Um defeito de fábrica: o material que falta nas histórias da literatura brasileira

Pedro Mandagará

Resumo


Neste artigo, defendo que as primeiras propostas de histórias da literatura brasileira nos legaram um “defeito de fábrica”, a saber, uma concentração na escrita entendida como sistema notacional, deixando de lado os aspectos da literatura relativos à materialidade da comunicação (Gumbrecht, 1998). Para tanto, analiso os textos de José Bonifácio de Andrada e Silva (1890 [1825]), Ferdinand Denis (1978 [1826]), Almeida Garrett (1998 [1826]), Fernandes Pinheiro (1978 [1862]) e Ferdinand Wolf (1955 [1863]), comentando ao fim a recente Uma história da poesia brasileira, de Alexei Bueno (2007).

Palavras-chave


História da literatura; Literatura brasileira; Materialidade da comunicação

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS