Fenomenologia e teoria social

Palavras-chave: Mundo da vida cotidiana, Alfred Schutz, Ação

Resumo

O presente artigo discute o conceito de “mundo da vida cotidiana”, uma das mais importantes contribuições da “sociologia fenomenológica” de A. Schutz para a teoria social contemporânea. Argumentamos que a premissa fundamental desse conceito se refere prioritariamente à questão de ação (fluxo de atividades sempre em vias de transformação e de concretização) e não apenas de significação. Partimos do pressuposto que a sua teoria assume um “caráter ontológico”: a existência humana consiste em ser/estar no mundo e é próprio do ser humano atuar. A ação é sempre circunstancial, requer um “ímpeto inicial” (motivo) e se constitui essencialmente como processo em curso (trajeto), o que difere do “ato” (o resultado desse percurso, a ação realizada). As significações, produzidas no fluxo de atividades, são interpretações de experiências passadas. Tal premissa levanta um desafio para a sociologia: como lidar com uma realidade que em si mesma é temporal, plural, incerta?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Cesar Alves, Universidade Federal da Bahia (Ufba), Salvador, BA, Brasil.

Doutor em Social and Environmental Studies Sociology pela University of Liverpool, Inglaterra; professor titular do Departamento de Sociologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Salvador, BA, Brasil.

Referências

Alves, Paulo Cesar. 2020. Clássicos contemporâneos. Relações entre a teoria sociológica clássica e a contemporânea. In Campos das ciências sociais, organizado por Rita Fazzi e Jair Lima, 124-142. Petrópolis: Vozes.

Aquino, Luseni. 2017. Insights sociológicos. Civitas – Revista de Ciências Sociais 17 (3): 483-503. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2017.3.26632.

Arendt, Hannah. 2010. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitário.

Arnove, Robert. 1982. Philanthropy and cultural imperialism. Bloomington: Indiana University Press.

Berger, Peter e Thomas Luckmann. 1998. A construção social da realidade. Petrópolis:Vozes.

Bourdieu, Pierre. 1996. Razões práticas. Sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus.

Brown, Charles e Ted Toadvine, orgs. 2003. Eco-Phenomenology. Back to the Earth itself. Albany: State University of New York Press.

Corcuff, Philippe. 2001. As novas sociologias. Construções da realidade social. Bauru: Edusc.

Deleuze, Gilles e Félix Guattari. 1992. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34.

Douglas, Jack. 1971. American social order. Social rules in a pluralistic society. New York: The Free Press.

Douglas, Jack, org. 1973. Introduction to sociology. Situatios and structures. New York: The Free Press

Dreher, Jochen e Hermílio Santos. orgs. 2017. Dossier Sociology and phenomenology. Civitas – Revista de Ciências Sociais 17 (3). https://doi.org/10.15448/1984-7289.2017.3.29429.

Friedrichs, Robert. 2001. Sociología de la sociología. Buenos Aires: Amorrortu.

Heidegger, Martin. 2006. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes

Hinkle, Toscoe. 1994. Developments in American sociological theory, 1915-1950. New York: State University of New York.

Husserl, Edmund, 1973. La filosofía como ciencia estricta. Buenos Aires, Editorial Nova.

Picó, Josep. 2003. Los años dorados de la sociología (1945-1975). Madrid: Alianza Editorial.

Platt, Jennifer. 1996. A history of sociological research methods in America 1920-1960. Cambridge: Cambridge University Press.

Schutz, Alfred. 2018. A construção significativa do mundo social. Petrópolis: Vozes.

Schutz, Alfred. 1973. Collected papers I .The problem of social reality. The Hague: Martinus Nijhoff.

Simmel, Georg. 1939. Sociología I. Buenos Aires: Espasa-Calpe Argentina.

Spiegelberg, Herbert. 1965. The phenomenological movement. A historical introduction. The Hague: Martinus Nijhoff.

Wagner, Helmut, org. 1979. Fenomenologia e relações sociais. Textos escolhidos de Alfred Schutz. Rio de Janeiro: Zahar.

Wallerstein, Immanuel. 2002. O fim do mundo como o concebemos: ciências sociais para o século XXI. Rio de Janeiro: Revan.

Watson, Rod e Édison Gastaldo. 2015. Etnometodologia e análise da conversa. Petrópolis: Vozes.

Publicado
2021-05-04
Como Citar
Alves, P. C. (2021). Fenomenologia e teoria social. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 21(1), 12-22. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2021.1.39153
Seção
Dossiê: Teoria Social e Sociologia Existencial