A avaliação de obras do componente curricular filosofia no PNLD 2018

Gabriele Cornelli, Pedro Gontijo, Rodolfo Lopes, Evaldo Sampaio

Resumo


O presente artigo é fruto de trabalhos e pesquisas conduzidos pela equipe de coordenação do PNLD 2018 (Plano Nacional de Livros Didáticos), a qual se reuniu por duas ocasiões, juntamente com todos os pareceristas, em seminários exclusivamente dedicados ao projeto. O texto pode, pois, ser dividido em quatro seções, as quais (e cuja divisão) se revelarão suficientemente evidentes para o leitor. Em primeiro lugar, é apresentada uma revisão historiográfica (inédita, tanto quanto sabemos) do ensino de Filosofia no Ocidente, desde as primeiras instituições da Antiguidade até a atualidade, mas com especial enfoque no caso brasileiro. Em segundo lugar, apresentamos uma revisão crítica da legislação mais relevante, sobretudo a vigente, para o processo de seleção dos manuais didáticos a distribuir pelas escolas brasileiras durante o período de vigência do edital, referindo em particular os critérios que nortearam tal seleção. Em terceiro lugar, são referidos alguns dos aspectos mais importantes das obras aprovadas neste edital do PNLD. Finalmente, são abordados alguns aspectos relativos aos desafios que o PNLD terá necessariamente que enfrentar, tendo em conta a conjuntura brasileira atual, nomeadamente os pacotes legislativos mais recentes a propósito do PNLD enquanto tal, mas também do papel da própria Filosofia no ensino obrigatório no nível médio.

Palavras-chave


PNLD 2018. Ensino de Filosofia. Manuais didáticos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Paulo. Um departamento francês de ultramar. São Paulo: Paz & Terra, 1994.

ARIEW, Roger; COTT INGHAM, John; SORELL, Tom. Descarte’s Meditations Background Source Materials. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2008.

https://doi.org/10.1086/384772

BRASIL, Lei 11.645, de 10 de março de 2008.

Disponível em: http://www.planalto. gov. br/ccivil03/ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 2 jun. 2017.

CAMPOS, Ernesto. História da Universidade de São Paulo. Edição fac-similar. São Paulo: Unesp, 2004.

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8235.v65i0p165-192

CARV ALHO. M. Notas a lápis sobre a pesquisa em filosofia no Brasil: expansão, internacionalização e consolidação da pós-graduação em Filosofia in CARV ALHO, M.; DOMINGUES, I. Pesquisa e Pós-Graduação em Filosofia no Brasil - Debates ANPOF de Políticas Acadêmicas. São Paulo: ANPOF. 2015. p. 103-109.

https://doi.org/10.19177/prppge.v1e22008164-175

COUSIN, Victor. Introduction. In: TENNEMANN, Wilhelm. Manuel de L’Histoire de La Philosophie. Tradução: Victor Cousin. Paris: Pichon et Didier, 1829.

DOMAŃSKI, Juliusz. La Philosophie, Théorie ou Manière de Vivre? Les Controverses de L’Antiquité à la Renaissance. Fribourg, Paris: Éditions Universitaires de Fribourg: Éditions du CERF, 1996.

https://doi.org/10.1163/24680974-90000390

FÁVERO, Maria. Universidade do Brasil: das origens à construção. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ , 2010.

FIGUEIREDO, Maria; COWEN, R. Modelos de cursos de formação de professores e mudanças em políticas: um estudo sobre o Brasi”. In: SCHWART ZMAN, S.; BROOCK, C. (org.). Os desafios da educação no Brasil. São Paulo: Editora Nova Fronteira, 2005. p. 175-190.

https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.32246

FRIEDMAN, Russel. Latin Philosophy 1200-1350. In: MARENBOM, John. (ed.). The Cambridge Companion to Medieval Philosophy. Oxford: Oxford Univ. Press, 2012. p. 192-219.

GAUKROGER, Stephen. Descarte’s System of Natural Philosophy. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2002.

HADOT, Pierre. O que é a Filosofia Antiga? 6. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

JANET, Pierre. Victor Cousin et son Oeuvre. 3. ed. Paris: Félix Alcan Éditeur, 1893.

[OMITIDO]

NATALI, Carlo. Aristotle, his Life and School. Princeton: Priceton Univ. Press, 2013.

PACHTLER, G. M. Ratio Estudiorum et Institutiones Scholasticae Societatis Jesus. Tomo I. Berlim: 1887.

PAIM, Antônio. Escola Eclética: estudos complementares à história das ideias filosóficas no Brasil. 2. ed. Londrina: Edições CEFIL, 1999. 4 v.

PAULA, M. F. C. A influência das concepções alemã e francesa em suas fundações. Tempo Social, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 147-161, 2002.

https://doi. org/10.1590/s0103-20702002000200008

PORCHAT PEREIRA, Oswaldo. Discurso aos estudantes de Filosofia da USP sobre a pesquisa em Filosofia. Dissenso, São Paulo, n. 2, p. 131-139, 1999.

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9713.dissenso.1999.105216

PORCHAT PEREIRA, Oswaldo. Meu Ceticismo. Discurso, São Paulo, v. 2, n. 46, 2017.

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2016.123671

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2019.1.30298



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS