Da Araucanía para o Lima: os usos do conceito "civilização" na expansão territorial do Estado chileno, 1855-1883

Gabriel Cid

Resumo


O trabalho analisa os usos do conceito de civilização no debate público chileno entre l855 e l883. Enfatiza-se a utilização do conceito para legitimar a expansão territorial do Estado chileno tanto para o sul do rio Bio-Bio como para o norte do deserto de Atacama, pondo o acento na condição de “barbárie” de seus ocupantes, quer dizer, das etnias indígenas – particularmente os mapuches – e da Bolivia e do Peru. A “civilização” transformou-se num conceito funcional na linguagem da elite chilena, para lhes atribuir um sentido de missão histórica, e justificar a utilização da violência associada à incorporação desses territórios a soberania nacional.

Palavras-chave


Civilização, Mapuche, Expansão territorial

Texto completo:

PDF (EM ESPANHOL)


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2012.2.11909



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.