Leituras de Realidade: ferramentas de apreensão da concreticidade da vida social e seus impactos barbarizantes e de visualização de possibilidades para além do capital / Reality Readings: apprehension tools of the social life concreteness and its barbarizing and visualization impacts of possibilities beyond capital

Gissele Carraro, Mara de Oliveira, Ana Oliveira Rovati

Resumo


O presente estudo parte do pressuposto de que para compreender a realidade brasileira contemporânea como parte de um todo, movimento constante entre particular e universal, há necessariamente que fazê-lo a partir de “lentes” de leitura. Considera-se o materialismo histórico e dialético como método de apreensão da totalidade da vida social. Trata-se de um modo de abordar a realidade social, uma postura crítica e de direção transformadora diante do real, na medida em que se propõe a desvendar o funcionamento do real e interferir no processo de conformação ante as possibilidades de sua superação. Nessa perspectiva, efetuam-se reflexões e análises no intuito de desocultar relações, contradições, mascaramentos que servem para legitimar a ordem societária vigente do capital como insuperável e preferível a todas as alternativas possíveis que possam ser constituídas.


Palavras-chave


Leitura de realidade. Sociedade brasileira. Materialismo histórico e dialético.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond [1945]. Nosso tempo. In: ______. A rosa do povo. 1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

AQUINO, Felipe. A hierarquia dos anjos. São Paulo: Cleófas, 2016. Disponível em: http://cleofas.com.br/a-hierarquia-dos-anjos/ Acesso em: 10 ago. 2017.

BIANCHI, Alvaro; BRAGA, Ruy. Hegemonia e crise: noções básicas para entender a situação brasileira. Blog Junho. (http://blogjunho.com.br), 28 de junho de 2015. Disponível em: http://blogjunho.com.br/hegemonia-e-crise-nocoes-basicas-para-entender-a-situacao-brasileira/comment-page-1/ Acesso em: 10 jun. 2017.

BORON, Atílio. Estado, capitalismo y democracia en América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2003.

BRAZ, Marcelo. O golpe nas ilusões democráticas e a ascensão do conservadorismo reacionário. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 128, jan./abr. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/0101-6628.095. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282017000100085&lng=pt&nrm=is Acesso em: 10 jun. 2017.

https://doi.org/10.1590/0101-6628.095

CENTRO DE LIDERANÇA PÚBLICA – CLP. Disponível em: http://www.clp.org.br Acesso em: 12 ago. 2017.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

GRÜNER, Eduardo. Leituras culpadas marx(ismos) e a práxis do conhecimento. In: BORON, Atilio A; AMADEO, Javier; GONZALEZ, Sabrina (Orgs.). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO. Campus Virtual, 2007, p. 103-150. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/formacion-virtual/20100715073000/boron.pdf Acesso em: 18 jan. 2016.

HARVEY, David. Neoliberalismo como destruição criativa. INTERFACEHS Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente, São Paulo, v.2, n.4, p. 1-30, ago. 2007. Disponível em: http://www.revistas.sp.senac.br/index.php/ITF/article/viewFile/144/160 Acesso em: 4 fev. 2016.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Trad. Celia Neve e Alderico Toribío. 7.ed. São Paulo: Paz & Terra, 2002.

LEFEBVRE, Henri. Lógica formal/lógica dialética. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 5.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

______. Marxismo. Tradução William Lagos. Porto Alegre: L & PM Pocket, 2009.

LUKÁCS, Georg. Estetica I: la peculiaridad de lo estético. Barcelona/México, DF: Grijalb, 1967.

______. Introdução a uma estética marxista: sobre a categoria da particularidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

______. História e consciência de classe. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARX, Karl. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

______; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Hucitec, 1996.

______. Prefácio primeira edição. In: ______. O capital. São Paulo: Nova Cultural, 1983. v.1. t.1 (Os pensadores, v.1).

______. Glosas críticas marginais ao artigo "O rei da Prússia e a reforma social. De um prussiano". Revista Práxis, Belo Horizonte, n. 5, p. 68-91, 1995.

______. Contribuição à crítica da economia política. 2.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

______. Miséria da filosofia. 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

______. Grundrisse. 1.ed. São Paulo: Boitempo/Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.

______. As lutas de classes na França. 1.ed. São Paulo: Boitempo, 2012.

MATTOS, Marcelo Badaró. A burguesia no Brasil: notas introdutórias como contribuição ao debate da esquerda socialista no Brasil. [Blog Junho]. 27 fev. 2017. Disponível em: http://blogjunho.com.br/a-burguesia-no-brasil-notas-introdutorias-como-contribuicao-ao-debate-da-esquerda-socialista-no-brasil/ Acesso em: 27 jul. 2017.

MÉSZÁROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie. São Paulo: Boitempo, 2003.

______. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. 1.ed. São Paulo: Boitempo, 2011.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva. 2 ed. rev. Ijuí: UNIJUÍ, 2011.

NETTO, José Paulo. O que é marxismo? 6.ed. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1990. (Coleção Primeiros passos).

______. Crise do socialismo e ofensiva neoliberal. São Paulo: Cortez, 1993. (Coleção Questões de nossa época, v. 20).

______. Cinco notas a propósito da "Questão social". Temporalis, Brasília, ABEPSS, ano II, n. 3, p. 41-50, jan-jun. 2001.

______. Introdução ao método da teoria social. In: CFESS/ABEPSS. Serviço Social: direitos e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009, p. 667-700. 760 p. v. 1.

PMid:21426032

______. Uma face contemporânea da barbárie. Argumentum, Vitória (ES), v. 4, n.1, p. 202-222, jan./jun. 2012. Disponível em: www.periodicos.ufes.br/argumentum/article/download/2028/2717 Acesso em: 21 set. 2015.

______. Impera na esquerda 'reciclada' um cinismo assombroso. Entrevista. Caros Amigos: a primeira à esquerda. Especial esquerda brasileira: Versão digital. São Paulo: 22/08/2011. Disponível em: https://www.carosamigos.com.br/index.php/politica/1099-especial-esquerda-brasileira-jose-paulo-netto-qimpera-na-esquerda-reciclada-um-cinismo-assombrosoq Acesso em: 18 jul. 2017

______. Entrevista. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 9 n. 2, p. 333-340, jul./out.2011a. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v9n2/10.pdf Acesso em: 18 jan. 2016.

______. Entrevista. A luta de classes nunca tirou férias neste país. Brasil de Fato, site de noticias. 10 nov. 2015. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/node/33400/ Acesso em: 18 jan. 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Trabalho escravo. Nações Unidas no Brasil (ONUBR). Brasília, 2016. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2016/04/position-paper-trabalho-escravo.pdf Acesso em: abr. 2017.

PANIAGO, Cristina. Possibilidade ontológica do conhecimento. In: LESSA, Sérgio et al. (Org.) Habermas e Lukács: método trabalho e objetividade. Maceió: EDUFAL, 1996.

PONTES, Reinaldo Nobre. Mediação e serviço social: um estudo preliminar sobre a categoria teórica e sua apropriação pelo Serviço Social. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

REDE DE AÇÃO POLÍTICA PELA SUSTENTABILIDADE – RAPS. Empreendendo na política por um Brasil sustentável. Rede de Líderes (2017). Disponível em: https://www.raps.org.br/biblioteca/rede-de-lideres/ Acesso em: 28 set. 2017.

RENOVABR. Fundo cívico para a renovação política. 2017. contatorenovabr@gmail.com. Disponível em: https://www.poder360.com.br/wp-content/uploads/2017/09/fundo.pdf Acesso em: 28 set. 2017.

SADER, Emir. A nova toupeira: os caminhos da esquerda latino-americana. São Paulo: Boitempo, 2009.

SAFATLE. Vladimir. A esquerda que não teme dizer seu nome. São Paulo: Três Estrelas, 2012.

SOUZA, Jessé José Freire de. A tolice da inteligência brasileira ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa, 2015.

XU, Jing; WANG Yuqing; TAN Zhe-Min. The relationship between sea surface temperature and maximum intensification rate of tropical cyclones in the North Atlantic. AMS – American Meteorological Society. Journals Online, 29 nov. 2016. Disponível em: http://journals.ametsoc.org/doi/pdf/10.1175/JAS-D-16-0164.1 Acesso em: 18 jul. 2017.

ZIZEK, Slavoj. O espectro da ideologia. Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2017.2.28797


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS