Estrutura, ação e intencionalidade: perspectivas teóricas e possibilidades metodológicas da sociologia da ação coletiva e dos movimentos sociais ontem e hoje

Gabriel Guerra Câmara

Resumo


As teorias sociológicas que tematicamente se ocuparam da ação política, refletiram, cada qual à sua maneira, os contextos sociais e políticos nas quais foram produzidas, ao mesmo tempo em que refletiram as grandes discussões teórico-epistemológicas da Sociologia, em especial o debate entre ação e estrutura. Esse artigo discute a presença dessa tensão teórico no interior da sociologia da ação coletiva e dos movimentos sociais, apresentando as elaborações e deslocamentos que essas teorias realizaram acerca dessa dimensão. Para isso, o texto apresenta a constituição desse campo sociológico e as influencias que essas teorias sofreram de seus contextos sociais e históricos de produção. Podemos destacar dois importantes grupos de teorias nesse sentido: a Teoria do Processo Político e a Teoria dos Novos Movimentos Sociais, e suas reformulações contemporâneas.

Palavras-chave


Ação política; Ação coletiva; Movimentos Sociais; Teoria do Processo Político; Teoria dos Novos Movimentos Sociais

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDER, J. C. Ação coletiva, cultura e sociedade civil. Secularização, atualização, inversão revisão e deslocamento do modelo clássico dos movimentos sociais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 13, nº 37, 1998.

ALMEIDA, J. P. A construção social de uma nova agricultura: tecnologia agrícola e movimentos sociais no sul do Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

ALONSO, A. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Revista Lua Nova, São Paulo, nº 76, p. 49-86, 2009.

BORDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CALDERÓN, F. Movimientos culturales y la emergencia de una nueva politicidad. Revista Política e Sociedade, Florianópolis, v. 10, n. 18, 2011.

CAPITAINE; B; PLEYERS; G. Mouvements sociaux. Quand le sujet devient acteur. Paris: Éditions de la Maison des sciences de l'homme, 2016.

CEFAÏ, D. Porquoi se mobilise-t-on? Les théories de l’action collective. França: La Découvert, 2007.

CORCUFF, P. As novas sociologias: construções da realidade social. Florianópolis: EDUSC, 2001.

DUBET, F. A Sociologia da experiência. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

DURKHEIM, É. As regras do método sociológico. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

DURKHEIM, É. Da divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FERNANDES, Eduardo. G. Campos de batalha jornalísitica: os enquadramentos construídos por Zero Hora, Diário Gaúcho e Sul21 na luta pela (i)legitimidade do ciclo de manifestações de 2013, em Porto Alegre/RS. Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016.

FILLIEULE. O. Penser les mouvements sociaux. Conflits sociaux et contestaions dans les sociétes contemporaines. França: La Découvert, 2010.

GADEA, C. A.; SCHERER-WARREN, Ilse. A contribuição de Alain Touraine para o debate sobre sujeito e democracia latino-americanos. Revista de Sociologia Política, Curitiba, n. 25, 2005.

GIDDENS, A. Constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

JASPER, J. M. De la estructura a la acción? La teoría de los movimientos sociales después de los grandes paradigmas. Sociológica, Ciudad de México, n. 75, p. 7-48, 2012.

MARTUCCELI, D. Grammaires de l’individu. Paris: Éditions Gallimard, 2002.

MELUCCI, A. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis: Vozes, 2001.

MELUCCI, A. Um objetivo para os movimentos sociais?. Revista Lua Nova, São Paulo, n. 17, p. 49-66, 1989.

PARSONS, T. A Estrutura da Ação Social. Marshall, Pareto, Durkheim. Petrópolis: Vozes, 2010.

PEREIRA, M. M. Enquadramento interpretativo, lógicas e dinâmicas interpretativas: dilemas em interações entre o movimento dos direitos animais e a grande mídia. Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2014.

PLEYERS, G. Alter-Globalization: Becoming actors in a global age. Estados Unidos: Polity, 2011.

PLEYERS, G. En la búsqueda de actores e desafios societales. La sociología de Alain Touraine. Estudios sociológicos, México, v. 24, nº 72, 2006.

PLEYERS, G. Mouvements sociaux. Quand le sujet devient acteur. Paris: Maison des Sciences de l'Homme, 2016. DOI: https://doi.org/10.4000/books.editionsmsh.9891

ROJO, R. E.. Protestos nas ruas. Revista Enfoques, Rio de Janeiro, v. 13, nº 1, 2014.

RUSKOWSKI, B. O. Do incômodo à ação beneficente e da indignação à ação contestatória: estudo sobre as condições e mecanismos de engajamento nas Tribos nas Trilhas da Cidadania e no Levante Popular da Juventude. Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

SCHEREN-WARREN, I. Dos movimentos sociais às manifestações de rua. O ativismo brasileiro no século XXI. Revista Política e Sociedade, Florianópolis, v. 13, nº 28, 2014.

SILVA, M. K. Construção da “participação popular”: análise comparativa de processos de participação social na discussão pública do orçamento em municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre. Porto Alegre. Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2001.

SWIDLER, A. Culture in Action: Symbols and Strategies. American Sociological Review, v. 51, nº 2, 1986. DOI: https://doi.org/10.2307/2095521

TARROW, S. O poder em movimento. Movimentos sociais e confronto político. Petrópolis: Vozes, 2009.

TATAGIBA, L.; PATERNIANI, S. Z.; TRINDADE; T. A. Ocupar, reivindicar, participar: sobre o repertório de ação do movimento de moradia de São Paulo. Revista Opinião Pública, nº 2, v. 18, 2012.

TOURAINE, A. La Fin des sociétés. Paris: Seuil, 2013.

TOURAINE, A. Paris: Le Nouveau Siècle Politique. Paris: Seuil, 2016.

TOURAINE, A. Le retour de l'acteur. Paris: Fayard, 1984.

TOURAINE, A. Nous, Sujets Humains. Paris: Seuil, 2015.

TOURAINE, A. Os novos conflitos sociais. Para evitar mal entendidos. Revista Lua Nova, nº17, 1989.

TOURAINE, A. Poderemos viver juntos?: iguais e diferentes. Petrópolis: Vozes, 1999.

TOURAINE, A. Producción de la sociedade. México: UNAM-IFAL, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2178-5694.2018.1.30055

e-ISSN: 2178-5694

 

Conversas & Controvérsias


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS