Memória de trabalho e consciência fonológica no desvio fonológico

Michele Gindri Vieira

Resumo


Este estudo investiga o desempenho de crianças com desvio fonológico nas habilidades em memória de trabalho e em consciência fonológica, as quais fazem parte do processamento fonológico. Além disso, verifica se tais habilidades estão relacionadas entre si, com a idade e com a severidade desse desvio. A amostra foi formada por 28 crianças com desvio fonológico, com idades entre 4 anos e 6 anos e 7 meses, não alfabetizadas, com hipótese de escrita pré-silábica, as quais foram divididas em dois grupos: um, com 21 crianças com desvio fonológico mais severo; outro, com 7 crianças com desvio mais leve. Avaliações fonoaudiológicas e audiológica foram realizadas para obter-se diagnóstico do desvio fonológico, juntamente com avaliações fonológicas que determinam o sistema fonológico e classificam a severidade do desvio por meio de medida qualitativa. O desempenho das crianças, na avaliação da memória de trabalho, foi verificado através da tarefa de repetição de sequências de dígitos – para avaliar o executivo central e a memória fonológica – e por meio da tarefa de repetição de não palavras – para avaliar especificamente a memória fonológica–, segundo a proposta de Baddeley e Hitch (1974 apud GATHERCOL; BADDELEY, 1993), revisada por Baddeley (1986). Para analisar o desempenho na avaliação de consciência fonológica, incluíram-se tarefas de consciência silábica e de fonêmica. Nos resultados, verificou-se: 1) as crianças que participaram da amostra apresentaram desempenho inferior em memória fonológica e em consciência fonológica quando comparadas a crianças com desenvolvimento fonológico normal que participaram de outras pesquisas brasileiras com metodologias de avaliação semelhantes; 2) houve correlação significativa entre a tarefa de repetição de não palavras e a de consciência de sílabas; 3) houve correspondência significativa entre idade e tarefa de repetição de não palavras e fraca relação entre idade, repetição de dígitos e consciência fonológica. Na comparação entre os grupos, verificou-se que as crianças com desvio fonológico mais severo apresentaram desempenhos inferiores em todas as tarefas. Essa diferença é significativa aos escores totais de consciência fonológica e à consciência fonêmica. Concluiu-se que crianças com desvio fonológico em idade pré-escolar, quando consideradas como grupo e não individualmente, apresentaram pior desempenho do que grupos de crianças com desenvolvimento fonológico normal em tarefas de consciência fonológica e em memória fonológica. Não obstante, pode-se inferir que tais habilidades estão significativamente correlacionadas, posto que crianças com desvio fonológico mais severo apresentam pior desempenho do que crianças com menos alterações na fala, com diferença estatisticamente significativa nas tarefas de consciência fonológica.

Palavras-chave


Memória de trabalho; Consciência fonológica; Desvio fonológico.

Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, Víctor et al. Avaliação da linguagem: teoria e prática do processo de avaliação do comportamento linguístico infantil. São Paulo: Santos, 2003.

AVILA, Clara Regina. Consciência fonológica. In: FERREIRA, Léslie Piccolotto; BEFILOPES, Debora; LIMONGI, Suelly Cecília Olivan (Org.). Tratado de fonoaudiologia. São Paulo: Roca, p. 815-824, 2004.

BADDELEY, Alan David. Working memory. Oxford: ClaridonPress, 1986.

______. Human memory: theory and practice. Boston: Allyn and Bacon, 1998.

______. Working memory and language: an overview. Journal of Communication Disorders, Philadelphia, v. 36, n. 3, p. 189-208, 2003.

BIRD, J.; BISHOP, Dorothy V. M.; FREEMAN, N. H. Phonological awareness and literacy development in children with expressive phonological impairments. Journal of speech and hearing research, Rockville, v. 38, p. 446-462, 1995.

BOGOSSIAN, Maria Alice Dias da Silva; SANTOS, Maria Judith. Adaptação brasileira do teste Illinois de habilidades psicolinguísticas. Florianópolis: Tamasa, 1977.

BRODACZ, Raquel. Um estudo sobre a memória de trabalho em crianças com desvios fonológicos. 1998. 83 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.

CAPELLINI, Simone Aparecida; CIASCA, Sylvia Maria. Avaliação da consciência fonológica em crianças com distúrbio específico da leitura e escrita e distúrbio de aprendizagem. Temas sobre desenvolvimento, São Paulo, v. 8, n. 48, p. 17-23, 2000.

CAPOVILLA, Alessandra; CAPOVILLA, Fernando César. Treino da consciência fonológica e seu impacto em habilidades fonológicas, de leitura e ditado de pré-3 a segunda série. Ciência cognitiva: teoria, pesquisa e aplicação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 461-532, 1997.

______. Problemas de leitura e escrita. São Paulo: Memnon, 2000.

CAPOVILLA, Alessandra; GÜTSCHOW, Cláudia Regina; CAPOVILLA, Fernando César. Identificação de perfis cognitivos preditivos de dificuldades de leitura e escrita. In: MACEDO, Elizeu Coutinho et al. Tecnologia em (re)habilitação cognitiva 2002: um novo olhar para avaliação e intervenção. São Paulo: Centro Universitário São Camilo, 2002. p. 173-188.

CARVALHO, Isabel Albuquerque M.; ALVAREZ, Ana Maria Maaz Acosta; CAETANO, Aparecida Liberato. Perfil das habilidades fonológicas. São Paulo: Via Lettera, 1998.

CARDOSO, Andreia; SILVA, Mônica; PEREIRA, Mônica. Consciência fonológica e a memória de trabalho de crianças com e sem dificuldades na alfabetização. CoDAS, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 110-114, 2013.

CIELO, Carla Aparecida. Habilidades em consciência fonológica em crianças de 4 a 8 anos de idade. 2001. 144 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) –Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

COUTURE, Ashley E.; McCAULEY, Rebecca J. Phonological working memory in children with phonological impairment. Clinical linguistic & phonetics, London, v. 14, n. 7, p. 499-517, 2000.

DIAS, Roberta; MOTA, Helena; MEZZOMO, Carolina. A consciência fonológica e a consciência do próprio desvio de fala nas diferentes gravidades do desvio fonológico. Rev. CEFAC, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 561-570, 2009.

EYSENCK, Michael W; KEANE, Mark T. Psicologia cognitiva: um manual introdutório. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

GATHERCOLE, Susan E.; BADDELEY, Alan David. Working memory and language. Hove: Lawrence Erlbaum, 1993.

GATHERCOLE, Susan et al. The children’s test of nonword repetition: a test of phonological working memory. In: GATHERCOLE, Susan; McCARTHY, Rosaleen. Memory tests and techniques. Hove, UK: Lawrence Erlbaum Associates, 1994, p.103-128.

GOMBERT, Jean Émile. Metalinguistic development. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

GRUNWELL, Pamela. The nature of phonological disability in children. London: Academic Press, 1981.

INGRAM, David. Phonological disability in children. London: Edward Arnold, 1976.

IZQUIERDO, Iván. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JERONYMO, Rosângela; GALERA, César Alexis. A relação entre a memória fonológica e habilidade linguística de crianças de 4 a 9 anos. Pró-fonorevista de atualização científica, Barueri (SP), v. 12, n. 2, p. 55-60, 2000.

KAMINSKI, Tassiana Isabel; MOTA, Helena Bolli; CIELO, Carla Aparecida. Consciência fonológica e vocabulário expressivo em crianças com aquisição típica da linguagem e com desvio fonológico. Revista CEFAC, Rio de Janeiro, v. 13, n. 5, p. 813-824, 2011.

KESKE-SOARES, Marcia. Terapia fonoaudiológica fundamentada na hierarquia implicacional dos traços distintivos aplicada em crianças com desvios fonológicos. 2001. 193 f. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

KESSLER, Themis Maria. Estudo da memória operacional em pré-escolares. 1997. 36f. Dissertação (Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1997.

LAMPRECHT, Regina Ritter et al. Aquisição fonológica do português: perfil de desenvolvimento e subsídios para terapia. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 167-176.

LINASSI, Lisiane Zorzella. Avaliação da memória de trabalho em crianças de 2:11 meses a 3:11 meses. 2001. 50 f. Monografia (Especialização em Fonoaudiologia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2001.

______. Memória de trabalho em crianças com desvio fonológico. 2002. 87f. Dissertação (Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2002.

LINASSI, Lisiane Zorzella; KESKE-SOARES, Marcia; MOTA, Helena Bolli. Memória de trabalho em crianças com desvio fonológico. Pró-fonorevista de atualização científica, Barueri (SP), v. 16, n. 1, p. 75-82, 2004.

_______. Habilidades de memória de trabalho e o grau de severidade do desvio fonológico. Pró-fonorevista de atualização científica, Barueri (SP), v.17, n.3, p.383-392, 2005.

LOWE, Robert J.; WEITZ, Julia Mount. Intervenção. In: LOWE, Robert J. Fonologia: avaliação e intervenção: aplicações na patologia da fala. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. p. 159-188.

MAGNUSSON, Eva. Consciência metalinguística em crianças com desvios fonológicos. In: YAVAS, M. (Org.) Desvios fonológicos em crianças: teoria, pesquisa e tratamento. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1990. p. 109-148.

MANN, Virginia A.; LIBERMAN, Isabelle Y. Phonological awareness and verbal shortterm memory. Journal of learning disabilities, Austin, v. 17, n. 10, p. 592-599, 1984.

MOOJEN, Sônia et al. Consciência fonológica: Instrumento de avaliação sequencial. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

MORALES, Michele Vieira; MOTA, Helena Bolli; KESKE-SOARES, Marcia. Consciência fonológica: desempenho de crianças com e sem desvios fonológicos evolutivos. Pró-fonorevista de atualização científica, v.14, n.2, p. 153-164, 2002.

MOTA, Helena Bolli et al. Classificação quantitativa versus qualitativa do grau de severidade dos desvios fonológicos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FONOAUDIOLOGIA, 16, 2008, Campos do Jordão. Anais... Campos do Jordão: SBFa, 2008, p. 561.

OAKHILL, Jane; KYLE, Fiona. The relation between phonological awareness and working memory. Journal of Experimental Child Psychology, New York, v. 75, p. 152-164, 2000.

OLIVEIRA, Carolina Cardoso et al. Cronologia da aquisição dos segmentos e das estruturas silábicas. In: LAMPRECHT, Regina Ritter et al. Aquisição fonológica do português: perfil de desenvolvimento e subsídios para terapia. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 167-176.

OLIVEIRA, Ana Gabriela et al. Nível de consciência fonológica de sujeitos com desvios fonológicos: comportamento na testagem e relação com o estado do sistema fonológico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FONOAUDIOLOGIA, 12 E CONGRESSO SUL BRASILEIRO

DE FONOAUDIOLOGIA, v. 2, 2004, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: SBFa, 2004. 1 CD-ROM.

RAMOS, Ana Paula Fadanelli. Processos de estrutura silábica em crianças com desvios fonológicos: uma abordagem não-linear. 1996. 168f. Tese (Doutorado em Letras: Área de Concentração – Linguística Aplicada) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1996.

SHRIBERG, Lawrence D.; KWIATKOWSKI, Joan. Phonological disorders I: a diagnostic classification system. Journal of Speech and Hearing Disorders, v. 47, p. 226-241, 1982.

SHRIBERG, Lawrence D. et al. The percentage of consonants corrects (PCC) metric: extensions and reliability data. Journal of Speech, Language, and Hearing Research. Rockville, v. 40, p. 708-722, 1997.

STACKHOUSE, Joy. Phonological awareness: connecting speech and literacy problems. In: HODSON, Barbara Williams; EDWARDS, Mary Louise. Perspectives in applied phonology. Gaithersburg Maryland: An Aspen Publication, 1997, p.157-196.

STEFANINI, Marcela et al. Desempenho em consciência fonológica por crianças com transtorno fonológico: comparação de dois instrumentos. Revista CEFAC, São Paulo, v. 15, n. 5, p. 1227-1235, 2013.

STERNBERG, Robert J. Psicologia cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TORGENSEN, Joseph K.; WAGNER, Richard K.; RASHOTTE, Carol A. Longitudinal studies of phonological processing and reading. Journal of learning disabilities, Austin, v. 27, n. 5, p. 276-286, 1994.

TUNMER, William E.; HARRIMAN, Michael L.; NESDALE, Andrew R. Metalinguistic abilities and beginning reading. Reading research quarterly, v. 23, n. 2, p. 134-158, 1988.

VIEIRA, Michele Gindri. Habilidades em consciência fonológica: desempenho de crianças com e sem desvios fonológicos evolutivos. 2001. 90f. Monografia (Especialização em Fonoaudiologia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2001.

VIEIRA, Michele Gindri; MOTA, Helena Bolli; KESKE-SOARES, Marcia. Relação entre idade, grau de severidade do desvio fonológico e consciência fonológica. Revista da sociedade brasileira de fonoaudiologia, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 144-150, 2004.

WEBSTER, Penelope E.; PLANTE, Amy Solomon; COUVILLION, L. Michael. Phonologic impairment and prereading: update on a longitudinal study. Journal of Learning Disabilities, Austin, v. 30, n. 4, p. 365-375, 1997.

WEBSTER, Penelope E.; PLANTE, Amy Solomon. Effects of phonological impairment on word, syllable, and phoneme segmentation and reading. Language, speech, and hearing services in schools, Washington, v. 23, p. 176-182, 1992.

WERTZNER, Haydée. Fonologia: desenvolvimento e alterações. In: FERNANDES, Fernanda; MENDES, Beatriz; NAVAS, Ana Luiza (Org.). Tratado de fonoaudiologia. 2. ed. São Paulo: Roca, 2009. p. 281-290.

YAVAS, Mehmet; HERNANDORENA, Carmen Lúcia; LAMPRECHT, Regina Ritter. Avaliação fonológica da criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2014.2.17672

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS