Propriedades Psicométricas da Versão Brasileira do Behavioral Inhibition Instrument (BII) e Associações com Sintomas Psicopatológicos

Diogo Araújo De Sousa, Giovanni Abrahão Salum, Luciano Rassier Isolan, Silvia Helena Koller, Gisele Gus Manfro

Resumo


Os objetivos desse estudo foram investigar propriedades psicométricas da versão brasileira do Behavioral Inhibition Instrument (BII) e suas associações com sintomas de ansiedade e depressão em crianças e adolescentes. Participaram 838 estudantes com idades entre 9-18 anos (M=12,89; DP=2,10) de uma amostra comunitária respondendo a versão brasileira do BII e questionários de autorrelato de sintomas de ansiedade e depressão. Os resultados demonstraram que a prevalência de crianças e adolescentes na categoria de alta inibição comportamental foi de 16,6%. O BII apresentou propriedades psicométricas satisfatórias com maiores níveis de inibição comportamental correlacionados a maiores níveis de sintomas de ansiedade e depressão, especialmente para sintomas de fobia social. Além disso, participantes com altos escores de inibição comportamental tiveram maior probabilidade de apresentar sintomas de ansiedade em um espectro clínico ou subclínico, especialmente para fobia social. Implicações para intervenções preventivas precoces são brevemente discutidas.

Palavras-chave


Psicometria; Inibição comportamental; Ansiedade; Crianças; Adolescentes.

Texto completo:

PDF (EM INGLÊS)


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.