Ascensão e declínio dos bailes de corredor: O aspecto lúdico da violência e a seletividade da repressão policial

  • Danilo Cymrot
Palavras-chave: Funk, Violência, Galeras, Jogo, Tráfico.

Resumo

O presente artigo tem como propósito analisar os bailes de corredor do Rio de Janeiro, acentuando seu aspecto cultural e ritual e abordando os significados da violência nesse contexto. Para tanto, utilizaram-se como fonte de pesquisa obras bibliográficas que exibem relatos etnográficos desses bailes, realizados no fim dos anos 90 do século passado e no começo dos anos 2000. Pode-se concluir que a violência possuía para as galeras que os frequentavam um caráter lúdico. O jogo radical praticado nas pistas de dança refletia não só a glamorização da violência, como também uma sociabilidade violenta ampla, que permeia toda a sociedade. Essa é a razão pela qual a criminologia crítica denuncia a seletividade da repressão policial que se abateu sobre os bailes de corredor e seus efeitos contraproducentes, como a migração das brigas para outros espaços e a reaproximação simbólica do baile funk com o tráfico de drogas.

Biografia do Autor

Danilo Cymrot
Mestre e Doutorando pelo Departamento de Direito Penal, Medicina Forense e Criminologia da Universidade de São Paulo
Publicado
2012-12-11
Seção
Dossiê: Criminologia Crítica e Criminologia Cultural