A outridade em Paulo Leminski

Adriane Cherpinski, Evely Vânia Libanori

Resumo


Recortes poéticos da obra O ex-estranho, de Paulo Leminski, servem como ponto de análise da outridade, que se constitui no deslocamento do ser para o próprio interior. Ao abandonar suas condições do senso comum, o homem encontra na poesia a possibilidade de identificar sentidos que muitas vezes são indizíveis no nível da linguagem. A outridade dura o instante suficiente para captar tais sentidos e causar a surpresa que resulta a estupefação do óbvio, do evidente. Trata-se de um estudo teórico bibliográfico que corresponde à abordagem analítica centrada na outridade. As considerações finais revelam o trânsito do eu lírico no trajeto do deslocamento para a outridade e seu retorno às condições cotidianas. O termo outridade é empregado por Octávio Paz na obra O arco e a lira para designar o “outro” no ser humano, ou seja, ele mesmo; esse “outro” que causa estranheza a si mesmo e que questiona a própria identidade, primeiro pela repulsa, em seguida pela fascinação e, por última, pela vertigem. O “outro” que também é “eu”, é o duplo tentando se capturar, mas que escapa, dando sentido à solidão.


Palavras-chave


Paulo Leminski. Outridade. Poesia.

Texto completo:

PDF

Referências


BIEDERMANN, Hans. Dicionário ilustrado de símbolos. Trad. Glória Paschoal de Camargo. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1993.

LEMINSKI, Paulo. O ex-estranho. Org. Alice Ruiz S. e Áurea Leminski. 3. ed. São Paulo: Iluminuras, 2009.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PELLEGRINI, Domingos. Passeando por Paulo Leminski. Curitiba, 2013.

Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/176716911/Passeando-Por-Leminski-De-Domingos-Pellegrini. Acesso: 19 maio 2018.

https://doi.org/10.20396/remate.v35i2.8645200

PIGNATARI, Décio. O que é comunicação poética. 8 ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2019.1.30871

e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS