A palavra em quarta dimensão: leituras de Água viva, de Clarice Lispector

Paula Mastroberti

Resumo


Os processos de escritura, veiculação e leitura da obra Água Viva, de Clarice Lispector são objetos de interesse das reflexões que se seguem. A obra, entendida como de caráter extremamente introspectivo, é analisada tendo em vista seu comportamento enquanto discurso e suas impressões sobre o leitor, os modos como esse comportamento é valorizado na edição que o substancia, incluindo paratextos editoriais, manipuladores de sua recepção. Partindo de um relato pessoal de aproximação da obra e da edição em mãos, procuro desnudar o fenômeno estético-literário, sempre dependente do triângulo autor-obra-leitor e de suas encarnações editoriais.

Palavras-chave


Clarice Lispector; Água Viva; literatura e recepção.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS