O Psicodiagnóstico Interventivo como método terapêutico no tratamento infantil: Fundamentos teóricos e prática clínica

  • Valéria Barbieri
  • André Jacquemin
  • Zélia M. M. Biasoli Alves

Resumo

Embora em Psicologia Clínica seja postulada uma clara diferença enre as atividades de avaliação e intervenção, os relatos de melhoras de pacientes após submeterem-se a entrevistas e aplicações de testes sugerem a possibilidade de se extrair efeitos terapêuticos durante o Psicodiagnóstico. Partindo dessa hipótese, esta pesquisa visou organizar uma forma de atendimento clínico, ilustrada pelo estudo de caso de uma criança apresentando tendência anti-social, em que as entrevistas e aplicações de testes eram acompanhadas de assinalamentos e interpretações. Os resultados do trabalho, cujo follow-up estendeu-se por seus meses, demonstraram a aquisição de benefícios que incluíram um maior contato da criança e da família com as necessidades insatisfeitas que sustentavam o sintoma, bem como a supressão deste. São realizadas considerações a respeito dos mecanismos presentes no Psicodiagnóstico capazes de mobilizar o processo de cura, bem como o papel dos pais na melhora da criança. Palavras-chave: Psicodiagnóstico; psicoterapia; tendência anti-social; família; técnicas projetivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Barbieri, V., Jacquemin, A., & Alves, Z. M. M. B. (2008). O Psicodiagnóstico Interventivo como método terapêutico no tratamento infantil: Fundamentos teóricos e prática clínica. Psico, 38(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/2565
Seção
Artigos