English teachers’ identities concerning their knowledge of slang

  • Fábio Henrique Rosa Senefonte State University of Northern Paraná (Cornélio Procópio)
Keywords: identity, English teachers, slang.

Abstract

Underpinned by a postmodern perspective of (teacher) identity, which characterizes it as unstable, multifaceted, unfinished, complex, dynamic, fluid, constructed in relation with others (Bauman, 2005; Bohn, 2005; Hall, 2006; Beijaard et al., 2011 among others), this qualitative research aims at exploring English language teachers’ identities concerning their knowledge of slang. For this purpose, a semi-structured, audio-recorded interview was conducted with three English teachers, from the three main language institutes in Cornelio Procópio, state of Paraná. Results reveal that on the one hand, teachers consider themselves to be fluent in English and confident of their language and teaching skills; on the other, they consider their knowledge of slang to be somewhat limited. Additionally, geographical boundaries are perceived as a hindrance to address such topic in class.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Fábio Henrique Rosa Senefonte, State University of Northern Paraná (Cornélio Procópio)
Atualmente desenvolve doutorado em Estudos da Linguagem (língua estrangeira), pela UEL e professor assistente na área de Língua Inglesa na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP-CP). Também, obteve o título de mestre em Estudos da Linguagem (na linha de pesquisa ensino, aprendizagem e formação do professor de língua estrangeira) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) (2014). Possui o título de Especialista em Ensino de Língua Inglesa pela Universidade Estadual do Norte do Paraná- UENP (2011). Pela mesma Universidade, também é licenciado em Letras, com habilitações em língua portuguesa e língua inglesa com suas respectivas literaturas (2010). Tem experiência no ensino de língua inglesa para crianças (Ensino Fundamental I), atuando em escolas municipais de Cornélio Procópio-Pr (2009-2010). Também tem experiência nos segmentos de Ensino Médio e Superior (Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2011-2012), Institutos de Idiomas (2012) e Ensino Fundamental e Médio (Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina-2013). Foi bolsista Fulbright, atuando como professor assistente de língua portuguesa na Howard University (Washington DC-EUA) (2013-2014) e aluno de pós-graduação da mesma Universidade, cursando disciplinas nos departamentos de Comunicação, Ciências Sociais e Educação.

References

Alsup, J. 2006. Teacher Identity Discourse. Malwash, New Jersely: Lawrence Earlbaum Associates, Inc.

Barbara, L., Sardinha, T. B. 2005. Professor: A imagem projetada na imprensa. Investigações: Linguística e Teoria Literária, 17(2), p. 115-126.

Bauman, Z. 1981. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Beaugrande, R. A., Dressler, W. U. 1981. Introduction to text linguistics. London; New York: Longman.

Beijaard, D., Meijer, P. C., Verloop, N. 2011. Reconsiderando a pesquisa sobre a identidade Profissional de professores. Tradução de Lautenai A. Bartholamei Jr., Simone Reis e Lincoln P. Fernandes. Título original: Reconsidering research on teacher’s Professional identity. In S. Reis, K. Van Veen, T. Gimenez. (Org.). Identidades de professores de línguas

(p. 1-46). Londrina: Eduel.

Bera. Ethical Guidelines for Educational Research. 2011. Available at: <http://www.bera.ac.uk/>. Accessed on 05 May 2012.

Bohn, H. I. 2005. A formação do professor de línguas – A construção de uma identidade profissional. Investigações: Linguística Aplicada e Teoria Literária, 17(2), p. 97-113.

Calvo, L. C. S. 2011. A identidade profissional de professores e professores de inglês: Representações construídas por alunos do terceiro ano do ensino médio. In S. Reis, K. Van Veen, & T. Gimenez. (Org.). Identidades de professores de línguas (p. 141-185). Londrina: Eduel.

Celani, M. A. A. 2006. Ensino de línguas estrangeiras. Ocupação ou profissão. In Vilson Leffa (Org.). O professor de línguas estrangeiras: construindo a profissão (p. 25-43). Pelotas: Educat.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196 de 10 de outubro de 1996.

Foucault, M. 1978. The History of Sexuality 1: The Will to Knowledge. Translated by Robert Hurley. London: Penguin Books.

Foucault, M. 1997. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque. São Paulo: Edições Graal.

Foucault, M. 2009. História da sexualidade III: o cuidado de si. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque. São Paulo: Edições Graal.

Fundação Carlos Chagas. 2009. Atratividade da Carreira Docente no Brasil. Relatório Preliminar. São Paulo: Fundação Carlos Chagas.

Gamero, R. 2011. Identidade profissional do professor de inglês: um levantamento de dissertações e teses de 1985 a 2009. In S. Reis, K. Van Veen, T. Gimenez. (Org.). Identidades de professores de línguas (p. 83-104). Londrina: Eduel.

Hall, S. 2006. A identidade cultural pós-modernidade. 11ª ed. Rio de Janeiro: DP e A Editora.

Huberman, M. 1989. O ciclo de vida profissional dos professores. In A. Nóvoa. (Org.). Vida de professores (2ª ed., p. 31-61). Porto. Portugal: Porto Ed.

LIncoln, Y. & Guba, E. G. 2006. Controvérsias paradigmáticas, contradições e confluências emergentes. In N. K. Denzin, Y. S. Lincoln (Eds.). Planejamento da Pesquisa Qualitativa (p. 169-192). Porto Alegre: Artmed.

Lortie, D. 1975a. The limits of socialization. In D. Lortie. Schoolteacher: a sociological study (p. 185-210). Chicago: The University of Chicago Press.

Lortie, D. 1975b. Career and work rewards. In D. Lortie. Schoolteacher: a sociological study (p. 82-108). Chicago: The University of Chicago Press.

Mareco, R. T. M., Silva, J. O. Identidade do Professor de Inglês: formações discursivas de empregadores. In S. Reis, K. Van Veen, T. Gimenez. (Org.). Identidades de professores de línguas (p. 83-104). Londrina: Eduel.

Moscovici, S. 2003. Representações sociais: investigações em psicologia social. Rio de Janeiro, Vozes.

Nóvoa, A. (Org.). 1995. Vida de professores. Porto: Editora Porto.

Preti, D. 2005. Um pesquisador pioneiro, premiado e... coisa inédita nos meios acadêmicos... muito humilde. Entrevista concedida a Renira Cirelli Appa na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, em 15 de março de 2005. Disponível em:

<http://www.letramagna.com/dinoentre.htm>. Access on 29 set. 11.

Preti, D. 2000. A gíria na língua falada e na escrita: uma longa história de preconceito social. In D. Preti. (Org.). Fala e Escrita em Questão. São Paulo: Humanitas FFLCH/USP.

Quevedo-Camargo, G., El Kadri, M. S., Ramos, S. M. 2011. Identidade do Professor de Língua Inglesa: um levantamento eletrônico das pesquisas no Brasil. In S. Reis, K. Van Veen, T. Gimenez (Org.). Identidades de professores de línguas (p. 47-82). Londrina: Eduel.

Reis, S. 2011. Análise Qualitativa de dados verbais. Curso de Extensão. Projeto de Pesquisa Letramento Crítico na Educação de Professores de Inglês. Universidade Estadual de Londrina.

Senefonte, F. H. R. 2014 Puro × Impuro / Sagrado × Profano: Percepções de Professores sobre Gírias nas Aulas de Inglês. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

Senefonte, F. H. R. 2015. Colaboração no Ensino e Aprendizagem de Inglês no Contexto Brasileiro. Revista [email protected] em (Dis)curso, 7(1), p. 3-22.

Schwandt, T. A. 2006. Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa: interpretativismo, hermenêutica e construcionismo social. In N. K. Denzin, Y. S. Lincoln. (Eds.). Planejamento da Pesquisa Qualitativa (p. 193-217). Porto Alegre: Artmed.

Shulman, L. S. 1987. Knowledge and teaching foundations of new reform. Harvard Educational Review. Cambridge, 57(1), p. 1-22.

Shulman, Lee S. 1986. Those who understand: Knowledge growth in teaching. Educational Researcher. Washington, 15(2), p. 4-14.

Tomazoni, P. C. P., Lunardi, V. U. 2011. Reflexões sobre a identidade do professor de inglês não nativo. In S. Reis, K. Van Veen, T. Gimenez. (Org.). Identidades de professores de línguas (p. 211-232). Londrina: Eduel.

Vidich, A., Lyman, S. M. 2006. Métodos Qualitativos: sua história na sociologia e antropologia. In N. K. Denzin, Y. S. Lincoln. (Eds.). Planejamento da Pesquisa Qualitativa (p. 49-90). Porto Alegre: Artmed.

Published
2018-09-19
How to Cite
Senefonte, F. H. R. (2018). English teachers’ identities concerning their knowledge of slang. BELT - Brazilian English Language Teaching Journal, 9(1), 58-73. https://doi.org/10.15448/2178-3640.2018.1.30357
Section
Article