Memória de idosos: As narrativas em diferentes espaços de interação social

Ana Keila Mosca Pinezi, Marilda Aparecida de Menezes, Alexandre Soares Cavalcante

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar as narrativas de memória construídas por idosos que residem nos bairros Bangu e Santa Terezinha, onde situa-se a Universidade Federal do ABC, campus Santo André, SP. Esses idosos participaram de um projeto de extensão desenvolvido por uma equipe dessa universidade, cujo objetivo foi de propiciar um espaço de construção de memória por meio de conversas e do acesso a tecnologias informacionais e comunicacionais. Pretendemos analisar como, nesses espaços interativos, emergem diferentes conteúdos e formas de narrar, bem como expressões do corpo e do imaginário diante dos equipamentos digitais e de sua manipulação. Por entre fotografias de filhos e netos, da mocidade e da idade “madura”, do café e quitutes caseiros no ambiente universitário, esses idosos tornaram os equipamentos de informática em uma experiência de inclusão digital e de expressão da memória, e os espaços interativos foram uma experiência de aproximação entre a memória dos sujeitos que ocupam um dos bairros mais antigos da cidade, Santa Terezinha, e a memória dos jovens universitários.

Palavras-chave


Memória de idosos. Narrativas. Santo André.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSI. Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

BOURDIEU, P. A juventude é apenas uma palavra. In: Pierre Bourdieu. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BOURDIEU, P. A miséria do mundo. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

FANTON, Marcos. Sujeito, sociedade e linguagem: uma reflexão sobre as bases teóricas da pesquisa com narrativas biográficas. Civitas, v. 11, n. 3, p. 529-543, 2011.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1985.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

KÖLLER, Hans-Christoph. Hermeneutik. In: Ralf Bohnsack et al. (Orgs.). Hauptbegriffe Qualitativer Sozialforschung: ein Wörterbuch. Opladen: Leske und Budrich, 2003.

MANNHEIM, K. Structures of thinking. London: Routledge & Kegan Paul, 1980.

MILLS, W. A imaginação sociológica. 4a. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do antropólogo. 2ª ed. São Paulo: Editora Unesp, 2006.

POLLAK, Michel. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos (Memória), v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

PORTELLI, A. Tentando aprender um pouquinho: algumas reflexões sobre a ética na história oral. Projeto História, v. 15, p. 13-49, 1997.

WELLER, Wivian. Grupos de discussão: aportes teóricos e metodológicos. In: Wivian Weller e Nicolle Pfaff (Orgs.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2010a, p. 54-66.

WELLER, Wivian. Aportes hermenêuticos no desenvolvimento de metodologias qualitativas. Linhas Críticas, v. 16, n. 31, p. 287-304, 2010b.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2014.2.17155

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs