[1]
D. Grau, “O paradoxo francês do sistema”, Veritas, vol. 59, nº 2, p. 230-238, mar. 2015.