A (des)confiança na polícia: uma comparação entre a relação do Ministério Público e a polícia no Brasil e na França

Pedro Heitor Barros Geraldo, Luiza Felix de Souza Barçante

Resumo


Este trabalho busca analisar a relação entre a polícia e o Ministério Público no Brasil e na França, através da comparação entre duas pesquisas de campo, contrastando seus dados. No caso brasileiro, trata-se de uma pesquisa de campo sobre a organização do trabalho realizado nos gabinetes da Procuradoria de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Compara-se ela com outra pesquisa em que foi feita a observação de audiências criminais em diferentes fóruns do sudeste francês. Assim, procura-se compreender como estas instituições têm sentidos diversos nesses países, explicitando como a transparência e a cooperação na administração da justiça produzem a confiança entre os atores no caso francês ao passo que a opacidade das formas de produção dos pareceres e a disputa institucional pelo controle sobre os fatos caracteriza tal relação no caso brasileiro.


Palavras-chave


Ministério Público. Polícia. Administração de conflitos. Estudos comparados.

Texto completo:

PDF

Referências


BARÇANTE, Luiza F. de S. O “meu”, o “seu” e o nosso: a gestão particularizada do trabalho realizado no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2015.

BOIGEOL, Anne. A formação dos magistrados: do aprendizado na prática à escola profissional. Revista Ética e Filosofia Política, v. 2, n. 12, p. 61-97, 2010.

CHRISTIN, Angèle. Comparutions immédiates: enquête sur une pratique judiciaire. Paris: Editions La Découverte, 2008.

DAVID, René. Os grandes sistemas do direito contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

DUPRET, Baudouin. A intenção em ação: uma abordagem pragmática da qualificação penal num contexto egípcio. Revista Ética e Filosofia Política, v. 2, n. 12, p. 109-140, 2010.

EMERSON, Robert M. Holistic effects in social control decision-making. Law & Society Review, v. 17, n. 3, p. 425-456, 1983.

GERALDO, Pedro H. B. La proximité au palais: une analyse de la socialisation des juges de proximité. Sarrebruck: Éditions Universitaires Européennes, 2011.

GERALDO, Pedro H. B. A audiência judicial em ação: uma etnografiadas interações entre juristas e jurisdicionados na França. Revista Direito GV, v. 9, n. 2, p. 635-658, 2013.

KANT DE LIMA, Roberto. Por uma Antropologia do Direito, no Brasil. In: Roberto Kant de Lima. Ensaios de Antropologia e de Direito. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009. p. 1-38.

KANT DE LIMA, Roberto. A polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Forense, 1995.

LYNCH, Michael. Preliminary notes on judges’ work: the judge as a constituent of courtroom “hearings”. In: Max Travers; John F. Manzo (eds.). Law in action: ethnomethodological and conversation analytic approaches to law. Farnham: Ashgate Publishing, 1998. p. 99-130.

MAZZILLI, Hugo Nigro. A atuação do Ministério Público na segunda instância. Revista Plural, v. 14, n. 41-42, 2010 (26 ago. 2014).

MENDES DE MIRANDA, Ana Paula; BERALDO DE OLIVEIRA, Marcella; FERREIRA PAES, Vívian. Antropologia e Políticas Públicas: Notas sobre a avaliação do trabalho policial. Cuadernos de Antropología Social, v. 25, p. 51-70, 2007.

MILBURN, P. Les procureurs de la République: passeurs de justice ou gestionnaires des “politiques pénales”? Droit et Société, v. 74, n. 1, p. 73-90, 2010.

MISSE, Michel. O papel do inquérito policial no processo de incriminação no Brasil: algumas reflexões a partir de uma pesquisa. Sociedade e Estado, v. 26, n. 1, p. 15-27, 2011 <10.1590/S0102-69922011000100002>.

MOUHANNA, Christian. Les relations police-parquet en France: un partenariat mis en cause? Droit et Société, v. 58, n. 3, p. 505-520, 2004.

MOUHANNA, Christian; BASTARD, Benoit. Procureurs et substituts: l’évolution du système de production des décisions pénales. Droit et Société, v. 74, n. 1, p. 35-53, 2010.

PAES, Vívian G. F. Crimes, procedimentos e números: estudo sociológico sobre gestão dos crimes na França e no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

PAES, Vívian G. F. Sobre limites e expectativas da sociedade civil com relação à criação de uma política municipal de segurança. In: Roberto Kant de Lima; Lucía Eilbaum; Lenin Pires (orgs.). Conflitos, direitos e moralidades em perspectiva comparada. Niterói: Garamond, 2010. v. 2. p. 87-109.

POLLNER, Melvin. Explicative transactions: making and managing meaning in traffic court. In: George Psathas (ed.). Everyday language: studies in Ethnomethodology. New York: Irvington, 1979. p. 229-255.

RASSAT, Michèle-Laure. La justice en France. 8. ed. Paris: PUF, 2007.

VIGOUR, Cécile. La comparaison dans les sciences sociales: pratiques et méthodes. Paris: La Découverte, 2005.

WYVEKENS, Anne. L’insertion locale de la justice pénale aux origines de la justice de proximité. Paris: l’Harmattan, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2017.1.24378

Direitos autorais 2017 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs