfrage kritischer Theorie. In Die Armut unserer Freiheit. Aufsätze 2012-2019, 290-319. Berlin: Suhrkamp.

Jütten, Timo. 2015. Is the market a sphere of social freedom? Critical horizons 16 (2): 187-203. https://doi.org/10.1179/1440991715Z.00000000047.

Kuch, Hannes. 2018. Liberdade social e socialização do mercado. Civitas 18 (3): 580-610. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2018.3.31415.

Kuch, Hannes. 2020. Social freedom beyond capitalism. Three alternatives. In From Marx to Hegel and back. Capitalism, Critique and Utopia, organized by Victoria Fareld e Hannes Kuch, 213-234. London: Bloomsbury academic.

Mattos, Patrícia. 2018. A teoria do reconhecimento de Axel Honneth: uma análise de sua proposta de atualização do socialismo. In Desigualdade e reconhecimento. Atualidade da teoria crítica de Axel Honneth, organizado por Antônio Dimas Cardoso, 67-95. Montes Claros: Editora Unimontes.

Mossi, Thays Wolfarth. 2019. A ‘barbarização do conflito social’ no trabalho de designers autônomos. Anais do 43º Encontro Anual da Anpocs, de 21 a 25 de out. 2019. Caxambu, MG, Brasil: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais. http://anpocs.com/index.php/encontros/papers/43-encontro-anual-da-anpocs/st-11/st03-9/11642-a-barbarizacao-do-conflito-social-no-trabalho-de-designers-autonomos/file.

Petrović, Gajo. 1986. Die Bedeutung der Frankfurter Schule heute. In Die Frankfurter Schule und die Folgen: Referate eines Symposiums der Alexander von Humboldt-Stiftung vom 10. - 15. Dezember 1984 in Ludwigsburg, organisiert von Axel Honneth e Albrecht Wellmer, 15-24. Berlin/New York: De Gruyter.

Rosenfield, Cinara e Mossi, Thays Wolfarth. 2020. Trabalho decente no capitalismo: dignidade e reconhecimento no microtrabalho por plataformas. Sociedade e Estado 35 (3): 741-764. https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202035030004.

Simim, Thiago Aguiar. 2015. A justiça das instituições sociais. Uma crítica da reconstrução normativa de O direito da liberdade de Axel Honneth. Civitas 15 (4): 648-663. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2015.4.20526 .

Simim, Thiago Aguiar. 2018. Da crítica ao reconhecimento. A teoria da justiça na Teoria Crítica. Belo Horizonte: Arraes editores.

Souza, Luiz Gustavo da C. de. 2017. Social pathologies, false developments and the heteronomy of the social: Social theory and the negative side of recognition. Filozofija i društvo / Philosophy and Society 28 (3): 435-453. https://doi.org/10.2298/FID1703435S.

Souza, Luiz Gustavo da C.de. 2018. Reconhecimento, desreconhecimento e demarcação simbólica. Uma contribuição conceitual à análise do lado negativo do reconhecimento. Sociologias 20 (49): 294-317. https://doi.org/10.1590/15174522-02004912.

Vasconcellos, Marciele A. de. 2021. A reconstrução normativa da gramática moral da conciliação trabalhista: as controvérsias jurídicas e as disputas pelos sentidos de justiça na política conciliatória na Justiça do trabalho. Tese de Doutorado em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Wellmer, Albrecht.1986. Die Bedeutung der Frankfurt Schule heute. In Die Frankfurter Schule und die Folgen: Referate eines Symposiums der Alexander von Humboldt-Stiftung vom 10. - 15. Dezember 1984 in Ludwigsburg, organizado por Axel Honneth e Albrecht Wellmer, 25-34. Berlin: De Gruyter.

Publicado
2022-06-20
Como Citar
Souza, L. G. da C. de. (2022). Crítica reconstrutiva do neoliberalismo: Considerações sobre um modelo de crítica do presente. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 22, e41969. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2022.1.41969
Seção
Dossiê: Atualidade política da Teoria Crítica