Traces of epistemological changes in the field of Portuguese as an Additional Language: the Celpe-Bras exam as a mechanism of language policies

  • Alexandre Ferreira Martins Université Paul-Valéry Montpellier 3
Keywords: Portuguese as an Additional Language, language policies, Celpe-Bras.

Abstract

The following text discusses the epistemological changes in the field of Portuguese as an Additional Language (PAL), in Brazil, in the years that preceded the establishment of the Certificate of Proficiency in Portuguese for Foreigners (Celpe-Bras). Therefore, this exam is understood as a mechanism of de facto linguistic policies, related to the ideological model of linguistic policies by Shohamy (2006), considering an approach for its importance in the development of the field of PAL in Brazil. The debate pertaining to the epistemological changes, which are noticeable in academic publications, is revealed considering its relations with the theoretical postulates of the Celpe-Bras. These changes can be found mostly in thesis and dissertations selected based on the revision of the gathering of academic works performed by Furtoso (2015). This mechanism, from 1998 onwards, validates and expands the criticism and reinterpretation present in the production of the field, before its emergence. Its construction followed the epistemological changes of the area of study and systematized the main reflections concerning the proficiency in an additional language. 

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Alexandre Ferreira Martins, Université Paul-Valéry Montpellier 3
Montpellier

References

Alderson, J. C. & Wall, D. 1993. Does Washback Exist? In Applied Linguistics (Oxford University Press), 14(2), p. 115-129.

Almeida Filho, J. C. P. 1995. Português para Estrangeiros: interface com o espanhol. Campinas: Pontes.

Almeida Filho, J. C. P. 2009. O Ensino de Português como Língua Não-Materna: Concepções e. Contextos de Ensino. São Paulo: Museu da Língua Portuguesa. 28 p.

Bakhtin, M. 2004. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

Bakhtin, M. (Volochinov, V. N.). 2006. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec.

Brasil, 2013. Guia do Participante: tarefas comentadas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Ministério da Educação (MEC).

Brasil. 2011. Manual do candidato do Exame Celpe-Bras. Brasília: Secretaria de Educação Superior (SESu), Ministério da Educação (MEC).

Calvet, L-J. 2017. As políticas linguísticas. São Paulo: Parábola.

Carvalho, S. & Schlatter, M. 2011. Ações de difusão internacional da língua portuguesa. Cadernos do IL, 42, p. 260-284.

Clark, H. 2000. O uso da linguagem. In Cadernos de Tradução (UFRGS, Porto Alegre), 9, p. 49-71.

Dorigon, T. 2016. O Celpe-Bras como Instrumento de Política Linguística: um Mediador entre Propósitos e Materializações. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ferreira, A. L. A. 1996. O processo de ensino/aprendizagem de português língua estrangeira no contexto do Mercosul: uma análise de abordagem e metodologia. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas.

Fontão, E. M. P. 2013. Repensando o conceito de competência comunicativa no “aquecimento” da aula de português língua estrangeira: uma perspectiva estratégica. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas.

Furtoso, V. A. B 2015. Onde estamos? Para onde vamos?: a pesquisa em português para falantes de outras línguas nas universidades brasileiras. In Patrícia de Oliveira Lucas & Rosana Ferrareto Lourenço Rodrigues (Orgs.). Temas e rumos nas pesquisas em Linguística Aplicada: questões empíricas, éticas e práticas (Vol. 1, p. 153-196). Campinas, SP: Pontes.

Hughes, A. 2003. Testing for language teachers. Cambridge: Cambridge University Press.

Clark, H. H. 2000. O uso da linguagem. In: Cadernos de Tradução, 9. Porto Alegre: UFRGS.

Kraemer, F. F. 2012. Português Língua Adicional: Progressão Curricular com Base em Gêneros do Discurso. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Li, Y. 2009. A preparação de candidatos chineses para o Exame Celpe-Bras: aprendendo o que significa uso da linguagem. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Maher, T. J. M. 1990. Já que é preciso falar com os doutores de Brasília: subsídios para o planejamento de um curso de português oral em contexto indígena. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas.

Martins, A. F 2016. Direcionamentos para o Ensino de Português como Língua Adicional em Portugal e no Brasil: análise de propostas e reflexão para a definição de uma política linguística brasileira. Trabalho de Conclusão de Curso em Licenciatura em Letras. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Mittelstadt, D. D. 2015. Orientações curriculares e pedagógicas para o nível avançado de português como língua adicional. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Oliveira, G. M. 2013. Políticas linguísticas como políticas públicas. Acesso em 21 jul. 2018. IPOL Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística:

<http://eipol.org/wp-content/uploads/2013/06/Politicas_linguisticas_e_Politicas_publicas.pdf>.

Oliveira, G. M. & Dornelles, C. 2007. Políticas internacionales del portugués. Real Instituto Elcano, v. 01, p. 137. Disponível em: <http://www.realinstitutoelcano.org/wps/portal/rielcano/contenido?WCM_GLOBAL_CONTEXT=/Elcano_es/Zonas_es/Lengua+y+Cultura/ARI135-2007>.

Rodrigues, R. H. 2005. “Os gêneros do discurso na perspectiva dialógica da linguagem: a abordagem de Bakhtin”, In J. L. Meurer, A. Bonini & D. Motta-Roth (Orgs.). Gêneros: teorias, métodos, debates (p. 152-183). São Paulo: Parábola.

Rottava, L. 1995. O uso de estratégias de comunicação na aquisição do português como segunda língua. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Scaramucci, M. 1999. CELPE-BRAS: um exame comunicativo. In M. J. Santos & E. P. Cunha (Orgs.). Ensino e Pesquisa em Português para Estrangeiros (p. 75-81). Brasília: Editora da Universidade de Brasília.

Published
2018-09-19
How to Cite
Martins, A. F. (2018). Traces of epistemological changes in the field of Portuguese as an Additional Language: the Celpe-Bras exam as a mechanism of language policies. BELT - Brazilian English Language Teaching Journal, 9(1), 223-243. https://doi.org/10.15448/2178-3640.2018.1.31154
Section
Article