Psicologia Comunitária e Técnicas para o Trabalho com Grupos: Contribuições a Partir da Teoria Histórico-Cultural

Francisco Pablo Huascar Aragão Pinheiro, João Paulo Pereira Barros, Veriana de Fátima Rodrigues Colaço

Resumo


O artigo discute metodologias utilizadas pela psicologia comunitária para o trabalho com grupos, à luz da teoria histórico-cultural. São destacados pontos de convergência entre a psicologia comunitária e a teoria histórico-cultural, por ambas reconhecerem a natureza sócio-histórica do ser humano. Para o debate são relevantes os conceitos de mediação simbólica e de zona de desenvolvimento proximal (ZDP). São ressaltadas a noção de diálogo e algumas técnicas utilizadas para facilitar interações grupais. Salienta-se que tais técnicas têm se mostrado profícuas, tanto para a discussão das problemáticas concernentes à comunidade, quanto para o compartilhamento de habilidades, conhecimentos e ideias que favorecem a construção de ações transformadoras das realidades locais. Afirma-se que as técnicas para o trabalho com grupos favorecem a ampliação das possibilidades de abstração e de auto-regulação do comportamento, a partir da emergência de ZDPs. Conclui-se que compreender os efeitos psicológicos dessas técnicas é significativo inclusive para identificar elementos a serem trabalhados na formação do psicólogo comunitário.

Palavras-chave


Psicologia comunitária; teoria histórico-cultural; grupos.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.