“Na medida do impossível”

Covid-19 e o cotidiano em uma periferia fluminense

Palavras-chave: Covid-19, Segregação urbana, Raça, Fome

Resumo

Tomando como contexto de pesquisa o Conjunto Habitacional Matadouro, popularmente conhecido como Portelinha, localizado na cidade de Campos dos Goytacazes, o presente artigo apresenta o resultado de pesquisas realizadas junto aos moradores com o objetivo de compreender o impacto da Covid-19. Interrogamo-nos sobre os casos de contaminação; se existiam como eram tratados e como a queda de empregos formais e informais afetava essa população. Como metodologia de coleta de dados realizamos entrevistas semiestruturadas, mediadas por uso de tecnologia de comunicação, incursões de observação e entrevistas presenciais, principalmente com pessoas que não possuíam acesso à internet. Nesse sentido, pudemos concluir que a forma de segregação urbana experimentada pelos moradores colaborou para o baixo número de contaminação, maior dependência das políticas de assistência social e dificuldades de inserção no mercado de trabalho formal e informal. Um dos achados laterais de nossa pesquisa corrobora o quadro de insegurança alimentar vivido no Brasil desde o início da pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Silva, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil.

Mestre em Sociologia pela Universidade do Rio Grande do Sul (Ufrgs), em Porto Alegre, RS, Brasil; doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professora da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), em Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil.

Yann Belmont , Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Mestre pelo Programa de pós-graduação em Sociologia Política da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), em Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil. Doutorando pelo Programa de pós-graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

Andrade, Luciana T. e Leonardo S. Silveira. 2013. Efeito- território: explorações em torno de um conceito sociológico. Civitas 13 (2): 381-402. https://doi.org/10.15448/19847289.2013.2.14295.

Andrade, Luciana T. e Jupiara G. de Mendonça. 2010. Explorando as consequências da segregação metropolitana em dois contextos socioespaciais. Cadernos Metrópole 12 (23): 169-80.

Borges, Ângela e Inaiá M. M. Carvalho. 2017. Revisitando os efeitos de lugar: segregação e acesso ao mercado de trabalho em uma metrópole brasileira. Caderno CRH 30 (79): 121-135. https://doi.org/10.1590/S0103-49792017000100008.

Bourdieu, Pierre, org.1997. A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes

Carvalho, Inaiá M. M. 2020. Segregação, vulnerabilidade e desigualdades sociais e urbanas. Civitas 20 (2): 270-286. https://doi.org/10.15448/19847289.2020.2.28393.

Cruz, José L. Vianna. 2003. Projetos locais e regionalismo: desenvolvimento e dinâmica territorial no Norte Fluminense. Tese em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Faria, Teresa Peixoto. 2008. Campos dos Goytacazes nos anos 1870-1880: a modernização brasileira e o “mundo citadino”. Agenda Social 2 (2): 40-64.

Hirata, Helena. 2014. Gênero, classe e raça: interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social 26 (1): 61-73. https://doi.org/10.1590/S0103-20702014000100005.

Mota, Carla Gisele dos Santos e Hernán Armando Mamani. 2012. Segregação interna e criminalização: o caso da favela e o conjunto habitacional Matadouro em Campos dos Goyatacazes-RJ. Revista Libertas 12 (2): 1-20.

Oliveira, Julio Cesar e Marcos Antonio Pedlowski. 2012. Estado e programas municipais de habitação popular em Campos dos Goytacazes (RJ). Análise Social, 204, 47. http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/AS_204_d04.pdf

Silva Filho, Olívio J. e Newton N. Gomes Júnior. 2020. O amanhã vai à mesa, abastecimento alimentar e Covid-19. Cadernos de Saúde Pública 36 (15). https://doi.org/10.1590/0102-311x00095220.

Wacquant, Loïc. 2004. Que é gueto? Construindo um conceito sociológico. Rev. Sociol. Polit 23:155-164. https://doi.org/10.1590/S0104-44782004000200014.

Wilson, William J. 1987. The truly disadvantaged. The Inner City, the Underclass, and Public Policy. 2 ed. Chicago: The University of Chicago Press.

Publicado
2021-12-08
Como Citar
Silva, L., & Belmont, Y. (2021). “Na medida do impossível”: Covid-19 e o cotidiano em uma periferia fluminense. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 21(3), 501-511. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2021.3.40558