Percepção da dinâmica familiar por crianças antissociais: um estudo comparativo com o procedimento de desenhos de famílias com estórias

Lívia Maria de Araujo Cunha Bueno, Fernanda Kimie Tavares Mishima, Valéria Barbieri

Resumo


A Tendência Antissocial é caracterizada por comportamentos como desobediência, agressividade, etc. É um diagnóstico infantil, pois a permanência dos sintomas após os 18 anos altera o diagnóstico para Transtorno de Personalidade Antissocial. Sua etiologia é atribuída a fatores genéticos associados a desencadeadores ambientais, particularmente o relacionamento familiar. A pesquisa investigou se 10 meninos de 7 a 12 anos, apresentando a tendência antissocial, demonstravam particularidades na percepção da dinâmica familiar (avaliada através da realização de desenhos de famílias com estórias) em comparação a 10 meninos sem dificuldades psicológicas, todos selecionados através do Strengh and Difficulties Questionnaire. Foi observado que há diferenças na qualidade da percepção das figuras materna e paterna. As principais características passíveis de diferenciá-los referem-se à natureza das necessidades e angústias (mais primitivas no grupo clínico) e das defesas (de ordem neurótica no grupo contraste). A forma como os pais atendem as necessidades das crianças não diferenciou os grupos.

Palavras-chave


Técnicas projetivas; tendência antissocial; crianças.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.