Caracterização acústica da aquisição e/ou desenvolvimento do contraste de vozeamento nos plosivos na fala típica e atípica

Juliana Cemin, Izabel Christine Seara

Resumo


O objetivo deste estudo foi, através da análise acústica, caracterizar e comparar acusticamente a aquisição e/ou desenvolvimento do contraste de vozeamento nos segmentos plosivos na fala típica e atípica. Para isso, foram analisados os dados de três grupos de sujeitos: crianças com desenvolvimento fonológico atípico (grupo estudo - GCDFA), crianças com desenvolvimento fonológico típico (GCDFT) e adultos (GA), em três coletas de dados subsequentes. Foi realizado o estudo da duração relativa do segmento-alvo, da vogal posterior, do voice onset time (VOT) e do vozeamento (barra de vozeamento). Observamos que a fala, mesmo que atípica, seguiu certa regularidade em relação à aquisição desse contraste, principalmente no que concerne o parâmetro de duração relativa de vozeamento (barra de vozeamento). Por esse parâmetro, constatamos que o grupo de crianças com a fala atípica na última coleta de dados (3ª.) exibiu durações semelhantes às do grupo de fala típica, conforme comprovado com a estatistica inferencial. Ainda, no grupo de fala atípica, pela diferença estatística apresentada da 1ª para a 3ª coleta na duração relativa do segmento-alvo, que apresentou um comportamento decrescente, e pela duração relativa da vogal posterior, que apresentou um comportamento inverso, evidenciamos a existência de contrastes encobertos que expressaram o caráter gradiente e dinâmico das representações linguísticas que essas crianças utilizaram. 


Palavras-chave


Plosivas; Vozeamento; Acústica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES. Mariane Antero. Estudo dos parâmetros acústicos relacionados à produção de plosivas do português brasileiro na fala adulta: análise acústico-quantitativa. 2015. 253 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

BARTON, David; MACKEN, Marlys A. An Instrumental Analysis of Voicing Contrast in Word-Initial Stops in the Speech of Four-Year-Old English- Speaking Children. Language and Speech, v. 33, p. 92-104, abr. 1980.

BEHLAU, Mara. Voz: o livro do especialista. Rio de Janeiro: Revinter, 2004. Vol. I. BONATTO, Maria Teresa Rosangela Lofredo. Vozes infantis: a caracterização do contraste de vozeamento das consoantes plosivas no Português Brasileiro na fala de crianças de 3 a 12 anos. 2007. 205 fl. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

______. A produção de plosivas por crianças de três anos falantes do português brasileiro. Revista CEFAC, São Paulo, v. 9, n. 2, abr./jun. 2008.

BOERSMA, Paul; WEENINK, David. PRAAT: doing phonetics by computer. Versão 5.2.01. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2010. BRITO, Ana Teresa Brandão de Oliveira e. Estudo do contraste de vozeamento em sujeito com e sem desvio fonológico. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

CEMIN, Juliana. Aquisição do contraste de “vozeamento”: um estudo longitudinal. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

CRISTÓFARO-SILVA, Thaïs; GOMES, Christina Abreu. Aquisição fonológica na perspectiva multirepresentacional. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 42, n. 1, p. 179-191, mar. 2007.

CRISTOFOLINI, Carla. Trocas ortográficas: uma interpretação a partir de análises acústicas. 2008. 183 fl. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

______. Gradiências e contrastes encobertos na fala infantil: caracterizações acústicoarticulatória e perceptual de segmentos plosivos e fricativos. 2013. 287 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

GRIGOS, Maria I.; SAXMAN, John H.; GORDON, Andrew M. Speech motor development during acquisition of the voicing contrast. Journal of Speech, Language, and Hearing Research, v. 48, n. 4, p. 739-752, ago. 2005.

