Desafios da reforma das polícias no Brasil: permanência autoritária e perspectivas de mudança

Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo, Andrea Ana do Nascimento

Resumo


O artigo debate os desafios para a reforma das Polícias no Brasil, partindo do resgate histórico das origens das forças policiais no Brasil e do legado autoritário sobre suas estruturas institucionais. Em seguida, são apresentadas e discutidas as tentativas de reforma nas polícias do estado do Rio de Janeiro, com enfoque especialmente na implantação das Unidades de Polícia Pacificadora e das Delegacias Legais. A partir destas experiências concretas de reforma, são apresentadas e discutidas as propostas de reforma legal inseridas na PEC 51, assim como no relatório da Comissão Nacional da Verdade, que sugeriu uma série de reformas das estruturas policiais no Brasil. 


Palavras-chave


Reforma das Polícias; Unidades de Polícia Pacificadora; Delegacias Legais; PEC 51.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli. Elementos para a modernização das polícias no Brasil. Revista Brasileira de Segurança Pública, v. 10, p. 8-20, 2016.

AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli; CIFALI, Ana Cláudia. Seguridad pública, política criminal y penalidad en Brasil durante los gobiernos Lula y Dilma (2003-2014) – Cambios y continuidades. In: Maximo Sozzo (org.). Postneoliberalismo y penalidad en América del Sur. Argentina: Clacso, 2016. p. 29-94.

AZEVEDO, Rodrigo G. (org.). As políticas públicas de segurança no âmbito municipal: uma análise comparada das cidades de Canoas, RS e Jaboatão dos Guararapes, PE. Senasp, Pensando a segurança pública, v. 3, 2012. p. 283-375 .

BATITUCCI, Eduardo Cerqueira. A polícia em transição: o modelo profissionalburocrático de policiamento e hipóteses sobre os limites da profissionalização das polícias brasileiras. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 4, n. 1, p. 65-96, 2011.

BONELLI, Maria da Glória. Profissionalismo e política no mundo do direito. São Carlos: EdUFScar. 2002.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Geral. Mapa do encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília: Presidência da República, 2015.

CARUSO, Haydée Glória Cruz. Das práticas e dos seus saberes: a construção do “fazer policial” entre as praças da PMERJ. Niterói, 2004. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Antropologia, Universidade Federal Fluminense.

COMISSÃO Nacional da Verdade. Relatório final. 2015. (30 mar. 2016).

FÓRUM Brasileiro de Segurança Pública. A segurança pública em números. Anuário Brasileiro de Segurança Pública, v. 9, p. 11-19, 2015 (4 dez. 2016).

FÓRUM Brasileiro de Segurança Pública. Os donos do morro: uma análise exploratória do impacto das Unidades de Polícia Pacificadora no Rio de Janeiro, 2012. Relatório de Pesquisa .

HOLLOWAY. Thomas. Polícia no Rio de Janeiro: repressão e resistência numa cidade do século XIX. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

LIMA, Roberto Kant de. A polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ed. Forense, 1991.

LIMA, Roberto Kant de. Entre as leis e as normas: éticas corporativas e práticas profissionais na segurança pública e na Justiça Criminal. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 6, n. 3, p. 549-580, 2013.

LIMA, Roberto Kant de. Éticas e práticas na segurança pública e na justiça criminal. In: Renato Sergio de Lima; José Luiz Ratton; Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo (orgs.). Crime, polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 471-481.

MINGARDI, Guaracy. Tiras, gansos e trutas: cotidiano e reforma na polícia civil. São Paulo: Scritta, 1992.

MISSE, Michel. O inquérito policial no Rio de Janeiro: mudanças recentes, alcances, tradições e especificações. In: Michel Misse (org.). O inquérito policial no Brasil: uma pesquisa empírica. Rio de Janeiro: Booklink, 2010. p. 23-101.

MUSUMECI, Leonarda; MOURÃO, Barbara Musumeci; LEMGRUBER, Julita; RAMOS, Silvia. Ser policial de UPP: aproximações e resistência. Boletim Segurança e Cidadania, v. 14, 2013.

NASCIMENTO, Andrea Ana. Entre a tradição e a mudança: reflexões sobre a reforma da polícia civil do estado do Rio de Janeiro. Enfoques, v. 7, n. 1, p. 91-111, 2008.

NASCIMENTO, Andrea Ana. A especialização sem especialistas: um estudo sobre as práticas (in) formais de investigação e de transmissão de conhecimento nas delegacias especializadas. Rio de Janeiro, 2004. Dissertação de Mestrado, Programa de Pósgraduação em Sociologia e Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

NASCIMENTO, Andrea Ana. Quando um homem de lei torna-se um sem lei: os caminhos da corrupção policial. Tese de Doutorado, PPG em Sociologia, UFRJ, 2014.

OLIVEIRA, Fabiana Luci de. UPPs, direitos e justiça: um estudo de caso das favelas do Vidigal e do Cantagalo. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

PINHEIRO, Paulo Sérgio. Violência, crime e sistemas policiais em países de novas democracias. Tempo Social, v. 9, n. 1, p. 43-52, 1997 <10.1590/ts.v9i1.86438>.

PONCIONI, Paula. Identidade profissional policial. In: Renato Sérgio de Lima; José Luiz Ratton; Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo (orgs.). Crime, polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 503-510.

PONCIONI, Paula. Tornar-se policial: a construção da identidade profissional do policial do estado do Rio de Janeiro. São Paulo, 2003. Tese de doutorado em Sociologia, Universidade de São Paulo.

SAPORI, Luís Flávio. Segurança pública no Brasil: desafios e perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

SAPORI, Luís Flávio. Como implantar o ciclo completo de polícia no Brasil? Revista Brasileira de Segurança Pública, v. 10, p. 50-58, 2016.

SENADO Federal. Proposta de Emenda Constitucional n. 51. (15 mar. 2016).

SOARES, Luiz Eduardo. PEC-51: revolução na arquitetura institucional da segurança pública, 2003. (30 mar. 2016).

TORELLY, Marcelo Dalmás. Justiça de transição e estado constitucional de direito: perspectiva teórico-comparativa e análise do caso brasileiro. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

ZALUAR, Alba. Democratização inacabada: fracasso da segurança pública. Estudos Avançados, v. 21, n. 61, p. 31-49, 2007 <10.1590/S0103-40142007000300003>.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2016.4.24402

Direitos autorais 2017 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs