“Do rato não!” materialidades e socialidades na compra de cigarros

  • Mary Jane Paris Spink PUCSP
Palavras-chave: Pessoalidades, cotidiano, tabaco, materialidades relacionais.

Resumo

A partir da segunda metade do século passado o uso de tabaco foi associado a problemas de saúde diversos, tornando-se foco de campanhas e regulamentações voltadas à cessação do fumo. No Brasil, desde 1986 os atos legislativos sucederam-se rapidamente visando o fornecimento de informações sobre os malefícios do fumo e o controle do fornecimento e uso do tabaco. Diante desses controles, a observação do uso de tabaco em espaços públicos, objetivo desta pesquisa, volta-se à compreensão das múltiplas expressões de pessoalidades e socialidades na sociedade contemporânea. A pesquisa explorou esta dimensão a partir da observação de pontos de venda de cigarros nas adjacências do campus de uma universidade paulista. Além da caracterização dessas práticas, os resultados permitiram entender a confluência de diferentes lógicas nesse acontecimento corriqueiro (a compra de cigarros) contribuindo para desenvolver modos de pesquisar que leve em consideração a complexidade nas práticas cotidianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mary Jane Paris Spink, PUCSP
Professora titular no Programa de Pós-graduação em Psicologia Social da PUCSP Projeto desenvolvido com apoio de bolsa produtividade do CNPq
Publicado
2009-04-16
Como Citar
Spink, M. J. P. (2009). “Do rato não!” materialidades e socialidades na compra de cigarros. Psico, 40(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/4089
Seção
Artigos