Rorschach e Pedofilia: A Fidedignidade no Teste-Reteste

Silvana Alba Scortegagna, Anna Elisa de Villemor-Amaral

Resumo


Esse estudo buscou investigar as características de personalidade de um indivíduo pedófilo, e evidenciar a fidedignidade do Rorschach no teste-reteste. O participante, com 38 anos de idade, masculino, respondeu a entrevista e ao método de Rorschach, em duas etapas. Os principais achados revelam: a) uma tendência à fragmentação na percepção de si e dos outros; b) autoimagem negativa e desfavorável em relação ao corpo e suas funções; c) problemas nas relações interpessoais, falhas na capacidade de empatia; d) déficit no ajustamento perceptivo da realidade; e) vulnerabilidade a pressões subjetivas e impulsividade. Esses resultados mantiveram-se estáveis comparando-se as duas aplicações, permitindo ampliar a compreensão dos elementos psicológicos envolvidos na pedofilia, que se mantem, e apoiam a fidedignidade do Rorschach no teste-reteste.

Palavras-chave


Medidas projetivas da personalidade; Pedofilia; Precisão do teste.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.