Ainda (e sempre) Saussure: história, memória e discurso em três versões de um mesmo texto

Amanda Eloina Scherer, Maria Iraci Sousa Costa

Resumo


No presente artigo, desenvolveremos uma reflexão acerca do contexto de produção de três versões do Curso de Linguística Geral (CLG), a saber, a versão publicada na Argentina e aquelas publicadas no Brasil e em Portugal. Nosso objetivo é compreender como o CLG é recebido/lido em cada momento histórico fora do contexto francês. Selecionamo-las não só pela relação singular com a língua, mas porque elas são propostas em conjunturas em que o CLG é recebido/lido de forma diferente. Além disso, nas referidas publicações, consideraremos também uma passagem que é bastante controversa, mesmo na edição francesa, aquela que trata do exemplo dado para ilustrar o princípio do arbitrário do signo. Ao comparar essa passagem nas diferentes situações, queremos entender como se inscreve o gesto de interpretação do sujeito que se responsabilizou pela versão da obra em cada um dos países em questão.


Palavras-chave


CLG; Versões; Publicações; Horizonte de retrospecção e projeção.

Texto completo:

PDF

Referências


ADRAGÃO, J. V. Nota introdutória à tradução portuguesa. In: SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Victor Adragão. Porto: Dom Quixote, 1971. p. 19-20.

ALONSO, A. Prólogo a la edición española. In: SAUSSURE, F. Curso de Linguística General. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Amado Alonso. Buenos Aires: Losada, 2015. p. 07-31.

ARRIVÉ, M. À procura de Ferdinand de Saussure. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

AUROUX, S. Les méthodes d’historicisation in Histoire Epistémologie Langage, tome XXVIII, Fascicule 1, (2006) SHESL Paris. p. 104-116.

BENVENISTE, É. Problemas de lingüística geral. Tradução de Maria da Glória Novak e Luiza Néri. São Paulo: Companhia Editora Nacional, Editora da Universidade de São Paulo, 1976.

COSTA, M. I. S. Saussure e o Curso de Linguística Geral: uma relação de nunca acabar. Línguas e instrumentos lingüísticos, n. 31, p. 107-116, jan.-jul. 2013.

GODEL, R. Les sources manuscrites du Cours de Linguistique Générale. Front Cover: Librairie Droz, 1957.

PÊCHEUX, M. O discurso estrutura ou acontecimento. (original Discourse: structure or Event? 1988). Tradução de Eni P. Orlandi. Pontes: São Paulo, 1990.

PUECH, C. O discurso, as heranças e os destinos de Saussure na França. In: CRUZ, A.;

PIOVAZANI, C.; TESTENOIRE, P-Y. Saussure, o texto e o discurso: cem anos de heranças e recepções. São Paulo: Parábola, 2016. p. 13-37.

SALUM, I. Prefácio à edição brasileira. In: SAUSSURE, F. Curso de linguística Geral. 27. ed. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 2006. p. XIII-XXIII.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística General. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Amado Alonso. Buenos Aires: Losada, 2015.

SAUSSURE, F. Escritos de linguística Geral. Organizado e editado por Simon Bouquet e Rudolf Engler. São Paulo: Cultrix, 2012.

SAUSSURE, F. Curso de linguística Geral. 27. ed. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 2006.

SAUSSURE, F. Cours de Linguistique Générale. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Paris: Payot & Rivages, 1974.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. Organizado e editado por Charles Bally e Albert Sechehaye. Tradução de Victor Adragão. Porto: Dom Quixote, 1971.

SCHERER, A. Estrutura/sistema: eis uma questão para os estudos linguísticos do ponto de vista da história da Linguística. In: SOUZA, Lucília Maria Abrahão e; NAGEM, Glaucia;

BALDINI, Lauro. A palavra de Saussure. São Carlos: Pedro & João Editores, 2016. p. 77-92.

SCHERER, A; SCHNEIDERS, C.; MARTINS, T. Saussure e os estudos saussurianos no sul: algumas reflexões. Línguas e Instrumentos Linguísticos, n. 35, p. 73-94, jan.-jun. 2015.

SÉRIOT, P. Estrutura e totalidade. Tradução de Maristela Cury Sarian e Mariângela P. C. G. Joanilho. Campinas; Cáceres: Editora da Unicamp; UNEMAT, 2016.

TRABANT, J. Faut-il défendre Saussure contre ses amateurs? Notes item sur l’étymologie saussurienne. In: Langages, 39e année, n. 159. 2005. Linguistique et poétique du discours. À partir de Saussure, sous la direction de Jean-Louis Chiss et Gérard Dessons. p. 111-

Disponível em:

www.persee.fr/doc/lgge_0458-726x_2005_num_39_159_2655




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2018.s.30804

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS