Implicações dos modelos de atenção à dependência de álcool e outras drogas na rede básica em saúde

  • Daniela Ribeiro Schneider UFSC
  • Dálberti Sciamana de Lima UFSC
Palavras-chave: atenção básica, profissionais de saúde, racionalidades, drogadição, dependência de álcool e outras drogas.

Resumo

A situação da dependência de substâncias psicoativas tem se caracterizado como um grave problema no âmbito da saúde pública brasileira e mundial, requisitando das ciências e dos serviços de atenção estudos e ações sustentadas em conhecimento especializado, que dêem conta da complexidade da situação. No cenário atual da saúde existem diversos modelos de análise à dependência, sustentados em diferentes perspectivas epistemológicas, teórico e metodológicas, formando uma miscelânea de propostas. O presente artigo, baseado em pesquisa qualitativa realizada em um município de médio porte de Santa Catarina, objetiva descrever as implicações dos atuais modelos de análise e atenção da dependência de álcool e outras drogas nos serviços de saúde básica. Verificou-se que as concepções sobre a drogadição ainda estão sustentadas em modelos de análise dicotômicos e deterministas, em contradição com os princípios do SUS. Constatou-se também a falta da capacitação das equipes de Estratégia da Saúde da Família para lidarem com a problemática da dependência de álcool e outras drogas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Ribeiro Schneider, UFSC
Professora do Depto de Psicologia da UFSC; psicóloga, mestre em educaçao, doutora em psicologia clínica.
Publicado
2011-05-25
Como Citar
Schneider, D. R., & de Lima, D. S. (2011). Implicações dos modelos de atenção à dependência de álcool e outras drogas na rede básica em saúde. Psico, 42(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/7153
Seção
Artigos