La injuria al honor como motivación de guerra, según Vitoria, Molina y Suárez

Juan Cruz Cruz

Resumo


Quando um grande pensador da Era de Ouro espanhola, tal qual Vitoria, Molina ou Suárez, questiona sobre a causa fundamental que justifica uma lícita declaração de guerra, a “injúria” é incluída como uma dessas causas. Aqui, “injúria” é entendida como uma infração de um direito, uma injustiça cometida e pela qual a reparação não foi feita. Dentre as injúrias que podem licitamente ser consideradas uma justificativa para a guerra, há o “insulto à honra”, especialmente à honra da Nação e à honra do Soberano. A dificuldade em aceitar essa justificativa para a guerra reside em fazer uma separação entre o interesse do Soberano e o interesse do povo, i.e., os homens que compõem a comunidade, que são os depositários imediatos do poder. Para esses pensadores, a honra é sempre possuída pelo povo. E isso porque um Estado, uma Nação, um povo tem o direito de desfrutar o respeito por suas instituições, leis e costumes, tal qual uma parte integral de sua própria vida.

Palavras-chave


Injúria. Vitoria. Molina. Suárez. Guerra.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2009.3.6414

ISSN-L: 0042-3955

e-ISSN: 1984-6746


Veritas - Revista Quadrimestral de Filosofia da PUCRS

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos princípios recomendados por essa organização de referência internacional em ética e integridade na publicação científica.http://www.publicationethics.orgbr>

Licencia Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS