UMA NOVA FORMA DE GERENCIAMENTO: a avaliação

Jean-Pierre Faguer, Gabrielle Balazs

Resumo


A partir de entrevistas realizadas numa empresa de informática em momentos diferentes, dos anos oitenta aos anos noventa, junto a vários agentes que trabalhavam nesse local, este artigo expõe como, atrás das relações de trabalho aparentemente descontraídas, a busca pela "transparência" obriga cada um dos assalariados a trabalhar sob o olhar dos outros, e as avaliações constantes dos desempenhos são indicadores de tensões que suscita a intensificação da concorrência. Também é exigido do pessoal subalterno uma parte cada vez maior de atividade e de "comunicação". Enfim, verifica-se que as relações de trabalho são inseparavelmente relações de dominação, onde cada posto, ao mesmo tempo que implica o domínio de uma competência técnica especifica, demanda as qualidades ordinariamente exigidas do pessoal de serviço.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.1997.2.35675



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS