Freud e Brentano: Mais que um Flerte Filosófico

Thiago Marcellus de S. Cataldo-Maria, Monah Winograd

Resumo


Não seria exagerado afirmar que a importância da relação entre Freud e Brentano tem sido negligenciada. Embora o tema não tenha sido ignorado, dentre os nomes que compõem a fileira dos que influenciaram Freud, o de Brentano certamente é um dos mais apagados. Este ensaio pretende sublinhar algumas marcas do filósofo nas formulações do metapsicólogo. Para tanto, começamos destacando as evidências históricas da estreiteza da relação Freud- Brentanto. Em seguida, investigamos o conceito de intencionalidade tendo em vista a proximidade das concepções de Freud e Brentano a respeito da representação em dois pontos principais: o primeiro é a impossibilidade de um ato de representação ocorrer na ausência de objeto representado e o segundo é o fato de o objeto representado não necessariamente existir enquanto coisa real. Após estes desenvolvimentos, finalizamos, apontando para outras marcas das concepções brentanianas na teoria freudiano e, portanto, para a riqueza desta linha de pesquisa.

Palavras-chave


Freud; Brentano; intencionalidade; representação-objeto; representação.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.