GURGUEIRA, Adriana Limongeli. Estudo acústico dos fonemas surdos e sonoros do Português do Brasil, em crianças com distúrbio fonológico de ensurdecimento. 2000. 211 fl. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

LOWENSTEIN, Joanna H.; NITTROUER, Susan. Patterns of acquisition of native voice onset time in English-learning children. Journal of Acoustical Society of America, v. 124, n. 2, p. 1180-1191, ago. 2008.

MACHAC, Pavel; SKARNITZL, Radek. Principles of phonetic segmentation. Epocha: Prague, 2009.

MELO, Roberta Michelon; MOTA, Helena Bolli; MEZZOMO, Carolina Lisbôa; BRASIL, Brunah de Castro; LOVATTO, Liane; ARZENO, Leonardo. Caracterização acústica da sonoridade dos fones plosivos do português brasileiro. Revista CEFAC, v. 16, n. 2, p. 1-13, dez. 2011.

______. Desvio fonológico e a dificuldade com a distinção do traço [voz] dos fonemas plosivos: dados de produção e percepção do contraste de sonoridade. Revista CEFAC, v. 14, n. 1, p. 18-29, jan-fev. 2012.

MELO, Roberta Michelon; MOTA, Helena Bolli; MEZZOMO, Carolina Lisbôa; BRASIL, Brunah de Castro. Produção e discriminação do contraste de sonoridade das plosivas nos casos de desvio fonológico. Revista CEFAC, v. 17 (supl. 1), p. 135-144, 2015.

MIRANDA, Izabel Cristina Campolinba. Aquisição e variação estruturada de encontros consonantais tautossilábicos. 2007. 253 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

MOTA, Helena Bolli. Terapia fonoaudiológica para desvios fonológicos. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

PASSOS, Rosana. Construindo categorias sonoras: o vozeamento de consoantes obstruintes em surdos profundos usuários de língua de sinais (Libras). 2009. 155 fl. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

PASSOS, Rosana; CRISTÓFARO-SILVA, Thaïs. Vozeamento de obstruintes: um estudo com surdos e ouvintes. Estudos Linguísticos, v. 41, n. 1, p. 51-63, jan-abr. 2012.

PINCAS Jonathan, JACKSON Philip. Amplitude modulation of turbulence noise by voicing in fricatives. Journal of Acoustical Society of America, v. 120, n. 6, p. 3966-3977, set. 2006.

RINALDI, Larissa; ALBANO, Eleonora. Contrastes em estabilização em crianças sem queixas fonoaudiólogicas. Verba Volant, v. 3, n. 1, jan-jun. 2012.

RUSSO, Iêda, BEHLAU, Mara. Percepção da fala: análise acústica do PB. São Paulo: Lovise, 2003.

SCOBBIE, James; GIBBON, Fiona; HARDCASTLE, William; FLETCHER, Paul. Covert contrast as a stage in the acquisition of phonetics and phonology. In: BROE, Michael; PIERREHUMBERT, Janet. Papers in Laboratory Phonology V: Acquisition and the lexicon. Cambridge: Cambridge University Press, 2000. p. 194-207.

SNOEREN, Natalie Dominique. Variations phonologiques en production et perception de la parole: le phénomène de l`assimilation. 2005. 178 fl. Tese (Doutorado) – Université Paris 5, Paris, 2005.

SOUZA, Ana Paula Ramos de; SCOTT, Lisiane Collares; MEZZOMO, Carolina Lisbôa; DIAS, Roberta Freitas; GIACCHINI, Vanessa. Avaliações acústica e perceptiva de fala nos processos de dessonorização de obstruintes. Revista CEFAC, São Paulo, v. 13, n. 6, p. 1127‑1132, nov-dez. 2011.

VALENTE, Heline Machado Rodrigues. Análise da onda da fala com crianças com alteração na escrita quanto ao traço de sonoridade. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

VAZ, Raquel Menezes. O contraste encoberto de vozeamento em um caso de desvio fonológico. 2010. 85 fl. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.2.26418

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS