Precisão preditiva das novas formas de sexismo a partir das orientações valorativas em brasileiros

Nilton Soares Formiga, Alzira Barros da Silva Neta

Resumo


Os valores humanos têm revelado seguras explicações quanto a manifestação e manutenção dos fenômenos psicossociais, principalmente, a respeito do preconceito feminino. Tal fato se deve por que o construto dos valores é capaz de orientar escolhas, atitudes, avaliação comportamental e situações sociais nas relações interpessoais. Com isso, é bem possível que exista uma base normativa que guie as atitudes e comportamentos preconceituosos frente às mulheres. Amostras com sujeitos entre 18 a 56 anos de idade e ambos os sexos, da cidade de João Pessoa (Brasil) compuseram o estudo. Responderam o inventário de sexismo ambivalente, valores humanos e dados sociodemográficos. Os resultados se revelaram bem semelhante aos encontrados em estudos anteriores, bem como, na sequência das amostras: tendo o critério de orientação valorativa pessoal explicando o sexismo hostil e benévolo, e o social, apenas com o benévolo.

Palavras-chave


Preconceito; Valores Humanos; Sexismo Ambivalente.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.