Dominação, história e evolucionismo na América Latina: A perspectiva de Manoel Bomfim

  • Francisco Teixeira Portugal UFRJ
  • Ana Maria Jacó-Vilela UERJ
  • Denise Barcelos da Rocha Monteiro UERJ
Palavras-chave: Intérpretes do Brasil, psicologia social, exclusão social.

Resumo

Nesse artigo, pretendemos trazer à cena um dos mais originais intérpretes do Brasil – Manoel Bomfim. Como voz dissonante no cenário intelectual do início do século XX, o autor foi original ao afirmar que nossas mazelas teriam sido construídas historicamente nas relações vigentes desde a colonização do continente latino-americano em contraposição aos argumentos que valorizavam o determinismo biológico ou geográfico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Teixeira Portugal, UFRJ
Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Psicologia, professor do Departamento de Psicologia Social da UFRJ e membro do Programa de Estudos e Pesquisas em Histórias da Psicologia Clio-Psyché da UERJ. Áreas de interesse: História da Psicologia e Psicologia Social.
Ana Maria Jacó-Vilela, UERJ
Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da UERJ, coordenadora do Programa de Estudos e Pesquisas em História da Psicologia Clio-Psyché da UERJ.
Denise Barcelos da Rocha Monteiro, UERJ
Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da UERJ
Publicado
2010-09-28
Como Citar
Portugal, F. T., Jacó-Vilela, A. M., & Monteiro, D. B. da R. (2010). Dominação, história e evolucionismo na América Latina: A perspectiva de Manoel Bomfim. Psico, 41(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/6613